Exportar registro bibliográfico

Fatores genéticos na espermatogênese de homens inférteis (2010)

  • Authors:
  • Autor USP: VOZZI, MARÍA SILVINA JUCHNIUK DE - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGE
  • Subjects: ESPERMATOZOIDES; INFERTILIDADE MASCULINA; APOPTOSE; GENÉTICA MÉDICA
  • Language: Português
  • Abstract: A infertilidade masculina é responsável por 50% dos casos de Fertilização in vitro, sendo a maioria classificada como idiopática. A análise do sêmen para avaliação do fator masculino constitui a primeira etapa de investigação de infertilidade. Adicionalmente, a análise genética do espermatozóide fornece informação sobre anormalidades cromossômicas numéricas e estruturais que conseguiram finalizar a meiose sem serem detectadas pelos checkpoints meióticos. A apoptose é um tipo de morte celular envolvida em diferentes passos da espermatogênese, primeiro na puberdade, no início da espermatogênese e posteriormente nas gônadas adultas, controlando a espermatogênese normal. Vários estudos demonstraram que a desregulamentação do processo de apoptose nas células germinativas pode resultar em infertilidade masculina. O objetivo principal do presente trabalho foi avaliar a segregação meiótica e a freqüência de gametas apoptóticos em células germinativas de homens oligozoospérmicos com diagnóstico de infertilidade. Foram avaliadas amostras de sêmen de quinze homens inférteis (grupo 1) e de sete homens normais controles, com fertilidade comprovada (grupo 11). Foi também realizado estudo citogenético de sangue periférico dos dois grupos. Para avaliar a segregação meiótica dos cromossomos 3, 13, 21, 22, X e Y foi utilizada a técnica de Hibridação in situ fluorescente (FISH) em gametas descondensados e para avaliar a presença de apoptose foi detectada a externalização de fosfatidilserina utilizando anexina V marcada. O grupo de homens inférteis apresentou heteromorfismos do cromossomo 9 em 13,3 % dos cariótipos e um individuo apresentou cromossomo marcador. A frequência de aneuploidias totais dos cromossomos envolvidos foi de 6, 88% nos espermatozóides de homens inférteis e 3,98% nos controles. As freqüências de dissomias dos cromossomos 3, 13, 21, 22, XY, XX e YY foramrespectivamente 0,34%, 0,51%, 0,77%, 0,65%, 0,68%, 0,19% e 0,20% nos pacientes inférteis. Homens inférteis e controles apresentaram diferenças significativas (p<0,05) nas freqüências de aneuploidias dos cromossomos 13, 21, 22 e de dissomias XY. As diferenças entre os grupos estudados podem ser explicadas por falha na recombinação meiótica, interferindo no processo correto de segregação. Evidenciamos também diferença significativa entre a incidência de células apoptóticas em homens inférteis e controles (p<0,05). O aumento das freqüências de gametas apoptóticos em homens inférteis poderia ser justificado pelo processo denominado apoptose abortiva. A possível relação entre dissomias totais e morfologia espermática sugere que a seleção de gametas seja estritamente controlada na espermatogênese, sendo desregulada em homens oligozoospérmicos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 18.06.2010

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VOZZI, Maria Silvina Juchniuk de; MARTELLI, Lucia. Fatores genéticos na espermatogênese de homens inférteis. 2010.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010.
    • APA

      Vozzi, M. S. J. de, & Martelli, L. (2010). Fatores genéticos na espermatogênese de homens inférteis. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Vozzi MSJ de, Martelli L. Fatores genéticos na espermatogênese de homens inférteis. 2010 ;
    • Vancouver

      Vozzi MSJ de, Martelli L. Fatores genéticos na espermatogênese de homens inférteis. 2010 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021