Exportar registro bibliográfico

SCI1, um novo inibidor tecido-específico da proliferação celular relacionado a sinalização por auxina (2010)

  • Authors:
  • Autor USP: PAOLI, HENRIQUE CESTARI DE - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGE
  • Subjects: PLANTAS; EXPRESSÃO GÊNICA; GENÉTICA MOLECULAR VEGETAL
  • Language: Português
  • Abstract: aqui definida com TICK ("Tissue-specific Inhibitors of CDK). As diferenças na divisão celular cansadas por SCI1 afetaram o momento da diferenciação das células pupilares, mostrando que sua diferenciação é acordada às divisões celulares que ocorrem no estigma, consistente com um papel de SCI1 no desencadeamento da diferenciação através do controle da proliferação celular. Baseado na similaridade fenotípica entre as plantas de RNAi de N. tabacum e os pistilos de Arabidopsis tratados com um inibidor do transporte polar de auxina (NPA), decidiu-se analisar a expressão de três genes relacionados à via de auxina, ARF8, Aux/IAA13 e Aux/lAAI9, em quatro plantas transgênicas independentes de RNAi e OE. Todos os três genes foram significativamente alterados, em até 5,1 vezes para Aux/IAA19, mostrando que SCI1 influencia a regulação transcricional de alguns genes de resposta rápida à auxina. A caracterização do mutante scil, uma linhagem de inserção de T-DNA em Arabidopsis, também revelou um tecido astigmático maior devido a um aumento no número de células, como ocorre em plantas de RNAi de N. tabacum. Surpreendentemente, os pistilos de scil são bem semelhantes aos do duplo mutante yuc2yuc6, que perderam a habilidade de sintetisar auxina, de forma adequada, neste tecido. Cortes longitudinais e imagens de contraste de fase (DIC) mostraram que a aumentada estrutura estigmática de yuc2yuc6, assim também como a aumentada estrutura estigmática dos sinalizadores de auxina pid336 e npyl, são todas conseqüências do aumento no número de células. Coerentemente, o gene AtSCII tem sua expressão diminuida nos mutantes yuc2yuc6,pid336 e npyl. Testes de interação genética mostraram que scil, npyl e scilnpyl têm uma estrutura estigmática bastante semelhante entre si, enquanto que scil mostrou uma interação sinergistica com yuc2yuc6 e pid336. Esses resultados consistentemente enquadramSCI1 na sinalização de auxina, que controla a divisão celular na parte superior do pistilo. Em conjunto, os resultados mostraram que SCI1 é um novo inibidor de CDK, que atua como componente da via de transdução de sinal de auxina no estigma/estilete, para controlar a proliferação e diferenciação celular, representando um efetor molecular deste hormônio no desenvolvimento do pistiloO sucesso da reprodução de plantas depende do desenvolvimento apropriado dos órgãos reprodutivos, o qual envolve redes regulatórias especificas. Realizou-se a caracterização de um gene previamente desconhecido, identificado em uma biblioteca subtrativa de estigmas/estiletes de Nicotiana tabacum. Esse gene codifica uma proteína pequena, rica em lisina, a qual mostrou-se ser especifica de pistilo e, mais precisamente, transcrita nos tecidos especializados do estigma/estilete: zona secretária do estigma (SSZ) e o tecido transmissor do estilete (STT). A seqüência da proteína, deduzida do cDNA, demonstrou ter dois domínios putativos de interação com ciclina, 15 sitias preditos de fosforilação (p > 96%) e um putativo sinal de localização nuclear, que foi confirmado pela localização da proteína de fusão com GFP na região intercromática/corpos nucleares. O maior nível de transcritos ocorre nos estágios bem jovens do desenvolvimento floral, em que o estigma/estilete está se diferenciando. Plantas transgênicas de RNAi e superexpressão (OE) de N. tabacum resultaram, notoriamente, em estigmas com áreas aumentadas e reduzidas, respectivamente. Cortes longitudinais do estigma/estilete maduro demonstraram que essa alteração em tamanho é uma conseqüência da alteração no número de células, que está aumentado nas plantas de RNAi e diminuído nas plantas OE. Juntamente com a demonstração de que esta proteína interage com ciclinas do tipo A, in nitro e in vivo, pôde-se concluir que esta proteína é um regulador negativo do ciclo celular, que provavelmente regula a atividade de CDK de forma tecido-específica. Com base nestes resultados, este gene foi denominado SCII, a partir de "Stigma/style Cell-cycle Inhibitor 1". SCI1 é distinto dos inibidores de CDK já descritas em plantas e animais, propondo-se assim que este gene seja o primeiro membro de uma nova classe de inibidores de CDK,
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.07.2010

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DEPAOLI, Henrique Cestari; GOLDMAN, Maria Helena Souza; ZHAO, Yunde. SCI1, um novo inibidor tecido-específico da proliferação celular relacionado a sinalização por auxina. 2010.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010.
    • APA

      DePaoli, H. C., Goldman, M. H. S., & Zhao, Y. (2010). SCI1, um novo inibidor tecido-específico da proliferação celular relacionado a sinalização por auxina. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      DePaoli HC, Goldman MHS, Zhao Y. SCI1, um novo inibidor tecido-específico da proliferação celular relacionado a sinalização por auxina. 2010 ;
    • Vancouver

      DePaoli HC, Goldman MHS, Zhao Y. SCI1, um novo inibidor tecido-específico da proliferação celular relacionado a sinalização por auxina. 2010 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021