Exportar registro bibliográfico

Polimorfismo e evolução do gene HLA-B nas Américas (2009)

  • Authors:
  • Autor USP: FRANCISCO, RODRIGO DOS SANTOS - IB
  • Unidade: IB
  • Sigla do Departamento: BIO
  • Assunto: SELEÇÃO NATURAL
  • Language: Português
  • Abstract: Existem evidências de que o gene HLA-B, cujo produto tem como função a apresentação de peptídeos a linfócitos CD8+ e ligação a receptores KIR, esteja sob a ação da seleção natural. As populações nativas da América do Sul possuem uma grande quantidade de alelos de HLA-B exclusivos (endêmicos) em freqüências elevadas, enquanto que as populações nativas norte-americanas compartilham seus alelos com a Ásia. A hipótese elaborada para explicar a diferença de perfil alélico entre as populações norte e sul-americanas é conhecida como turnover de alelos. Segundo essa hipótese, os alelos exclusivos de ameríndios teriam aumentado de freqüência e substituído os ancestrais por apresentarem com eficiência os antígenos dos patógenos sul-americanos e/ou devido ao efeito de deriva genética, que provavelmente foi importante como conseqüência dos pequenos tamanhos efetivos populacionais. Esse processo teria ocorrido várias vezes, explicando as diferenças nos perfis alélicos entre as populações sul-americanas, cada uma das quais com um determinado conjunto de alelos endêmicos. Para verificar se as populações que possuem maiores freqüências de alelos endêmicos apresentam sinais da atuação da seleção natural, nós analisamos o polimorfismo do gene HLA-B em 474 amostras oriundas de 26 populações nativo-americanas e uma siberiana, quantificamos a freqüência de alelos endêmicos por população e região, e aplicamos os testes de neutralidade Ewens-Watterson e D de Tajima. Nós encontramos uma correlação positiva entre aumento da distância do Estreito de Bering e maior freqüência de alelos endêmicos (r2 = 0,351, p0,10), mostrando que a correlação é uma conseqüência das diferenças entre as populações localizadas na região neártica, que praticamente não possuem alelos endêmicos, e as populações neotropicais, que apresentam uma maior freqüência de alelos endêmicos. Esse resultado está de acordo com ahipótese de que há uma correlação entre o ambiente tropical e alterações do perfil alélico das populações ameríndias. O teste de D de Tajima mostrou desvios significativos de neutralidade, na direção de seleção balanceadora, ao longo de todo o continente (p
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 30.03.2009
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FRANCISCO, Rodrigo dos Santos; MEYER, Diogo. Polimorfismo e evolução do gene HLA-B nas Américas. 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-15042010-173001/ >.
    • APA

      Francisco, R. dos S., & Meyer, D. (2009). Polimorfismo e evolução do gene HLA-B nas Américas. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-15042010-173001/
    • NLM

      Francisco R dos S, Meyer D. Polimorfismo e evolução do gene HLA-B nas Américas [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-15042010-173001/
    • Vancouver

      Francisco R dos S, Meyer D. Polimorfismo e evolução do gene HLA-B nas Américas [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-15042010-173001/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021