Exportar registro bibliográfico

Análise tectono-estratigráfica da Faixa de dobramento Paraguai meridional na Serra da Bodoquena e depressão do Rio Miranda, MS (2009)

  • Authors:
  • Autor USP: SA, FERNANDA ROSTIROLA DE - IGC
  • Unidade: IGC
  • Sigla do Departamento: GMG
  • Subjects: GEOLOGIA ESTRUTURAL; ESTRATIGRAFIA; NEOPROTEROZOICO
  • Language: Português
  • Abstract: No presente trabalho buscou-se compor um quadro geológico-estrutural da Faixa Paraguai meridional e compreender as relações estratigráficas entre os litotipos da Formação Puga e grupos Cuiabá e Corumbá. Foram realizados trabalhos de reconhecimento geológico e perfis geológico-estruturais de detalhe, com análise estrutural e petrográfica, em conjunto com a integração de dados e mapas existentes, análise de imagens de satélite, fotos aéreas e modelos digitais de terreno. A Faixa Paraguai meridional evoluiu como um típico fold-andthrust belt. A evolução geológica do cinturão principia por processos de rifteamento, provavelmente no final do Criogeniano, evoluindo para mar restrito e margem passiva até o final do Ediacarano. A fase rifte é caracterizada pelas formações Puga e Cerradinho. A fase margem passiva está representada pelas formações Bocaina, Tamengo e Guaicurus. Propõe-se que o Grupo Cuiabá na área estudada seja constituído por depósitos marinhos profundos, turbidíticos distais depositados comitantemente aos sedimentos do Grupo Corumbá. O processo colisional responsável pela inversão da bacia com a deformação e metamorfismo associados ocorreu durante o Cambriano, com magmatismo pós-colisional no Cambriano Superior. O estilo estrutural torna-se progressivamente mais complexo de oeste para leste. São observadas até três fases de dobramento coaxiais sobrepostas com eixos subhorizontais de direção N-S. Associam-se a sistemas de falhas deempurrão com deslocamento da capa para oeste. As lineações de estiramento e indicadores cinemáticos observados sugerem que a convergência colisional em direção ao bloco Rio Apa que deu origem à faixa móvel não foi completamente frontal, existindo algum grau de obliquidade, com vetores de convergência em torno de WNWENE. Os micaxistos do Grupo Cuiabá mostram o estilo estrutural mais complexo, com três fases de dobramentos coaxiais e ) foliações tectônicas mais intensas. Haveria correlação temporal entre S3 gerada nos micaxistos, comumente referidos como Grupo Cuiabá, a leste com a foliação S2 gerada na porção central e a clivagem S1 gerada no limite da área cratônica a oeste, padrão que pode ser explicado pela migração do front deformacional de leste para oeste. É sugestivo que as principais falhas de empurrão coincidam com limites bacinais importantes, onde ocorrem variações de espessura e representatividades das formações basais. No processo de inversão da bacia provavelmente os empurrões reativaram as antigas falhas lístricas principais do estágio rifte
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 30.10.2009
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SÁ, Fernanda Rostirola de; CAMPANHA, Ginaldo Ademar da Cruz. Análise tectono-estratigráfica da Faixa de dobramento Paraguai meridional na Serra da Bodoquena e depressão do Rio Miranda, MS. 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-19112009-102622/ >.
    • APA

      Sá, F. R. de, & Campanha, G. A. da C. (2009). Análise tectono-estratigráfica da Faixa de dobramento Paraguai meridional na Serra da Bodoquena e depressão do Rio Miranda, MS. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-19112009-102622/
    • NLM

      Sá FR de, Campanha GA da C. Análise tectono-estratigráfica da Faixa de dobramento Paraguai meridional na Serra da Bodoquena e depressão do Rio Miranda, MS [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-19112009-102622/
    • Vancouver

      Sá FR de, Campanha GA da C. Análise tectono-estratigráfica da Faixa de dobramento Paraguai meridional na Serra da Bodoquena e depressão do Rio Miranda, MS [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-19112009-102622/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021