Exportar registro bibliográfico

Mecanismos inflamatórios e imunológicos na síndrome de Down (2009)

  • Authors:
  • Autor USP: TROTTA, MARIA BEATRIZ FORTUNATO - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MCP
  • Subjects: SÍNDROME DE DOWN; ENVELHECIMENTO; INFLAMAÇÃO; CITOCINAS; EXPRESSÃO GÊNICA
  • Language: Português
  • Abstract: A síndrome de Down (SD) é a causa mais comum de deficiência mental de etiologia genética atribuída à trissomia do cromossomo 21. Nos últimos anos, houve um aumento da longevidade nos indivíduos com síndrome de Down, com expectativa de vida em torno de 50 anos. Em relação à população geral, as causas de morte foram diferentes em adultos com síndrome de Down. Assim, doença de Alzheimer, doenças cardíacas congênitas, pneumonia aspirativa foram mais freqüentes, enquanto tumores sólidos e doenças cardíacas isquêmicas foram menos esperadas. Descreve-se que os adultos com síndrome de Down são mais susceptíveis às infecções; entretanto, há poucos estudos sobre seu perfil imunológico. A resposta imunológica difere ao longo da vida e muitas destas alterações são atribuídas a mudanças relacionadas ao envelhecimento e são incorporadas no espectro de múltiplos sinais de senescência precoce do sistema imune. Foi proposto um modelo sugestivo no qual a superexpressão de genes do cromossomo 21 leva a mecanismos subjacentes relacionados à patogênese da SD. O gene RCAN1 (regulador de calcineurina) localizado na região q22.12 no cromossomo 21. O gene foi descrito como responsável pelo fenótipo da SD presente na região crítica da síndrome de Down é fisiologicamente inibidor de calcineurina. O gene RCAN1 impede a defosforilação do fatores nucleares de células T ativadas (NFAT) pela calcineurina, essencial para ativação de genes responsáveis pela expressão de citocinas econsequentemente ocasiona diminuição da resposta imune. O objetivo do estudo foi avaliar aspectos da resposta imune humoral e celular, a expressão relativa de RNAm do RCAN1 e relacionar com a produção de citocinas em adultos com síndrome de Down comparados com deficientes mentais de outras etiologias, que convivem na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE SP). Métodos. As amostras foram obtidas de 24 indivíduos portadores de síndrome de Down (SD) com ) cariótipo de trissomia livre do cromossomo 21, 21 deficientes mentais por outras etiologias (CTR) e 8 indivíduos saudáveis. O grupo saudável foi usado como controle em alguns testes. Foram realizados hemograma e sorologias contra hepatite B (MEIA), citomegalovírus, mononucleose infecciosa, toxoplasmose, rubéola (ELISA), sarampo (IFI), PCR, fração de complemento C3, C4, antiestreptolisina O (nefelometria) e isotipos de imunoglobulinas IgG, IgM e IgA (imunoturbidimétrico). Foi realizada a separação de células mononucleares do sangue periférico por gradiente de Ficoll-Hypaque e (5x106) foram submetidas à cultura celular (48h) e os sobrenadantes foram coletados para dosagem de citocinas: IL-2, IL-4, IL-5, IL-10, TNF? e INF? (métodos de CBA). Foi avaliada a expressão quantitativa do RNAm do gene RCAN1 por PCR em tempo real. Resultados. A freqüência de sorologias positivas para vários agentes infecciosos e os outros parâmetros imunológicos foram comparáveis nos dois grupos. No grupo SD houve um aumentodo número de células NK, CD8+ e baixa porcentagem de CD19 e foi encontrada produção espontânea de INF? TNF?, IL-10 comparada ao grupo CTR. Não foi demonstrada expressão gênica quantitativa do gene RCAN1 nos individuos SD. Conclusão. Em contraste com a convicção, o estudo não mostrou diferenças na resposta humoral entre o grupo SD e CTR. As alterações da imunofenotipagem na SD mostraram sinais de envelhecimento precoce do sistema imune na SD com predomínio da resposta inata. A produção espontânea de citocinas caracterizou perfil pró-inflamatório e não mostrou relação com a expressão relativa do gene RCAN1
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.12.2009
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TROTTA, Maria Beatriz Fortunato; SERRO AZUL, João Batista Costa Carvalho de. Mecanismos inflamatórios e imunológicos na síndrome de Down. 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5131/tde-04032010-175343/?&lang=pt-br >.
    • APA

      Trotta, M. B. F., & Serro Azul, J. B. C. C. de. (2009). Mecanismos inflamatórios e imunológicos na síndrome de Down. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5131/tde-04032010-175343/?&lang=pt-br
    • NLM

      Trotta MBF, Serro Azul JBCC de. Mecanismos inflamatórios e imunológicos na síndrome de Down [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5131/tde-04032010-175343/?&lang=pt-br
    • Vancouver

      Trotta MBF, Serro Azul JBCC de. Mecanismos inflamatórios e imunológicos na síndrome de Down [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5131/tde-04032010-175343/?&lang=pt-br

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020