Exportar registro bibliográfico

Participação das carboxipeptidases do perfusato do leito arterial mesentérico de rato no processamento de angiotensinas (2010)

  • Authors:
  • Autor USP: PEREIRA, HUGO JUAREZ VIEIRA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBI
  • Subjects: ANGIOTENSINAS; SISTEMA RENINA-ANGIOTENSINA; ENZIMAS (ISOLAMENTO E PURIFICAÇÃO); CROMATOGRAFIA
  • Language: Português
  • Abstract: O leito arterial mesentérico (LAM) é capaz de secretar algumas proteases solúveis que se acumulam no liquido de perfusão. Nosso laboratório tem se dedicado à caracterizar essas enzimas, entre elas, a elastase-2, anteriormente descrita como uma enzima unicamente digestiva, e, agora, apresentada também como a principal enzima formadora de Ang II no perfusato do LAM de rato. Além desta endopeptidase, atividades de carboxipeptidases foram detectadas neste perfusato, utilizando-se substratos sinteticos e vasopeptideos, como o ZVF, a Ang I e a Bk. A atividade formadora de des-Arg9-Bk foi recentemente caracterizada como sendo a CPB1. Novamente, uma protease antes descrita unicamente como digestiva, foi encontrada processando vasopeptideos no perfusato do LAM de rato. Assim, o objetivo deste trabalho foi determinar as enzimas capazes de agir sobre a região C-terminal de angiotensinas, clivando residuos aromáticos e alifáticos. Inicialmente, as atividades tipo CPA do perfusato do LAM de rato foram separadas cromatograficamente em cinco picos distintos. Frações destes picos foram caracterizadas, determinando quais destas eram capazes de formar Ang 1-9 a partir de Ang I, e, Ang 1-7 a partir de Ang II. A atividade formadora de Ang 1-7 foi caracterizada com substratos e inibidores, e, mostrou-se que não correspondia a nenhuma das enzimas formadoras de Ang 1-7 descritas, a saber, ECA2, prolilcarboxipeptidase e catepsina A. Em paralelo, isolamos a atividade formadora de Ang 1-9, utilizando-se uma cromatografia por troca iônica em coluna de DEAESepharose e três cromatografias por afinidade em Arg-Sepharose, PCI-Sepharose e SBTI-Sepharose. Após o isolamento, esta enzima foi digerida com tripsina e cinco de seus fragmentos tripticos foram seqüenciados por espectrometria de massas, identificando-se essa enzima como sendo a CPA2, idêntica à pancreático. A enzima formadora de Ang 1-7 foi isolada por duascromatografias de troca iônica, uma em DEAE-Sepharose e outra em Mono Q. Depois do isolamento, esta enzima foi digerida por tripsina, e três de seus fragmentos tripticos foram seqüenciados por espectrometria de massas, identificando-se essa enzima como sendo a CPA1, idêntica à pancreático. Em seguida, as CPA1 e CPA2 foram testadas para avaliar sua capacidade de processar angiotensinas, utilizando como substratos: Ang 1-12, Ang I, Ang 1-9 e Ang II. As duas CPAs isoladas foram capazes de hidrolisar a Ang I, sendo que, a CPA1 foi capaz de formar Ang 1-9, Ang II e Ang 1-7 por clivagens seqüenciais, enquanto a CPA2 só foi capaz de formar Ang 1-9. A CPA1 foi capaz de processar a Ang II, enquanto a CPA2 não demonstrou essa capacidade. Quando o substrato ofertado foi a Ang 112, a CPA2 foi capaz de processá-la de maneira mais eficiente que a CPA1. Para uma caracterização complementar, oito substratos sinteticos, com sequências baseadas em Ang 1-12, Ang I, Ang 1-9 e Ang II, foram sintetizados. Todos os oito substratos sintéticos demonstraram ser processados pelas CPA1 e CPA2, mas com especificidade diferente, mostrando que nem sempre a CPA1 hidrolisa preferencialmente aminoácidos alifáticos, e, a CPA2 os aromáticos. Neste trabalho também comparamos a expressão de ECA, ECA2, CPAs 1-6, CPB e CPN no mesentério, e, as atividades enzimáticas correspondentes nos perfusatos do LAM de rato e de camundongo. Demonstrou-se que o mesentério de ambos os animais expressam as carboxipeptidases CPA1, CPA2, CPA3, CPB, CPN, ECA e ECA2. As atividades enzimáticas atuantes sobre as angiotensinas encontradas nos perfusatos do LAM de rato e camundongo, também se mostraram semelhantes, sendo capazes de processar Ang 1-12, Ang I, Ang II e Bk. Portanto, concluimos com este trabalho, que o perfusato do LAM de rato contém as CPA1 e CPA2, idênticas às pancreáticas, cujas ações sobre os vasopeptideos formaram peptideosativos como Ang 1-9, Ang II e Ang 1-7, constituintes do sistema reninaangiotensina. Além disso, mostrou-se que os camundongos, assim como os ratos, podem ser utilizados em estudos referentes às vasopeptidases do perfusato do LAM
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 30.03.2010

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PEREIRA, Hugo Juarez Vieira; OLIVEIRA, Eduardo Brandt de. Participação das carboxipeptidases do perfusato do leito arterial mesentérico de rato no processamento de angiotensinas. 2010.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010.
    • APA

      Pereira, H. J. V., & Oliveira, E. B. de. (2010). Participação das carboxipeptidases do perfusato do leito arterial mesentérico de rato no processamento de angiotensinas. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Pereira HJV, Oliveira EB de. Participação das carboxipeptidases do perfusato do leito arterial mesentérico de rato no processamento de angiotensinas. 2010 ;
    • Vancouver

      Pereira HJV, Oliveira EB de. Participação das carboxipeptidases do perfusato do leito arterial mesentérico de rato no processamento de angiotensinas. 2010 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021