Exportar registro bibliográfico

Mapeamento de locos de resistência quantitativa da soja ao complexo de percevejos (2010)

  • Authors:
  • Autor USP: MÖLLER, MILENE - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LGN
  • Subjects: GENÉTICA MOLECULAR VEGETAL; MAPEAMENTO GENÉTICO; MARCADOR MOLECULAR; PERCEVEJO; SOJA
  • Language: Português
  • Abstract: O cultivo da soja em grandes áreas agrícolas e o plantio sucessivo em uma mesma área contribuíram significativamente para o aumento na incidência de insetospraga nessa cultura, causando danos crescentes à produção. Os percevejos sugadores de sementes são considerados uma das pragas de maior importância para a cultura da soja. Neste estudo, 286 plantas F2 provenientes do cruzamento entre IAC-100 e CD- 215 foram utilizadas para a identificação de marcadores ligados a genes de resistência a estes insetos. O delineamento inteiramente casualizado foi adotado sendo avaliados dez caracteres agronômicos e cinco caracteres relacionados à resistência a insetos. Um mapa genético foi construído com base em marcadores AFLP e TRAP. A partir de 14 combinações AFLP utilizadas um total de 643 marcas foi obtido, das quais 67 (10,42%) foram polimórficas, com média de 4,79 marcas polimórficas por combinação. Para o marcador TRAP, 11 combinações de primers fixo/arbitrário geraram 230 marcas, sendo 31 (13,48%) polimórficas, média de 2,82 marcas polimórficas por combinação. Apesar do menor número de marcas polimórficas por combinação, a percentagem de polimorfismo obtida com o marcador TRAP (0,13) foi maior do que para o AFLP (0,10). Foram observados valores moderados para o PIC, com média de 0,37 para ambos os marcadores. Os marcadores SNP apresentaram polimorfismo não informativo, não sendo utilizados no mapeamento. No mapa de ligação foram posicionados 49 marcadores (35 AFLP e 14 TRAP), distribuídos por 12 grupos de ligação, totalizando 696 cM com distância média de 17,93 cM entre marcadores. Para a identificação de QTLs foram utilizadas duas abordagens. A análise de marcas simples permitiu a detecção de três e seis QTLs (LOD=2,5), considerando os valores significativos a 5% e 10%, respectivamentePelo método de mapeamento por intervalo composto foram identificados 14 QTLs, referentes a cinco caracteres, distribuídos por oito grupos de ligação. A proporção da variação fenotípica explicada por estes QTLs variou de 8,94% a 59,97%
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 07.07.2010
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MÖLLER, Milene; PINHEIRO, José Baldin. Mapeamento de locos de resistência quantitativa da soja ao complexo de percevejos. 2010.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2010. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-03082010-085957/ >.
    • APA

      Möller, M., & Pinheiro, J. B. (2010). Mapeamento de locos de resistência quantitativa da soja ao complexo de percevejos. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-03082010-085957/
    • NLM

      Möller M, Pinheiro JB. Mapeamento de locos de resistência quantitativa da soja ao complexo de percevejos [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-03082010-085957/
    • Vancouver

      Möller M, Pinheiro JB. Mapeamento de locos de resistência quantitativa da soja ao complexo de percevejos [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-03082010-085957/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021