Exportar registro bibliográfico

Papel do tnf-a na reposta resposta inflamatória renal induzida pela cisplatina. (2010)

  • Authors:
  • Autor USP: CÂMARA, NIELS OLSEN SARAIVA - ICB
  • Unidade: ICB
  • Assunto: IMUNOLOGIA
  • Language: Inglês
  • Abstract: OBJETIVOS:Investigar as vias de produção e de atuação do TNF-α no processo inflamatório na lesão renal induzida pela cisplatina.MÉTODO E RESULTADOS:Método Animais selvagens (C57Bl/6) e deficientes para CD4, CD8, MHC de classe II e CD1d foram usados nos testes. Para cada tipo, foram separados em grupos controle e grupo onde foi administrada a cisplatina. Em cada grupo, foram utilizados três animais. Modelo de lesão renal tóxica. A toxicidade pela cisplatina foi induzida pela administração única de cisplatina na dose de 20 mg/Kg, intraperitoneal (Mayne Pharma do Brasil Ltda, Rio de Janeiro, Brasil). Após o tratamento, os animais foram acompanhados por vários dias, e sacrificados quando completarem 96 horas da administração da droga. Animais não manipulados de cada grupo foram sacrificados também como controles (tempo 0). Na época do sacrifício, foram coletados soro e tecido renal para futuras análises. Os pesos dos animais foram computados na hora da administração da droga e na data do sacrifício. Parâmetros analisados. Função renal. Os níveis de uréia sérica foram usados para avaliar a função renal após o tratamento com as drogas. Amostras de sangue serão coletadas nos diferentes tempos de sacrifícios, através de uma punção da veia cava abdominal inferior, imediatamente antes da indução de morte por dose excessiva de anestésico. As amostras de soros foram analisadas pelo Cobas Mira Plus (Roche, Mannhein, Alemanha). Peso e mortalidade. Os animais serão pesados diariamente e o número de óbitos após o tratamento com as drogas coletado para se construir uma curva de sobrevida ao final do estudo. Perfil de citocinas. O perfil TNF-α foi analisado por PCR em tempo real. Resultados Os animais KO para MHC II e CD1d tratados com cisplatina, apresentaram menores concentrações de uréia sérica do que os animais WT tratados.Com isso, sugere-se que nesta inflamação, a resposta adquirida tem como ponto crítico a apresentação de antígenos via MHC (p<0,05). Analisando o perfil de células infiltrantes na inflamação, constatou-se a ausência efetiva da população de células CD4+, populações de células CD8,NK e DC marcadas para TNF-α, aumentaram expressivamente comparados aos animais WT. Trata-se então de uma evidência de que a apresentação de antígenos via MHC I, responde também pela alta produção de TNF-α mesmo quando suprimida a via por MHC II (p<0,05). Quando tratados com cisplatina, os animais WT aumentaram a expressão de TNF-α enquanto os animais KO diminuíram e a expressão de MCP-1 não apresentou grandes desvios entre os animais WT e KO tratados e não tratados. CONCLUSÃO: A partir dos dados parciais obtidos, verifica-se que a apresentação de antígenos via MHC II e CD1d na mediação do processo inflamatório destaca-se a importância da via Th1 através da atuação de células CD4+ em conjunto com ativação de células NK a qual também auxilia na amplificação da via Th1 e na ativação da via Th2. A queda dos níveis do TNF-α em animais knockouts para CD1d tratados com cisplatina indica maior importância dessa citocina no processo inflamatório quando comparada aos níveis de MCP-1 (a qual é responsável pela quimiotaxia de monócitos), sugerindo que reação inflamatória é decorrente da sinalização a partir do TNF-α sendo a atuação da imunidade inata fator um pré-inflamatório o qual estimula a resposta imune adquirida
  • Imprenta:
  • Source:
  • Conference titles: Reunião Anual da Federação de Sociedades de Biologia Experimental

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CHAVES-SANTANA, A. B.; VIEIRA, P. M. M. M.; LAROCCA, R. A.; CÂMARA, NIELS OLSEN SARAIVA. Papel do tnf-a na reposta resposta inflamatória renal induzida pela cisplatina. Anais.. São Paulo: FeSBE, 2010.
    • APA

      Chaves-Santana, A. B., Vieira, P. M. M. M., Larocca, R. A., & CÂMARA, N. I. E. L. S. O. L. S. E. N. S. A. R. A. I. V. A. (2010). Papel do tnf-a na reposta resposta inflamatória renal induzida pela cisplatina. In Resumos. São Paulo: FeSBE.
    • NLM

      Chaves-Santana AB, Vieira PMMM, Larocca RA, CÂMARA NIELSOLSENSARAIVA. Papel do tnf-a na reposta resposta inflamatória renal induzida pela cisplatina. Resumos. 2010 ;
    • Vancouver

      Chaves-Santana AB, Vieira PMMM, Larocca RA, CÂMARA NIELSOLSENSARAIVA. Papel do tnf-a na reposta resposta inflamatória renal induzida pela cisplatina. Resumos. 2010 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021