Exportar registro bibliográfico

Atmosfera controlada na conservação de morango (2011)

  • Authors:
  • Autor USP: CUNHA JÚNIOR, LUIS CARLOS - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LPV
  • Subjects: ARMAZENAGEM EM ATMOSFERA CONTROLADA; DIÓXIDO DE CARBONO; FISIOLOGIA PÓS-COLHEITA; MORANGO (CONSERVAÇÃO); OXIGÊNIO
  • Language: Português
  • Abstract: Os objetivos deste trabalho foram avaliar os efeitos isolados de distintas concentrações de dióxido de carbono (CO2), de oxigênio (O2) e de óxido nitroso (N2O); e também as combinações dos melhores resultados para a conservação de morangos 'Oso Grande'. Os frutos foram selecionados, resfriados e armazenados a 10 °C em câmaras herméticas, com fluxo contínuo de 150 mL min-1. Os frutos foram avaliados a cada dois dias até se tornarem impróprios para o consumo. Quanto maior as concentrações de CO2 (0,03 %; 10 %; 20 %, 40 % e 80 %) associadas a 20 % de O2 em atmosfera de armazenamento menor foi a incidência de doenças. Os morangos armazenados com 80 % de CO2 foram considerados inadequados para o consumo, por apresentarem teores elevados de acetaldeído (4,9 mg 100g-1) e de etanol (105,3 mg 100g-1). Já as concentrações de 20 % e de 40 % CO2 conservaram os frutos por até oito dias, com manutenção da cor e das características comerciais. As concentrações de O2 (1 %; 3 %; 20 %; 60 %; e 90 %) demonstraram que a atividade respiratória dos morangos foi menor nas atmosferas com 1 % e 3 % de O2. O tratamento com 90 % O2 proporcionou menor incidência de podridões (2,8 %). Os morangos armazenados com 60 e 90 % de O2 mantiveram suas características comerciais por 10 dias. No ensaio com diferentes concentrações de N2O (0 %; 10 %; 30 %; 60 %; e 80 %) associadas a 20 % de O2, observou-se que os frutos com esse gás obtiveram as melhores avaliações de aparência, e reduziu em 36,3 % a respiração dos mesmos após 24 horas de armazenamento, e manteve-se estável até o fim do período. As concentrações de 60 % e de 80 % N2O se mostraram adequadas para a conservação dos morangos, por apresentaremmenor ocorrência de doenças e de taxa respiratória, e, portanto, mantendo as características comerciais. Neste experimento foram avaliadas novamente as atmosferas com 0,03 % CO2 + 20 % O2; 80 % N2O + 20 % O2 e 90 % O2; além de avaliar as combinações de 60 % O2 + 40 % CO2 e de 20 % O2 + 20 % CO2 + 60 % N2O. As menores incidências de podridões e as melhores notas de aparência foram nos frutos armazenados com 80 % N2O + 20 % O2 e 20 % O2 + 20 % CO2 + 60 % N2O. Os morangos sob 60 % O2 + 40 % CO2 foram considerados inadequados para o consumo, por apresentarem teores elevados de acetaldeído (54,8 mg 100g-1) e de etanol (42,4 mg 100g-1). Os morangos 'Oso Grande' a 10 ºC, sob atmosfera controlada com 80 % N2O + 20 % O2; 90 % O2 ou 20 % O2 + 20 % CO2 + 60 % N2O, conservam sua coloração, reduziram a ocorrência de doenças e mantiveram a qualidade comercial por 14 dias
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.04.2011
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CUNHA JÚNIOR, Luis Carlos; SCARPARE FILHO, João Alexio. Atmosfera controlada na conservação de morango. 2011.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11136/tde-02052011-081640/ >.
    • APA

      Cunha Júnior, L. C., & Scarpare Filho, J. A. (2011). Atmosfera controlada na conservação de morango. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11136/tde-02052011-081640/
    • NLM

      Cunha Júnior LC, Scarpare Filho JA. Atmosfera controlada na conservação de morango [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11136/tde-02052011-081640/
    • Vancouver

      Cunha Júnior LC, Scarpare Filho JA. Atmosfera controlada na conservação de morango [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11136/tde-02052011-081640/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021