Exportar registro bibliográfico

O apego dos adictos na perspectiva da psicopatologia evolucionista (2009)

  • Authors:
  • Autor USP: LUZ, FABIOLA DE ANDRADE - IP
  • Unidade: IP
  • Sigla do Departamento: PSE
  • Subjects: EVOLUCIONISMO (PSICOLOGIA); PSICOPATOLOGIA; COMPORTAMENTO DE APEGO; DROGA (VÍCIO); ABUSO DE ÁLCOOL; COCAÍNA
  • Language: Português
  • Abstract: A aplicação da perspectiva evolucionista para a compreensão das psicopatologias tem propiciado redimensionamentos das noções de ajustamento e conduzido o entendimento das doenças para a análise dos sistemas funcionais subjacentes aos quadros em questão. 0 presente trabalho visou contribuir para o estudo da dependência de álcool e de cocaína, elegendo como sistema a ser focalizado, o das vinculações afetivas. Com o objetivo de compreender relações entre o modelo interno de funcionamento afetivo - os estilos individuais de apego - e o desenvolvimento de farmacodependências, este trabalho se propôs a investigar o estilo de apego dos adictos por intermédio da aplicação e análise do questionário AAI (Adult Attachment Interview). A entrevista elaborada por Mary Main e colaboradores (2003) é o resultado de estudos que remontam aos trabalhos de Bowlby (1969) e de Ainsworth (1978) e possibilita a determinação do estilo de apego do adulto. A partir da analise minuciosa do discurso pode-se classificar o indivíduo como tendo apego dos tipos: seguro (F) caracterizado por autonomia, coerência, valorização do apego; descartante (Ds) - discurso geralmente abstrato, podendo apresentar idealizações dos genitores, falta de memória para recordar a infância, e desvalorização do apego; preocupado (E) - permanece atado ás experiências infantis o que conduz a um discurso passivo e pleno de associações livres; ou ainda o chamado de não-resolvido (Ud) que se caracteriza pela permanênciade traumas, abusos ou lutos não-resolvidos. A observação clínica dos adictos levou à formulação da hipótese de que pudessem apresentar, preferencialmente, o estilo de apego descartante (Ds). Foram entrevistados 36 indivíduos, 18 adictos e 18 não-adictos como grupo controle, todos pertencentes a uma população de baixa renda, sendo os primeiros, pacientes atendidos pelo sistema de saúde e os últimos, moradores de uma favela da periferia de São Paulo. A(continue) (continuação)literatura especializada prevê, para a população geral, a incidência de 55% de apego seguro (F), 16% de descartantes Ds, 9% de preocupados (E) e 19% de não-resolvidos (Ud). Os resultados do grupo controle não diferiram estatisticamente desta previsão, demonstrando que potenciais efeitos de risco de desenvolvimento afetivo dependem de um conjunto de fatores e não estão associados a condição econômica de maneira linear. 0 resultado desta pesquisa revelou para os adictos: 27% de seguros, 51 % de descartantes, 11,1 % de preocupados e 11,1% de não-resolvidos, mostrando a existência de uma freqüência maior do estilo descartante no grupo de adictos se comparados com a população geral. Tal resultado tem implicações para o tratamento e prevenção e demonstra que o estilo de apego, juntamente com outros fatores, compõem 0 quadro facilitador da instalação da farmacodependência. 0 instrumento revelou-se de valor clínico para a psicopatologia em geral e para a dependência em particular; as relaçõesencontradas entre experiências vividas no passado e estados da mente atual, embora não sejam especificas dos adictos, reforçam a complexidade de ligação entre os sistemas afetivos e cognitivos e reiteram a importância do AAI. A contribuição da perspectiva evolucionista pode ser detectada no próprio desenvolvimento da teoria de apego e na noção de integração entre os sistemas funcionais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.03.2009

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LUZ, Fabiola de Andrade; BUSSAB, Vera Silvia Raad. O apego dos adictos na perspectiva da psicopatologia evolucionista. 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.
    • APA

      Luz, F. de A., & Bussab, V. S. R. (2009). O apego dos adictos na perspectiva da psicopatologia evolucionista. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Luz F de A, Bussab VSR. O apego dos adictos na perspectiva da psicopatologia evolucionista. 2009 ;
    • Vancouver

      Luz F de A, Bussab VSR. O apego dos adictos na perspectiva da psicopatologia evolucionista. 2009 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021