Exportar registro bibliográfico

Microbiota fúngica e determinação de aflatoxinas em cultivar de amendoim plantado em diferentes regiões produtoras no Estado de São Oaulo (2009)

  • Authors:
  • Autor USP: ATAYDE, DANIELLE DINIZ - ICB
  • Unidade: ICB
  • Sigla do Departamento: BMM
  • Subjects: AFLATOXINAS; ASPERGILLUS; MICOTOXINAS; AMENDOIM; SOLOS
  • Language: Português
  • Abstract: Os objetivos foram: identificar a microbiota fúngica e a ocorrência de aflatoxinas em cultivar de amendoim, identificar a microbiota fúngica do solo e correlacionar os resultados obtidos com os níveis de atividade de água encontrados. As amostras (solo e amendoim) foram provenientes de: Jaboticabal, Rosália, Tupã e Cafelândia (SP). A microbiota fúngica do solo revelou que o fungo do gênero Penicillium foi o mais frequente (52,1 %) nas quatro regiões durante as duas coletas (após a emergência das plantas e duas semanas antes do arranquio). Dentro do gênero Aspergillus, A. flavus foi a espécie mais frequente (13,5 %). A microbiota fúngica dos grãos e das cascas, das quatro regiões, nas duas coletas (duas semanas antes do arranquio e após o arranquio), demonstrou maior frequência de isolamento do fungo do gênero Fusarium (70,2 %). Do gênero Aspergillus, a espécie A. flavus foi a mais frequente (9,8 %). A análise de aflatoxinas revelou a presença de aflatoxinas em 5 % das amostras de grãos analisadas. Nas cascas, 13,75 % das amostras apresentaram contaminação por aflatoxinasOs objetivos foram: identificar a microbiota fúngica e a ocorrência de aflatoxinas em cultivar de amendoim, identificar a microbiota fúngica do solo e correlacionar os resultados obtidos com os níveis de atividade de água encontrados. As amostras (solo e amendoim) foram provenientes de: Jaboticabal, Rosália, Tupã e Cafelândia (SP). A microbiota fúngica do solo revelou que o fungo do gênero Penicillium foi o mais frequente (52,1 %) nas quatro regiões durante as duas coletas (após a emergência das plantas e duas semanas antes do arranquio). Dentro do gênero Aspergillus, A. flavus foi a espécie mais frequente (13,5 %). A microbiota fúngica dos grãos e das cascas, das quatro regiões, nas duas coletas (duas semanas antes do arranquio e após o arranquio), demonstrou maior frequência de isolamento do fungo do gênero Fusarium (70,2 %). Do gênero Aspergillus, a espécie A. flavus foi a mais frequente (9,8 %). A análise de aflatoxinas revelou a presença de aflatoxinas em 5 % das amostras de grãos analisadas. Nas cascas, 13,75 % das amostras apresentaram contaminação por aflatoxinas.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.12.2009
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DINIZ ATAYDE, Danielle; CORRÊA, Benedito. Microbiota fúngica e determinação de aflatoxinas em cultivar de amendoim plantado em diferentes regiões produtoras no Estado de São Oaulo. 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/42/42132/tde-27012010-122426/ >.
    • APA

      Diniz Atayde, D., & Corrêa, B. (2009). Microbiota fúngica e determinação de aflatoxinas em cultivar de amendoim plantado em diferentes regiões produtoras no Estado de São Oaulo. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/42/42132/tde-27012010-122426/
    • NLM

      Diniz Atayde D, Corrêa B. Microbiota fúngica e determinação de aflatoxinas em cultivar de amendoim plantado em diferentes regiões produtoras no Estado de São Oaulo [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/42/42132/tde-27012010-122426/
    • Vancouver

      Diniz Atayde D, Corrêa B. Microbiota fúngica e determinação de aflatoxinas em cultivar de amendoim plantado em diferentes regiões produtoras no Estado de São Oaulo [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/42/42132/tde-27012010-122426/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021