Exportar registro bibliográfico

Indicadores do desenvolvimento psicológico das crianças com infecção congênita por citomegalovírus assintomática (2009)

  • Authors:
  • Autor USP: PEREIRA, VALERIA MENDES - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 594
  • Subjects: DESENVOLVIMENTO INFANTIL; INFECÇÕES POR CYTOMEGALOVIRUS
  • Language: Português
  • Abstract: O presente estudo teve por objetivo avaliar indicadores do desenvolvimento e comportamento de crianças portadoras de infecção congênita por citomegalovírus Palavras assintomática (CMV-A), comparar com grupo de crianças não infectadas (Grupo Controle - C), e identificar melhor modelo de predição para indicadores de risco, problemas de desenvolvimento e comportamento na trajetória desenvolvimental de crianças portadoras CMV-A. A amostra foi composta por 101 crianças, na faixa etária de 11 a 40 meses, nascidas no Hospital das Clínicas da FMRP-USP ou na Maternidade do Complexo Aeroporto em Ribeirão Preto-SP (Mater), distribuídas em dois grupos, a saber: 50 crianças com diagnóstico de CMV-A pareadas a 51 crianças do grupo C. A coleta de dados incluiu a avaliação do desenvolvimento da criança quanto a indicadores de desenvolvimento mental e motor (Escalas Bayley-II), de linguagem (LAVE) e de comportamento (CBCL 1 ½ -5 anos). Os indicadores de desenvolvimento foram contextualizados por indicadores de saúde, consultados no prontuário médico e indicadores do ambiente social, fornecidos por meio de entrevista com as mães e pelo Critério de Classificação Econômica Brasil (CCEB). Na análise de dados foi realizada a comparação entre grupos dos indicadores de desenvolvimento, linguagem e comportamento, por meio do teste t Student para variáveis contínuas e teste Qui-Quadrado para variáveis discretas e a análise de predição utilizando os testes regressão linear múltipla (para predição na LAVE) e binária logística (para predição nas Escalas Bayley-II e no CBCL 1 ½ -5 anos) no grupo CMV-A. As variáveis preditoras analisadas foram: gênero, se a criança freqüentava ou não a creche, idade gestacional, escolaridade materna, CCEB. Os resultados mostraram que entre as crianças avaliadas do grupo CMV-A, quatro delas apresentaram algum tipo surdez, mas apenas uma criançaapresentou surdez neusenssorial, relacionada ao CMV-A, uma criança apresentou problema oftalmológico (nistagmo), não sendo relacionado ao CMV-A e uma criança apresentou calcificação no hemisfério direito do cérebro, sendo seqüela do CMV. As crianças de ambos os grupos encontravam-se na faixa de normalidade nas médias dos escores obtidos no desempenho mental, motor e comportamento na avaliação pelas Escalas Bayley-ll. No comportamento avaliado pelo CBCL 1 ½ -5 anos na faixa de 22 a 40 meses de idade, observou-se que o grupo CMV-A apresentou classificação Clínica em 33% das crianças nos problemas totais, no eixo externalizante 36% e no eixo internalizante 36%. No grupo C, 28% das crianças tiveram desempenho classificado como Clínico em problemas totais, sendo 33% no eixo externalizante e 28% no eixo internalizante. Na LAVE, constatou-se que em ambos os grupos, 92% das crianças foram classificadas com desempenho Não- Clínico. Não houve diferença estatisticamente significativa nas comparações acima descritas entre os grupos CMV-A e C. No modelo de predição pode-se observar que a presença da criança na creche/escola, maior idade gestacional e escolaridade materna foram variáveis preditoras de um melhor desempenho na Escala Bayley-II Mental. No desempenho motor das Escalas Bayley-ll, maior idade gestacional diminuiu a chance de a criança apresentar problemas nesta área. Nos problemas de comportamento, quanto mais baixa a classe no CCEB, maior a chance da criança desenvolver problemas de comportamento. Por fim, na linguagem expressiva, a freqüência na escola melhorava a linguagem expressiva do Grupo CMV-A. Os achados deste estudo sugerem um padrão semelhante nos indicadores desenvolvi mentais avaliados entre as crianças do Grupo CMV-A e o Grupo C. Entretanto, observou-se que soma de riscos, incluindo, o nascimento prematuro, baixo nível socioeconômico, baixaescolaridade materna contribuíram para maior risco no desenvolvimento das crianças CMV-A
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.12.2009

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PEREIRA, Valeria Mendes; LINHARES, Maria Beatriz Martins. Indicadores do desenvolvimento psicológico das crianças com infecção congênita por citomegalovírus assintomática. 2009.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2009.
    • APA

      Pereira, V. M., & Linhares, M. B. M. (2009). Indicadores do desenvolvimento psicológico das crianças com infecção congênita por citomegalovírus assintomática. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Pereira VM, Linhares MBM. Indicadores do desenvolvimento psicológico das crianças com infecção congênita por citomegalovírus assintomática. 2009 ;
    • Vancouver

      Pereira VM, Linhares MBM. Indicadores do desenvolvimento psicológico das crianças com infecção congênita por citomegalovírus assintomática. 2009 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021