Exportar registro bibliográfico

Sistemática e filogenia do gênero Gymnodactylus Spix, 1825 (Squamata: Gekkota: Phyllodactylidae) com base em caracteres morfológicos e moleculares (2010)

  • Authors:
  • Autor USP: SILVA JUNIOR, JOSé CASSIMIRO DA - IB
  • Unidade: IB
  • Sigla do Departamento: BIZ
  • Subjects: SQUAMATA; GEKKONIDAE; PHYLLODACTYLIDAE; ZOOLOGIA (CLASSIFICAÇÃO)
  • Language: Português
  • Abstract: O gênero Gymnodactylus inclui até o momento cinco espécies: G. amarali, amplamente distribuído pelo cerrado do Brasil Central; G. darwinii restrito à Mata Atlântica, desde o nordeste do estado de São Paulo até o seu limite setentrional no estado do Rio Grande do Norte; G. geckoides, endêmico da Caatinga, no nordeste do Brasil; G. guttulatus, conhecido somente dos campos rupestres do norte do segmento sul da Cadeia do Espinhaço; e G. vanzolinii, recentemente descrito e conhecido apenas para o município de Mucugê, Chapada Diamantina, Bahia, no norte do segmento setentrional da Cadeia do Espinhaço. Neste trabalho o gênero foi revisto sistematicamente com base em caracteres morfológicos e moleculares. Cerca de 1400 exemplares de aproximadamente 280 localidades foram estudados para 30 caracteres morfológicos e para seqüências parciais dos genes RAG1, PDC (nucleares), 16S (ribossomal) e cyt b (mitocondrial), totalizando 2146 pares de bases, abrangendo 25 localidades. Para os dados moleculares, foram realizadas análises de Máxima Parcimônia utilizando-se o programa PAUP, além de análises de inferência Bayesiana utilizando- se MrBayes. Ainda, foram realizadas análises destes genes individualmente envolvendo amostragens mais robustas. Tanto análises independentes para cada gene quanto análises combinando apenas os genes nucleares foram realizadas utilizando-se as duas abordagens filogenéticas. A definição das espécies de Gymnodactylus aqui reconhecidas foi principalmente orientadapela combinação dos dados genéticos e caracteres morfológicos qualitativos estudados, embora dados distribucionais e caracteres quantitativos também tenham sido considerados. Dados merísticos e xii de proporções morfométricas foram tratados estatisticamente no intuito de verificar se estas variáveis corroboram os agrupamentos reconhecidos com o estudo molecular. A análise combinada dos genes recuperou o monofiletismo do gênero Gymnodactylus com altos índices de suporte. Dois clados foram evidenciados com altos índices de suporte: um aqui chamado de grupo geckoides (G. amarali, G. geckoides e uma terceira linhagem reconhecida como espécie nova) e o grupo darwinii (G. darwinii, G. guttulatus, G. vanzolinii, e três outras linhagens, também reconhecidas como espécies boas). Todas as espécies reconhecidas são descritas e diagnosticadas e apresentada uma chave para sua identificação. A variação dos caracteres morfológicos é apresentada para todas assim como uma lista sinonímica detalhada com base no exame extensivo da literatura e dos tipos examinados. São descritas como novas sem que lhes seja atribuído um nome formal: (1) no grupo geckoides, uma população da região do vale do Peruaçu, noroeste do estado de Minas Gerais; (2) no grupo darwinii exemplares provenientes de Grão Mogol, sul do segmento setentrional da Cadeia do Espinhaço e de duas outras linhagens da Mata Atlântica, uma de ocorrência entre a região do rio Doce e a Baía de Todos os Santos, e outra a nordeste destabaía. G. vanzolinii é recuperado em posição basal no grupo darwinii nas análises combinadas ou individuais de alguns dos genes, porem o monofiletismo de G. darwinii lato sensu não é recuperado o que levou ao reconhecimento das novas linhagens da Mata Atlântica. Gymnodactylus darwinii fica, portanto, restrito ao sudeste do Brasil, ocorrendo do norte do estado de São Paulo até a região do rio Doce. Com base na distribuição e ecologia das espécies reconhecidas são apresentadas hipóteses para explicar a origem e diferenciação do gênero e de suas principais linhagens
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 31.08.2010
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA JUNIOR, José Cassimiro da; RODRIGUES, Miguel Trefaut Urbano. Sistemática e filogenia do gênero Gymnodactylus Spix, 1825 (Squamata: Gekkota: Phyllodactylidae) com base em caracteres morfológicos e moleculares. 2010.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41133/tde-08122010-104955/ >.
    • APA

      Silva Junior, J. C. da, & Rodrigues, M. T. U. (2010). Sistemática e filogenia do gênero Gymnodactylus Spix, 1825 (Squamata: Gekkota: Phyllodactylidae) com base em caracteres morfológicos e moleculares. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41133/tde-08122010-104955/
    • NLM

      Silva Junior JC da, Rodrigues MTU. Sistemática e filogenia do gênero Gymnodactylus Spix, 1825 (Squamata: Gekkota: Phyllodactylidae) com base em caracteres morfológicos e moleculares [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41133/tde-08122010-104955/
    • Vancouver

      Silva Junior JC da, Rodrigues MTU. Sistemática e filogenia do gênero Gymnodactylus Spix, 1825 (Squamata: Gekkota: Phyllodactylidae) com base em caracteres morfológicos e moleculares [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41133/tde-08122010-104955/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021