Exportar registro bibliográfico

Desobramento: constelações clínicas e políticas do comum (2010)

  • Authors:
  • Autor USP: INFORSATO, ERIKA ALVAREZ - FE
  • Unidade: FE
  • Sigla do Departamento: EDM
  • Subjects: EDUCAÇÃO (FILOSOFIA); PSICOLOGIA CLÍNICA; TERAPIA OCUPACIONAL; ÉTICA (POLÍTICA)
  • Language: Português
  • Abstract: Operar na própria escrita um outro modo de pensar e fazer a clínica, liberada de suas utopias humanistas e de suas exigências produtivista, utilitária e socialitarista, é a proposição deste texto. Entrelaçadas em narrativas inventadas, a clínica é aqui fabulada em seus pontos de contágio com alguma arte, aludida em experiências ocorridas junto aos projetos da cia. teatral Ueinzz e do Ateliê Experimental (PACTO USP) - coletivos constituídos por aqueles cujas trajetórias são marcadas pela loucura, pela deficiência e/ou pela vulnerabilidade social. O texto enfrenta a dificuldade de dizer do que não pode ser dito, contar o invivível de uma experiência que, entretanto, não pode deixar de ser testemunhado. Acrescenta-se a esta complicação, a urgência de um cotidiano profissional, cujo ponto de partida é a terapia ocupacional, que ao lidar com situações-limite demanda respostas das quais não se pode omitir, e que por isto exige posições arrojadas para sustentar alguma indeterminação e não decair em saídas voluntariosas, e em seus correlatos exercícios de poder coercitivos. A importância dos processos de dessubjetivação visam favorecer na clínica outras sensibilidades, outra saúde, que não empreite a vida alheia, mas que a convide a outras experiências. Em narrativas, alguns experimentos são expostos e, na tentativa de evitar encadeamentos previsíveis e ilustrativos, adotam-se estratégias de fabulação, manejando elementos da memória de situações coletivas, de modo a fitar numa ficção verossímil suas verdades circunstanciais. A migração de conceitos do campo da filosofia e das artes para o âmbito da clínica e da política ocorrem por agenciamento e justaposição: o dispositivo de Foucault e Deleuze; o qualquer de Agamben; a multiplicidade e o acontecimento de Deleuze e Guattari; o intelecto geral, de Virno; o comum e o desobramento de Bataille, Nancy e Blanchot. O comumapresenta-se em constelações clínicas e políticas alçadas para acionar o vivo dos acontecimentos; e o desobramento é o pressentimento de uma outra ética, que não faz obra e que se entrevê na clínica, em sua atuação profissional e em suas modulações na escritura
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.04.2010
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      INFORSATO, Erika Alvarez; FAVARETTO, Celso Fernando. Desobramento: constelações clínicas e políticas do comum. 2010.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-22042010-104547/ >.
    • APA

      Inforsato, E. A., & Favaretto, C. F. (2010). Desobramento: constelações clínicas e políticas do comum. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-22042010-104547/
    • NLM

      Inforsato EA, Favaretto CF. Desobramento: constelações clínicas e políticas do comum [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-22042010-104547/
    • Vancouver

      Inforsato EA, Favaretto CF. Desobramento: constelações clínicas e políticas do comum [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-22042010-104547/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021