Exportar registro bibliográfico

A quantificação adverbial em Karitiana (2009)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MENDES, LUCIANA SANCHEZ - FFLCH
  • Unidades: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLL
  • Subjects: LÍNGUAS INDÍGENAS; SEMÂNTICA (ANÁLISE); ADVÉRBIO
  • Language: Português
  • Abstract: Esta dissertação apresenta uma descrição e uma análise semântica dos advérbios de quantificação kandat, ahop e pitat muito/muitas vezes da língua Karitiana, uma língua brasileira do tronco Tupi e da família Arikém, usando conceitos da Semântica Formal. Do ponto de vista morfossintático, este trabalho demonstra que os itens sob discussão são quantificadores ligados aos predicados verbais e não quantificadores nominais. Eles são analisados como advérbios, sendo que kandat tem uma distribuição sintática idêntica à dos outros advérbios da língua e ahop e pitat formam um composto com o verbo ao qual estão associados. Do ponto de vista semântico, kandat e ahop são tratados como advérbios de freqüência. A operação de freqüência é revista neste trabalho levando em conta a proposta de Rothstein 1999, 2004, 2008a, 2008b de que o domínio verbal é de natureza contável, não possuindo uma distinção de natureza contável-massivo como a que é encontrada nos nomes. Essa operação é entendida aqui como uma contagem direta no domínio contável dos eventos e que não depende de nenhum componente especial dos quantificadores. Essa análise difere da de Doetjes 2007 que, seguindo o trabalho de Bach 1986, considera que os predicados verbais são divididos em contáveis e massivos e que a operação de freqüência é realizada pelos operadores nesses dois contextos graças a um componente especial que eles possuem. Nossa proposta para o tratamento da freqüência difere também, em parte, da proposta de DeSwart 1993 que elabora diferentes soluções para usos proporcionais e nãoproporcionais dos advérbios envolvidos nessa operação. O presente trabalho oferece uma proposta mais econômica para os diferentes usos dos advérbios de freqüência, levando em conta dados do francês (oferecidos por Doetjes 2007 e De Swart 1993), do português brasileiro e do Karitiana. Pitat, por outro lado, é tratado como um ) quantificador adverbial de grau que, diferentemente dos quantificadores de freqüência, possui um componente especial que permite tanto uma quantificação sobre ocorrências quanto uma especificação de grau. A análise apresentada demonstra, baseada nos dados das três línguas e nas suas possíveis leituras, como é mais interessante considerar que os advérbios de grau é que possuem um componente exclusivo e não os de freqüência. Este trabalho propõe, portanto, uma análise dos quantificadores kandat, ahop e pitat da língua Karitiana usando como base uma revisão teórica da quantificação de freqüência e de grau respaldada em dados de diferentes línguas naturais.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 03.07.2009
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MENDES, Luciana Sanchez; MULLER, Ana Lúcia de Paula. A quantificação adverbial em Karitiana. 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-23112009-104847/ >.
    • APA

      Mendes, L. S., & Muller, A. L. de P. (2009). A quantificação adverbial em Karitiana. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-23112009-104847/
    • NLM

      Mendes LS, Muller AL de P. A quantificação adverbial em Karitiana [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-23112009-104847/
    • Vancouver

      Mendes LS, Muller AL de P. A quantificação adverbial em Karitiana [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-23112009-104847/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020