Exportar registro bibliográfico

Avaliação do efeito analgésico do cetorolaco e da morfina na dor aguda pós-operatória em pacientes submetidos à anestesia subaracnóide com bupivacaína hiperbárica (2010)

  • Authors:
  • Autor USP: RIGHETI, CLÁUDIA CRISTIANE FERACINI - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RAL
  • Subjects: PERÍODO PÓS-OPERATÓRIO; DOR; ANALGESIA (EFEITOS); PRÓTESES ORTOPÉDICAS
  • Language: Português
  • Abstract: ntrodução: Pacientes submetidos a artroplastia total do joelho frequentemente queixam-se de dor de forte intensidade durante o período pós-operatório imediato beneficiando-se da associação de morfina por via espinal, onde tanto a analgesia quanto os efeitos adversos são dependentes da dose. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito antinociceptivo de morfina e do cetorolaco administrados por via espinal, de forma isolada ou combinada, em pacientes submetidos a artroplastia total de joelho. Métodos: Após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa e consentimento formal, 80 pacientes submetidos à artroplastia total do joelho sob anestesia subaracnóide com bupivacaina hiperbárica foram divididos de forma prospectiva, aleatória e duplamente encoberta em 4 grupos. O grupo Controle recebeu solução fisiológico (2 mi) como droga teste espinal. O grupo Morfina (GM) recebeu 200 µg de morfina, o grupo Cetorolaco (GK) recebeu 2 mg de cetorolaco como droga teste espinal, e finalmente o grupo Morfina-Cetorolaco (GMK) recebeu 200 µg morfina + 2 mg cetorolaco. Analgesia e efeitos adversos foram avaliados. P<0,05 foi considerado Dignificante. Resultados: Os grupos foram demograficamente semelhantes entre si. Em relação ao tempo de requisição do primeiro analgésico o GM foi semelhante ao GK e maior quando comparados ao GC (p<0,01). O GMK apresentou o maior tempo de analgesia comparado aos demais grupos (p<0,001) O consumo de analgésicos foi: GC>GM=GK(p<0,05).>GMK (p<0,0l). Conclusões: A administração de 200 µg de morfina espinal associada a 2 mg de cetorolaco espinal resultou em efeito analgésico superior em relação ao tempo de requisição do primeiro analgésico e consumo total de analgésicos, comparado com as drogas administradas de forma isolada, sem contudo resultar em aumento da incidência de efeitos adversos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 31.03.2010

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RIGHETI, Cláudia Cristiane Feracini; LAURENTTI, Gabriela Rocha. Avaliação do efeito analgésico do cetorolaco e da morfina na dor aguda pós-operatória em pacientes submetidos à anestesia subaracnóide com bupivacaína hiperbárica. 2010.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010.
    • APA

      Righeti, C. C. F., & Laurentti, G. R. (2010). Avaliação do efeito analgésico do cetorolaco e da morfina na dor aguda pós-operatória em pacientes submetidos à anestesia subaracnóide com bupivacaína hiperbárica. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Righeti CCF, Laurentti GR. Avaliação do efeito analgésico do cetorolaco e da morfina na dor aguda pós-operatória em pacientes submetidos à anestesia subaracnóide com bupivacaína hiperbárica. 2010 ;
    • Vancouver

      Righeti CCF, Laurentti GR. Avaliação do efeito analgésico do cetorolaco e da morfina na dor aguda pós-operatória em pacientes submetidos à anestesia subaracnóide com bupivacaína hiperbárica. 2010 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021