Exportar registro bibliográfico

Comparação da interdependência do posicionamento palpebral em pacientes portadores de ptose palpebral involucional submetidos à instilação de colírio de fenilefrina a 10% na dose de 1, 2 e 4 gotas (2009)

  • Autor:
  • Autor USP: MATAYOSHI, SUZANA - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MOF
  • Assunto: PÁLPEBRAS (EFEITOS DE DROGAS)
  • Language: Português
  • Abstract: O objetivo primário do presente estudo é quantificar as alterações do posicionamento da pálpebra superior e inferior nos olhos testados e nos olhos contralaterais de portadores de ptose palpebral submetidos à instilação de colírio de fenilefrina a 10%. Com objetivo secundário, verificar a influência da dominância ocular, da intensidade e da uni ou bilateralidade da ptose na respostas palpebrais frente à instilação do colírio. MÉDOTOS: Estudos clínicos, prospectivo e aberto, com portadores de ptose palpebral involucional que foram submetidos à instilação de colírio de fenilefrina a 10% em um dos olhos nas doses de 1, 2 e 4 gotas, formando, respectivamente, os grupos 1(18 pacientes), 2 (19 pacientes e 3 (17 pacientes). todos os indivíduos foram filmados antes e após a instilação do colírio (a 3, 10, 15 e 30 minutos). As imagens foram editadas para a análise de medidas palpebrais (altura palpebrais superior e inferior). Resultados: Houve elevação da altura palpebral superior do olho testado em todos os casos, sendo que foi menor no grupo 1 (média de elevação de 1,22±0,53mm) em relação aos outros 2 grupos (respectivamente: 2,35±1,12mm e 3,01±,13mm). Na pálpebra inferior houve abaixamento significativo (entre 0,40±0,20 e 0,68±0,60mm), mas sem diferenças entre os 3 grupos: o olho contralateral apresentou abaixamento da altura pálpebra superior em todos os casos, entre 1,08±0,62mm a 1,31 ±0,38mm; as maiores respostas foram verificadas nos grupos 2 e 3. A pálpebrainferior elevou-se entre 0,48±0,30mm e 0,61±0,45mm. Conclusoes: Houve elevação da posição palpebral superior do olho testado em todos os casos, sendo que foi significativamente menor no grupo tratado com uma gota. A pálpebra inferior apresentou abaixamento em sua posição em todos os casos; entretanto não houve diferença em relação aos 3 grupos. No olho contralateral, a intrerdependência no posicionamento palpebral pôde ser notada pelo abaixamento da pálpebra superior
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.06.2009

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MATAYOSHI, Suzana. Comparação da interdependência do posicionamento palpebral em pacientes portadores de ptose palpebral involucional submetidos à instilação de colírio de fenilefrina a 10% na dose de 1, 2 e 4 gotas. 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.
    • APA

      Matayoshi, S. (2009). Comparação da interdependência do posicionamento palpebral em pacientes portadores de ptose palpebral involucional submetidos à instilação de colírio de fenilefrina a 10% na dose de 1, 2 e 4 gotas. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Matayoshi S. Comparação da interdependência do posicionamento palpebral em pacientes portadores de ptose palpebral involucional submetidos à instilação de colírio de fenilefrina a 10% na dose de 1, 2 e 4 gotas. 2009 ;
    • Vancouver

      Matayoshi S. Comparação da interdependência do posicionamento palpebral em pacientes portadores de ptose palpebral involucional submetidos à instilação de colírio de fenilefrina a 10% na dose de 1, 2 e 4 gotas. 2009 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021