Exportar registro bibliográfico

A  ´BETAIND.2´-glicoproteína I no contexto da resposta inflamatória de fase aguda (2010)

  • Authors:
  • Autor USP: PEREIRA, ELISâNGELA MONTEIRO - FCF
  • Unidade: FCF
  • Sigla do Departamento: FBC
  • Subjects: BIOQUÍMICA CLÍNICA; GLICOPROTEÍNAS; INFLAMAÇÃO; IMUNOHISTOQUÍMICA; BIOLOGIA CELULAR
  • Language: Português
  • Abstract: A ´BETAIND.2-glicoproteína I (´BETAIND.2´GPI) é uma proteína de fase aguda, produzida principalmente no fígado e intestino. Os efeitos dessa proteína sobre células mononucleares foram investigados tanto em monócitos humanos de sangue periférico quanto em células promonocíticas humanas da linhagem celular ATCC THP-1. As correlações entre sua concentração plasmática e a intensidade da inflamação sistêmica foram avaliadas em humanos e em um modelo experimental de infecção sistêmica, em ratos. Nenhum efeito da ´BETAIND.2´GPI foi observado sobre a resposta oxidativa de monócitos de sangue periférico durante a fagocitose de zymosan opsonisado ou de S. aureus, analisada respectivamente por quimiluminescência amplificada por luminol ou por citometria de fluxo. A ´BETAIND.2´GPI estimulou a viabilidade celular e estimulou a diferenciação dos promonócitos. As células THP-1 tratadas com ´BETAIND.2´GPI apresentaram adesão aumentada a placas de cultura bem como expressão aumentada de CD54 e CD14. A suplementação com ´BETAIND.2´GPI foi suficiente para manter a proliferação das células THP-1 em cultura sem a adição de soro por 72h. Não houve correlações entre a concentração plasmática da ´BETAIND.2´GPI e indicadores clínicos da resposta inflamatória aguda em pacientes sépticos. A concentração da ´´BETAIND.2´GPI não correlacionou com as concentrações plasmáticas de IL-8, SAA e PCR, que foram encontradas elevadas no sangue de pacientes com sepse. A variação da concentração plasmática de ´BETAIND.2´GPI foi um fenômeno muitoprecoce no modelo experimental de sepse e translocação bacteriana. Nas primeiras três horas após a indução da sepse endovenosa, a concentração plasmática de ´BETAIND.2´GPI diminuiu de forma dependente da intensidade de infecção. Sugere-se que efeitos muito precoces de compartimentalização associados ao sangue portal medeiem esta regulação. As concentrações mais baixas de ´BETAIND.2´GPI foram observadas nos animais expostos à translocação bacteriana através da mucosa intestinal, associada a uma condição inflamatória leve. A derivação da linfa preveniu completamente a diminuição da concentração plasmática de ´BETAIND.2´GPI. Em conjunto, os resultados revelaram a relevância combinada de via e de intensidade da infecção para o controle da concentração plasmática de ´BETAIND.2´GPI no início na resposta inflamatória aguda
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 03.09.2010
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PEREIRA, Elisângela Monteiro; GOMES, Lígia Ferreira. A  ´BETAIND.2´-glicoproteína I no contexto da resposta inflamatória de fase aguda. 2010.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9136/tde-17012011-164607/ >.
    • APA

      Pereira, E. M., & Gomes, L. F. (2010). A  ´BETAIND.2´-glicoproteína I no contexto da resposta inflamatória de fase aguda. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9136/tde-17012011-164607/
    • NLM

      Pereira EM, Gomes LF. A  ´BETAIND.2´-glicoproteína I no contexto da resposta inflamatória de fase aguda [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9136/tde-17012011-164607/
    • Vancouver

      Pereira EM, Gomes LF. A  ´BETAIND.2´-glicoproteína I no contexto da resposta inflamatória de fase aguda [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9136/tde-17012011-164607/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021