Exportar registro bibliográfico

Iodeto de mercúrio produzido por evaporação de solvente: cristais obtidos usando etanol e tetrahidrofurano, e filmes híbridos obtidos usando polímeros isolantes (2009)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: UGUCIONI, JULIO CÉSAR - FFCLRP
  • Unidades: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 591
  • Subjects: BIOFÍSICA; SEMICONDUTORES (FÍSICO-QUÍMICA); SOLVENTE
  • Keywords: evaporação de solvente; iodeto de mercúrio; polímeros isolantes; insulator polymers; mercuric iodide; solvent evaporation
  • Language: Português
  • Abstract: O iodeto de mercúrio vermelho (α-HgI2 ou comumente conhecido na literatura como HgI2) vem sendo largamente estudado para utilização em detectores de radiação –X e -γ por apresentar alta faixa de energia proibida (gap de energia = 2,13eV), alto número atômico (ZHg = 80; ZI = 53) e alta densidade (6,4 mg/ml), além de outras propriedades que auxiliam na absorção destes tipos de radiação. A obtenção de filmes e cristais usando uma técnica de baixo custo é abordada neste trabalho. A técnica que obtenção de cristais utilizada foi a evaporação de solvente, que consiste na evaporação de um solvente volátil de uma solução preparada com sal de HgI2. Os solventes voláteis utilizados foram etanol, tetrahidrofurano (THF) e algumas misturas de ambos. Duas principais condições de evaporação foram testadas: na presença de luz ambiente (claro) e na ausência desta (escuro) em temperatura ambiente. Somente para o etanol obteve-se cristais com controle de temperatura (temperatura de 40°C) dentro de estufa no escuro. Observou-se, como resultado geral, que os cristais apresentam um aumento da desorganização estrutural quando se adiciona THF. Como esperado, isso se refletiu nas propriedades elétricas, diminuindo a resistividade (ρ) e energia de ativação (Ea) destes materiais. Além disso, é observado para os cristais obtidos com etanol (claro, escuro e estufa a 40°) diferentes resultados estruturais, ópticos, elétricos e de fotocondutividade. Em relação aos resultados estruturais, as condições influenciaram três orientações distintas que se acredita ser devido a variações energéticas relacionadas a temperatura e excitação eletrônica promovida pela luz. Anisotropia também foi observada pela análise dos resultados do espalhamento Raman. Medidas ópticas destacaram a presença principal de contribuições referentes a transições de elétrons da banda de valência a banda de condução (transição excitônica).Os cristais obtidos no claro e estufa apresentam ainda contribuições de transições de elétrons relacionadas a desorganização estrutural e ligações pendentes. Quanto as medidas elétricas, observou-se que o cristal obtido no escuro com etanol (E100E) apresentou os maiores valores de ρ e Ea (2,67x108 Ω .cm e 1,13 eV) e resultados de fotocondutividade mostraram baixos valores da relação fotocorrente corrente de escuro. Os filmes híbridos de iodeto de mercúrio foram obtidos usando a mesma técnica com presença de polímeros isolantes que atuaram como matriz de sustentação dos cristais de HgI2. Os polímeros utilizados foram poliamida (PA), policarbonato (PC) e poliestireno (PS). Estes eram dissolvidos em THF e o sal de HgI2 era acrescido a esta solução. Filmes foram confeccionados variando a temperatura de evaporação do THF para todos os polímeros, e para PS (que apresenta maior resistência a radiação na faixa de radiodiagnóstico) foi realizado estudos de variação da concentração de polímero (de 20 a 200mg/ml) e da massa de iodeto de mercúrio (de 0,6 a 2,0g). Com o acréscimo dos polímeros isolantes nos filmes, nota-se que se tem um aumento de ρ, ainda maior que o observado para os cristais. Também a relação entre fotocondutividade e corrente de escuro é aumentada. No entanto, não se observa uma formação homogênea no filme quando analisamos morfologicamente, sendo possível ver cristais dispersos. Por fim, estes filmes apresentaram um gap de energia de 2,1 eV, muito próximo do obtido para cristais HgI2 (2,13 eV)
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.08.2009
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      UGUCIONI, Julio César; MULATO, Marcelo. Iodeto de mercúrio produzido por evaporação de solvente: cristais obtidos usando etanol e tetrahidrofurano, e filmes híbridos obtidos usando polímeros isolantes. 2009.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2009. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59135/tde-20042010-155057/ >.
    • APA

      Ugucioni, J. C., & Mulato, M. (2009). Iodeto de mercúrio produzido por evaporação de solvente: cristais obtidos usando etanol e tetrahidrofurano, e filmes híbridos obtidos usando polímeros isolantes. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59135/tde-20042010-155057/
    • NLM

      Ugucioni JC, Mulato M. Iodeto de mercúrio produzido por evaporação de solvente: cristais obtidos usando etanol e tetrahidrofurano, e filmes híbridos obtidos usando polímeros isolantes [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59135/tde-20042010-155057/
    • Vancouver

      Ugucioni JC, Mulato M. Iodeto de mercúrio produzido por evaporação de solvente: cristais obtidos usando etanol e tetrahidrofurano, e filmes híbridos obtidos usando polímeros isolantes [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59135/tde-20042010-155057/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020