Exportar registro bibliográfico

Fatores de resistência ao processo de implementação de um centro de serviços compartilhados: uma abordagem segundo a teoria institucional (2009)

  • Authors:
  • Autor USP: BERDEJO, LUDWIG MIGUEL AGURTO - FEA
  • Unidade: FEA
  • Sigla do Departamento: EAC
  • Subjects: CONTABILIDADE GERENCIAL; REDE DE HOTÉIS; SERVIÇOS; MUDANÇA ORGANIZACIONAL
  • Language: Português
  • Abstract: A presente pesquisa procura estudar uma mudança organizacional de larga escala em uma rede hoteleira multinacional. Esta mudança tem como foco a implementação de um Centro de Serviços Compartilhados (CSC) que passa a realizar de forma centralizada as rotinas e processos administrativos, contábeis e financeiros de mais de quarenta unidades hoteleiras do grupo. Na implementação de mudanças desta magnitude, é necessário lidar com as resistências internas da organização, que se apresentam no decorrer do processo. Neste sentido, esta pesquisa objetiva estudar quais são as principais resistências que envolvem um processo de mudança, tomando como ponto de base os elementos da resistência apontados por Burns e Scapens (2000). Este construto foi desenvolvido para dar um foco intraorganizacional aos processos de mudança, sendo influenciado pela Old Institutional Economics (OIE), e procura sanar algumas críticas postas às primeiras pesquisas da New Institutional Sociology (NIS) pelas quais esta última estaria descrevendo os processos de mudança como lineares e inevitáveis, nos quais os atores se tornavam voluntariamente isomórficos às instituições. Como base neste construto, este trabalho procura analisar os elementos de resistência (i) por existência de conflito de interesses; (ii) por falta de competência (conheciento e/ou experiência); e (iii) por apego às instituições postas no ambiente, identificando quais são as mais importantes e como estas resistências se relacionam aoprocesso de institucionalização posto por Burns e Scapens (2000), no processo de codificação, incorporação, repetição e institucionalização. Assim, por meio de um estudo descritivo, com o uso de técnicas qualitativas e quantitativas, entrevistas, questionários e das ferramentas multivariadas Análise de Conglomerados, Análise de Correspondência (ANACOR), análise de homogeneidade (HOMALS) e da Categorical Principal Component Analysis(CAPTCA), ) procura-se analisar e observar como os gestores operacionais (gerentes gerais e subgerentes das unidades hoteleiras) e os gestores corporativos (alta diretoria e condutores da mudança) assimilam e percebem a mudança promovida pela implementação de um CSC. O CSC, por sua vez um modelo recente nas organizações, foi implementado para 42 unidades hoteleiras do grupo, distribuídas em cinco marcas com características distintas, através de um cronograma de migração de dezoito meses de duração. Os achados permitem concluir que as principais resistências existentes ao processo estão relacionadas com a resistência por falta de competência e por apego às instituições existentes. É preciso considerar que os elementos da resistência estão todos eles entrelaçados e todos devem ser analisados em planos de ação que visem à institucionalização completa no novo modelo do CSC. Os resultados desta pesquisa levantam insumos para considerar que a identificação das principais resistências em um processo de institucionalização, dentrodo construto descrito por Burns e Scapens (2000), é bastante útil para direcionar ações e estratégias que visem a completa institucionalização do modelo. Neste estudo, a análise dos elementos da resistência lança luz sobre as possíveis causas da resistência dos gestores operacionais pela falta de conhecimento principalmente com os temas essenciais relacionados à análise das informações contábeis e financeiras. Adicionalmente, levantam-se argumentos sobre as possíveis causas da resistência destes mesmos gestores por apego às instituições, especificamente nas marcas superiores, onde se demandam informações específicas e diferenciadas em função da complexidade maior destas unidades. Ambas as conclusões servem como um importante direcionador, tanto para a organização foco de estudo como para outras organizações que passem por processos de mudança similares ou que estejam procurando ) implementar um centro de serviços compartilhados, solução recente e em franca expansão no Brasil
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 03.09.2009
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BERDEJO, Ludwig Miguel Agurto; GUERREIRO, Reinaldo. Fatores de resistência ao processo de implementação de um centro de serviços compartilhados: uma abordagem segundo a teoria institucional. 2009.Universidade de São Paulo, São paulo, 2009. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-09102009-102733/ >.
    • APA

      Berdejo, L. M. A., & Guerreiro, R. (2009). Fatores de resistência ao processo de implementação de um centro de serviços compartilhados: uma abordagem segundo a teoria institucional. Universidade de São Paulo, São paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-09102009-102733/
    • NLM

      Berdejo LMA, Guerreiro R. Fatores de resistência ao processo de implementação de um centro de serviços compartilhados: uma abordagem segundo a teoria institucional [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-09102009-102733/
    • Vancouver

      Berdejo LMA, Guerreiro R. Fatores de resistência ao processo de implementação de um centro de serviços compartilhados: uma abordagem segundo a teoria institucional [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-09102009-102733/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020