Exportar registro bibliográfico

Legítima defesa ou represália? O uso da força no conflito armado de 2001 no afeganistão (2009)

  • Authors:
  • Autor USP: SARAIVA, RODRIGO MOTTA - FD
  • Unidade: FD
  • Sigla do Departamento: DIN
  • Subjects: TERRORISMO INTERNACIONAL; CONFLITOS INTERNACIONAIS; DIREITO DE GUERRA; SEGURANÇA NACIONAL; DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO; LEGÍTIMA DEFESA; REPRESÁLIA INTERNACIONAL
  • Language: Português
  • Abstract: Esta dissertação tem por objetivo analisar as ações militares lideradas pelos EUA no Afeganistão, em 2001, como resposta aos notórios ataques terroristas de 11 de setembro daquele ano contra o WTC e o pentágono, tendo como o foco confrontar os argumentos jurídico-políticos dos EUA utilizados no sentido de qualificar suas ações militares no referido conflito armado pretensamente sob a égide da legítima defesa, com os argumento jurídicos trazidos pelas normas, usos e costumes e doutrina do direito internacional. Na primeira parte do trabalho, são relatados, mediante a utilização da doutrina internacional, e de documentos de política externa, os fatos envolvendo o conflito armado no Afeganistão de 2001, expondo os principais acontecimentos, segundo uma ordem cronológica, abordando também as Resoluções da ONU sobre tais eventos. Também será exposta uma breve síntese contendo uma contextualização histórica e geopolítica sobre o Afeganistão. Na segunda parte do trabalho, são destacadas algumas das seqüelas produzidas por tais fatos, quais sejam: a Estratégia de Segurança Nacional dos EUA, lançada em 2002, também conhecida como a 'Doutrina Bush', com a respectiva política de ataques preventivos; e a subseqüente e polêmica invasão militar norte-americana ao Iraque em 2003, que ficou conhecida como a Segunda Guerra do Golfo. Finalmente, na terceira parte do trabalho, faz-se um enfrentamento mais direto dos argumentos utilizados pelos EUA para legitimar, sob omanto da legítima defesa individual ou coletiva, o uso da força contra o Afeganistão, expondo, para tanto, contra-argumentos lastreados no Direito Internacional vigente, contendo, em primeiro lugar, a evolução histórica da regulação do uso da força e do sistema de segurança coletiva, a imperatividade das normas internacionais que autorizam o uso da força, e suas exceções legítimas. Demonstrada a solidez dos arts. 2 (4) e 51 da Carta da ONU, e da Resolução 3314/74 da Assembléia-Geral da ONU, "Definição de Agressão", conclui-se pela ausência, no conflito objeto deste estudo, do elemento caracterizador da legítima defesa, o ato de agressão atribuível a um determinado Estado (o Afeganistão); da usurpação das limitações ao seu exercício: a proporcionalidade e provisoriedade da situação criada; bem como alertando-se sobre os riscos inerentes na redução dos requisitos previstos pelo artigo 51 da Carta das Nações Unidas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.05.2009
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SARAIVA, Rodrigo Motta; RODAS, João Grandino. Legítima defesa ou represália? O uso da força no conflito armado de 2001 no afeganistão. 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/2/2135/tde-02122009-164104/ >.
    • APA

      Saraiva, R. M., & Rodas, J. G. (2009). Legítima defesa ou represália? O uso da força no conflito armado de 2001 no afeganistão. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/2/2135/tde-02122009-164104/
    • NLM

      Saraiva RM, Rodas JG. Legítima defesa ou represália? O uso da força no conflito armado de 2001 no afeganistão [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/2/2135/tde-02122009-164104/
    • Vancouver

      Saraiva RM, Rodas JG. Legítima defesa ou represália? O uso da força no conflito armado de 2001 no afeganistão [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/2/2135/tde-02122009-164104/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021