Exportar registro bibliográfico

Complexos salen e metaloporfirínicos como catalisadores na oxidação de hidrocarbonetos e fármacos em meio homogêneo e heterogêneo (2009)

  • Authors:
  • Autor USP: FARIA, ANDRÉ LUIZ DE - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 593
  • Subjects: CATÁLISE; FÁRMACOS; OXIDAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: Neste trabalho foram estudadas a atividade catalítica de metaloporfïrinas e complexos salen neutros e iônicos, em solução e imobilizados em diferentes suportes, na oxidação de hidrocarbonetos e fármacos anticonvulsivantes (carbamazepina e primidona), antimalárico (cloroquina) e antituberculose (isoniazida), utilizando os seguintes doadores de oxigênio: peróxido de hidrogênio, terc-butil hidroperóxido (TB OOH), ácido m-cloroperbenzóico (m-cpba) e iodosilbenzeno (PhIO). Os complexos salen (Me-CI-salen, Me-S03-salen e Me-‘Ph IND. 3’P-salen, Me=Fe ou Mn) foram sintetizados e caracterizados por espectroscopia UV/Vis, IV, RMN ‘ANTPOT. 1 H’ e análise elementar. O catalisador de Jacobsen, Mn-Jb-salen, comercial, foi também utilizado neste trabalho. Os complexos salen iônicos, Me-‘S0 IND. 3’-salen e Me-Ph3P-salen, foram imobilizados por interação eletrostática em sílicas modificadas com substituintes catiônicos, TAS, ou aniônicos, SFS, respectivamente. Os complexos Me-CI-salen foi imobilizado por ligação covalente na aminopropilsílica (APS). O catalisador de Jacobsen foi imobilizado na argila montmorilonita K 10. Todos estes catalisadores sólidos foram caracterizados por análise elementar de C, N, H, espectroscopias no UV/vis e no IV, microscopia eletrônica de varredura e determinação de área superficial (apenas alguns sistemas). Uma metaloporfirina comercial, MnTCPP, imobilizada em quitosana também foi preparada e caracterizada. A atividade catalítica de todos estes materiais foi investigada inicialmente na oxidação do cicloocteno e estireno, utilizando vários oxidantes. Os sistemas heterogêneos se mostraram bastante eficientes para oxidação destes substratos, com rendimentos de ciclooctenóxido de até 47 %, no caso do catalisador Mn-Jb-salen/K10 % e 54 % no caso do catalisador MnPh3P-salen/SFS, utilizando PhIO, como oxidante. O catalisador MnJb-K10 mostrou elevadaseletividade para formação de estirenóxido, principalmente quando se utiliza ‘H IND. 2’‘O IND. 2’ como oxidante (oxidante "verde"). Os vários sistemas se mostraram também eficientes para catalisar a oxidação dos fármacos carbamazepina, isoniazida, primidona e cloroquina, levando à produção dos metabólitos principais observados nos sistemas in vivo para estes fármacos. Estes resultados mostram que os complexos salen são bons modelos biomiméticos do citocromo P450. Complexos aniônicos foram, de maneira geral, mais eficientes como catalisadores da oxidação dos fármacos que os complexos neutros. Esta tendência confirma àquela já observada anteriormente com diferentes metaloporfirinas e fármacos, comprovando que a interação catalisador/fármaco é importante para promover a oxidação do mesmo, com maior seletividade. Os resultados também mostraram que, apesar das limitações inerentes aos sistemas heterogêneos, a atividade catalítica dos complexos imobilizados foi, de maneira geral, potencializada pelo suporte, principalmente utilizando ‘H IND. 2’‘O IND. 2’ como oxidante. O catalisador de Jacobsen imobilizado na montmorilonita, Mn-Jb-salen/K1 O, associado ao peróxido de hidrogênio apresentou bons rendimentos catalíticos para os vários fármacos estudados. Estes resultados mostram o grande potencial de aplicação deste sistema para a obtenção de metabólitos o que o torna o melhor candidato para testes de produção de metabólitos em maior escala. As metaloporfirinas imobilizadas em quitosana foram utilizadas na oxidação da cloroquina por vários oxidantes, levando aos mesmos rendimentos que estas as metaloporfirinas apresentaram em meio homogêneo, mostrando também a dependência interação (MeP:substrato)/atividade catalítica previamente observada para as metaloporfirinas em solução. Este trabalho demonstrou a habilidade do complexo salen e dasmetaloporfirinas para mimetizar a ação do citocromo P450 na oxidação de fármacos. Os resultados mostram também o grande potencial de aplicação de modelos biomiméticos para sintetizar metabólitos e fornecer amostras para testes farmacológicos e toxicológicos, visando elucidação do metabolismo do fármacos, e como uma alternativa aos estudos enzimáticos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.09.2010

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FARIA, André Luiz de; ASSIS, Marilda das Dores. Complexos salen e metaloporfirínicos como catalisadores na oxidação de hidrocarbonetos e fármacos em meio homogêneo e heterogêneo. 2009.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2009.
    • APA

      Faria, A. L. de, & Assis, M. das D. (2009). Complexos salen e metaloporfirínicos como catalisadores na oxidação de hidrocarbonetos e fármacos em meio homogêneo e heterogêneo. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Faria AL de, Assis M das D. Complexos salen e metaloporfirínicos como catalisadores na oxidação de hidrocarbonetos e fármacos em meio homogêneo e heterogêneo. 2009 ;
    • Vancouver

      Faria AL de, Assis M das D. Complexos salen e metaloporfirínicos como catalisadores na oxidação de hidrocarbonetos e fármacos em meio homogêneo e heterogêneo. 2009 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021