Exportar registro bibliográfico

Efeitos da restrição alimentar materna sobre a prole de ratas Wistar. Avaliações teratogênicas clássicas e de imunoteratologia (2009)

  • Authors:
  • Autor USP: DIPE, VÂNIUS VINÍCIUS - FMVZ
  • Unidade: FMVZ
  • Sigla do Departamento: VPT
  • Subjects: RATOS; HIPERSENSIBILIDADE TARDIA; IMUNOPATOLOGIA; TERATOGÊNIOS
  • Language: Português
  • Abstract: A Organização Mundial da Saúde revela que mais de 20 milhões de crianças nascem com baixo peso ao nascimento em todo o mundo, sendo a má nutrição o principal fator desencadeante. Estudos realizados nas duas últimas décadas mostram que o status nutricional materno pode ser crítico no desenvolvimento de teratogenicidade; porém não há trabalhos que comprovem a associação entre restrição alimentar materna e a ocorrência de malformações. No entanto, o conceito de teratogênese não se restringe apenas às malformações estruturais logo após o nascimento, também são consideradas alterações funcionais, como aquelas comportamentais ou no sistema imune, entre outras, que podem se manifestar somente na maturação pós-natal. Assim, o presente trabalho visou verificar os efeitos da restrição alimentar materna durante a gestação, avaliando-a por meio tanto do protocolo clássico de teratogenicidade, como através de protocolos de imunoteratologia, analisando-se neste caso, as possíveis alterações no sistema imune da prole após o desmame e também na idade adulta. Foram empregadas ratas Wistar prenhes, divididas em cinco grupos iguais, um controle (CO) no qual os animais receberam ração ad libitum, e nos demais grupos, as fêmeas foram submetidas à restrição alimentar, do 6º ao 17º dia de gestação, diminuindo-se em 15 (E15), 40 (E40), 55 (E55) e 70% (E70) da quantidade de ração consumida pelos animais do grupo CO. Por meio do protocolo clássico de teratogenicidade, verificaram-se as possíveis alterações ósseas e viscerais sobre a prole. Empregou-se ainda o protocolo de imunoteratologia, no qual foram realizados testes nas proles tanto ao desmame como na idade adulta, e aferiu-se os seguintes parâmetros: hemograma, peso relativo do timo e do baço, celularidade do baço e da medula óssea; a imunidade inata: atividade de macrófagos peritoneais por meio da fagocito, produção de peróxido de hidrogênio e óxidonítrico; a imunidade humoral: produção de anticorpos pelo ensaio do plaque forming cell e a titulação de anticorpos anti-eritrócitos de carneiro; e a imunidade celular: avaliação da hipersensibilidade tardia. Em relação às avaliações teratogênicas clássicas, estas mostraram haver, naqueles filhotes provenientes das ratas submetidas às restrições alimentares (E40, E55 e E70), diminuição no peso ao nascimento, aumento da proporção de fetos mortos até uma hora após o nascimento e aumento do número de fetos com ureter sinuoso; no entanto, não foi constatada a ocorrência de malformações graves, que pudessem colocar em risco a vida do concepto. Já as avaliações pós-natais revelaram diminuição no ganho de peso, do nascimento até a idade adulta, das proles provenientes das ratas do grupo E70. Em relação às alterações imunoteratogênicas, houve aumento no peso relativo do timo e da resposta imune celular nas proles destas mães submetidas à maior restrição alimentar, quando estes animais foram avaliados aos 21 dias de idade. Quando realizou-se este estudo nas proles com 70 dias (idade adulta), os filhotes provenientes de mães das diferentes restrições alimentares apresentaram aumento da resposta imune humoral; além disto aqueles filhotes de mães E70, mostraram aumento da resposta imune celular. Os dados apresentados na presente pesquisa permitem sugerir que a restrição alimentar em ratas Wistar durante a organogênese fetal, embora não promova malformações estruturais, produz prole de menor peso ao nascimento e é capaz de gerar alterações significantes no sistema imune dos filhotes
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.08.2009
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DIPE, Vânius Vinícius; GÓRNIAK, Silvana Lima. Efeitos da restrição alimentar materna sobre a prole de ratas Wistar. Avaliações teratogênicas clássicas e de imunoteratologia. 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10133/tde-20122010-130505/ >.
    • APA

      Dipe, V. V., & Górniak, S. L. (2009). Efeitos da restrição alimentar materna sobre a prole de ratas Wistar. Avaliações teratogênicas clássicas e de imunoteratologia. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10133/tde-20122010-130505/
    • NLM

      Dipe VV, Górniak SL. Efeitos da restrição alimentar materna sobre a prole de ratas Wistar. Avaliações teratogênicas clássicas e de imunoteratologia [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10133/tde-20122010-130505/
    • Vancouver

      Dipe VV, Górniak SL. Efeitos da restrição alimentar materna sobre a prole de ratas Wistar. Avaliações teratogênicas clássicas e de imunoteratologia [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10133/tde-20122010-130505/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020