Exportar registro bibliográfico

Aleitamento materno em creches de São Paulo (2009)

  • Authors:
  • Autor USP: REZENDE, MAGDA ANDRADE - EE
  • Unidade: EE
  • Subjects: ALEITAMENTO MATERNO; CRECHES
  • Language: Português
  • Abstract: 1. Objetivo: Identificar ações desenvolvidas em creches com vistas a promover o aleitamento materno. Cerca de um milhão de crianças de 0 a 2 anos freqüentam as creches brasileiras e podem ser beneficiadas. O leite materno é o alimento ideal para o crescimento e desenvolvimento infantis. É recomendado de forma exclusiva até os seis meses, idade a partir da qual deve ser complementado com outros alimentos até dois anos ou mais. 2. Métodos: Foram aplicados formulários com questões abertas e fechadas a três creches de universidade pública situada na cidade de São Paulo, as quais estão localizadas na Zona Oeste desta mesma cidade e atendem a 19 crianças de zero a um ano de idade. As informações foram classificadas em duas categorias: condições estruturais (poltronas para amamentação, água, sabão e toalhas para as mães, local para extração e armazenamento do leite materno) e rotinas de incentivo à amamentação (acesso da mãe para amamentar, extração e guarda do leite e administração do leite à criança) e foram obtidas por observação direta e/ou entrevista com a diretora ou funcionário por ela designado. 3. Resultados: No momento da coleta, 15 das 19 crianças ainda eram amamentadas, das quais 12 na própria creche e diretamente ao peito. A idade destas crianças variava de 5 a 12 meses. Quatro tinham 9 meses, três 10, e uma cada uma das seguintes idades: 5, 6, 7, 8, 11 e 12 meses. No que se refere às condições estruturais, observamos que as três creches tinhamlocais para amamentação (poltronas no berçário ou na sala de saúde), bem como água, sabão e toalhas. No que se refere à extração do leite, nenhuma das três creches tinha local e material, enquanto todas possuíam geladeira e congelador para guarda de leite. Com relação às rotinas, existia a possibilidade da mãe entrar para amamentar nas três creches, o que era permitido sempre que esta o desejasse e por quanto tempo julgasse necessário. Já, a extração, guarda e administração de leite ordenhado não aconteciam em creche alguma. Não foi propósito desta pesquisa analisar a reação dos entrevistados (diretoras) ao tema, no entanto, as entrevistadas demonstraram atitude positiva e de acolhimento frente à possibilidade de amamentação na creche. 4. Conclusões parciais: As 3 creches apresentam condições que favorecem parcialmente a manutenção do aleitamento. Contudo, há necessidade de investimento das instituições na elaboração de rotinas de ajuda e apoio às nutrizes, especialmente no que tange à extração e guarda de leite. Acredita-se que um programa de incentivo ao aleitamento materno possa vir a ser implantado nessas instituições devido a: boa receptividade ao tema; terem parte das condições estruturais e de rotinas necessárias, bem como as mães dos bebês trabalharem e/ou estudarem próximo
  • Imprenta:
  • Source:
  • Conference titles: Simpósio Internacional de Iniciação Científica (SIICUSP)

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BRAGA, Natália Pinheiro; REZENDE, Magda Andrade. Aleitamento materno em creches de São Paulo. Anais.. São Paulo: [s.n.], 2009.
    • APA

      Braga, N. P., & Rezende, M. A. (2009). Aleitamento materno em creches de São Paulo. In . São Paulo.
    • NLM

      Braga NP, Rezende MA. Aleitamento materno em creches de São Paulo. 2009 ;
    • Vancouver

      Braga NP, Rezende MA. Aleitamento materno em creches de São Paulo. 2009 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021