Exportar registro bibliográfico

Estudo do padrão de gliose e da expressão das metalotioneinas I/II, da 'aquaporina IND. -4' e de componentes da matriz extracelular no hipocampo de pacientes com epilepsia do lobo temporal (2010)

  • Authors:
  • Autor USP: SANTOS, JOSÉ EDUARDO PEIXOTO - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RNP
  • Subjects: EPILEPSIA DO LOBO TEMPORAL; RESSONÂNCIA MAGNÉTICA; MATRIZ EXTRACELULAR; GENÉTICA; NEUROLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: A epilepsia do lobo temporal (ELT) e caracterizada por apresentar grande porcentagem de resist8ncia ao tratamento farmacológico, perda neuronal progressiva, gliose e reorganização anormal de axônios que contêm zinco (Zn) vesicular, em estruturas límbicas como o hipocampo. As metalotioneinas I/II (MT-I/II) são proteínas envolvidas na modulação da concentração do Zn livre, metal que em concentra,coes na faixa de micromoles, induz morte celular em sistemas "in vitro". Alguns estudos sugerem que as MT-I/II fazem parte de mecanismos endógenos de neuroproteção. Dados preliminares em nosso laboratório sugeriram que o volume hipocampal, avaliado pela ressonância magnética (RNM), pode não estar diretamente relacionado a intensidade de perda neuronal, constatada histologicamente. Alterações na densidade de outras populações celulares encontradas no tecido, bem como de proteínas ligadas à homeostase da água, como a aquaporina-4 e proteínas da matriz extracelular, podem ser fatores importantes para melhor definir a associação entre características do tecido e volumetria na RNM. Objetivos: Avaliar no hipocampo de pacientes submetidos ao tratamento cirúrgico de ELT resistente ao tratamento farmacológico com diferentes intensidades de redução do volume hipocampal: populações neuronal e glial ativada; expressão das metalotioneinas I/II e da aquaporina-4 e suas co-localizações com astrocitos; expressão de condroitin sulfato (CSPG) e ácido hialurônico (AH); 5) correlacionar todos os achados com características morfométricas hipocampais medidas na RNM. Metodologia: Foram avaliadas formações hipocampais de casos de autopsia sem alterações neurológicas (Ctrl, n=20), pacientes com ELT farmaco-resistente com diagnostico de ELTM (n=69) e pacientes com ELT associada a tumor ou displasia cortical (TD, n=20). Os pacientes do grupo ELTM foram posteriormente subdivididos emgrupos com volume hipocampal normal (VN, n=24), atrofia leve (AL, n=24) e atrofia grave (AG, n=21), de acordo com volumetria medida na RNM. Seções hipocampais de todos os grupos foram processadas por imunohistoquímicas de NeuN, GFAP, HLA-DR, MT-I/II, AQP4 e CS-56 e para a histoquímica de HABP e foram avaliadas as densidades neuronais, áreas imunopositivas para NeuN, GFAP, HLADR, MT-I/II, AQP4 e CS-56 e nível de cinza de HABP. Resultados: Observou-se, em comparação ao grupo Ctrl: perda neuronal em todas as regiões, exceto pelo subiculo, em casos do grupo ELTM e em CA3 do grupo TD; redução da área de NeuN em varias regiões dos grupos ELTM; astrogliose em todas as regiões hipocampais do grupo ELTM e na fascia dentata, hilo e região CA4 do grupo TD; microgliose em praticamente todas as regiões do grupo ELTM e apenas no hilo do grupo TD; aumento da área de MT-I/II em varias regiões dos grupos ELTM, principalmente no subgrupo AG, e nas camadas moleculares e subgranular do grupo TD; redução na área de AQP4 em algumas regiões dos grupos ELTM e em CA4 do grupo TD; aumento da área de CS em algumas regiões do grupo ELTM, notadamente no subgrupo VN; inalteração no nível le HABP, exceto por redução na camada subgranular do grupo AG. A volumetria hipocampal correlacionou-se, no grupo ELTM, com a população neuronal e as áreas de CS-56 e GFAP em CA1, levando a construção de modelos de regressão linear multiple onde a população neuronal e a área de CS-56 explicam quase 40% do volume hipocampal. Conclusões: Independente do volume hipocampal, os grupos ELTM apresentaram homogeneidade nas alterações das populações celulares, bem como nas demais moléculas avaliadas. Ainda, mesmo regiões aparentemente protegidas da morte neuronal apresentam alterações morfológicas na população neuronal, bem como alterações em outras características teciduais avaliadas. Quanto as MT-I/II, houvecorrelações com a proteção neuronal no grupo com preservação da densidade neuronal (TD) e estas proteínas mostraram-se boas marcadoras de alterações em casos com perda neuronal grave (ELTM). Nos pacientes ELTM tanto a população neuronal como a expressão de CS possuem peso sobre a volumetria hipocampal medida na RNM
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.05.2010

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANTOS, José Eduardo Peixoto; LEITE, João Pereira. Estudo do padrão de gliose e da expressão das metalotioneinas I/II, da 'aquaporina IND. -4' e de componentes da matriz extracelular no hipocampo de pacientes com epilepsia do lobo temporal. 2010.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010.
    • APA

      Santos, J. E. P., & Leite, J. P. (2010). Estudo do padrão de gliose e da expressão das metalotioneinas I/II, da 'aquaporina IND. -4' e de componentes da matriz extracelular no hipocampo de pacientes com epilepsia do lobo temporal. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Santos JEP, Leite JP. Estudo do padrão de gliose e da expressão das metalotioneinas I/II, da 'aquaporina IND. -4' e de componentes da matriz extracelular no hipocampo de pacientes com epilepsia do lobo temporal. 2010 ;
    • Vancouver

      Santos JEP, Leite JP. Estudo do padrão de gliose e da expressão das metalotioneinas I/II, da 'aquaporina IND. -4' e de componentes da matriz extracelular no hipocampo de pacientes com epilepsia do lobo temporal. 2010 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021