Exportar registro bibliográfico

Quantificação do DNA do citomegalovírus (CMV) e associação com achados neonatais e surdez neurossensorial em crianças com infecção congênita (2009)

  • Authors:
  • Autor USP: OLIVEIRA, PATRÍCIA FRIZO DE CARVALHO E - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RPP
  • Subjects: BETAHERPESVIRINAE; RECÉM-NASCIDO; CARGA VIRAL; SURDEZ
  • Language: Português
  • Abstract: O citomegalovírus (CMV) é reconhecido como a principal causa de infecção congênita e de surdez neurossensorial na infância. Os objetivos deste estudo consistiram na verificação da associação entre os níveis da carga viral do CMV na saliva, urina e sangue de recém nascidos infectados congenitamente por este vírus e a presença de infecção sintomática ao nascimento e de surdez neurossensorial. Foram incluídas 109 crianças com infecção congênita pelo CMV identificadas em um programa de triagem neonatal. A infecção congênita pelo CMV foi diagnosticada pela detecção viral na saliva e na urina pela reação de amplificação gênica em cadeia da polimerase (PCR) qualitativa e confirmada pelo isolamento viral em cultura de células nas primeiras duas semanas de vida. A infecção congênita sintomática foi definida com base em achados clínicos e de exames complementares, incluindo tomografia computadorizada de crânio, fundo de olho e avaliação audiológica. A determinação quantitativa de DNA do CMV na saliva, urina e sangue foi realizada utilizando uma PCR em tempo real baseado no corante SYBR Green I. Do total de 109 crianças com infecção congênita pelo CMV, 75 (69%) realizaram todos os exames complementares. Destas, 14 (18,7%) apresentavam alguma anormalidade ao nascimento, sendo que 8 apresentavam sinais clínicos ao nascimento com ou sem surdez neurossensorial, duas tiveram somente achados anormais na tomografia de crânio e 4 crianças sem sintomas clínicos apresentavamsurdez neurossensorial. As outras 61 crianças eram assintomáticas ao nascimento com audição normal. A perda auditiva foi definida através do potencial evocado do tronco cerebral (BERA) em 9 (12%) crianças, incluindo 5 com e 4 sem sintomas clínicos ao nascimento. O grupo de crianças com alguma anormalidade ao nascimento apresentou carga viral maior na urina (p<0,01) e no sangue quando comparadas às 61 crianças infectadas assintomáticas e com audição normal (p=0,03). Nenhuma associação foi observada entre a carga do CMV na saliva e a presença de sintomas ao nascimento ou com a surdez neurossensorial (p=0,57). Altas cargas do DNA do CMV na urina e no sangue podem ser consideradas marcadores preditivos para as conseqüências neonatais em crianças com infecção congênita por este vírus
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.05.2009

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVEIRA, Patrícia Frizo de Carvalho e; YAMAMOTO, Aparecida Yulie. Quantificação do DNA do citomegalovírus (CMV) e associação com achados neonatais e surdez neurossensorial em crianças com infecção congênita. 2009.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2009.
    • APA

      Oliveira, P. F. de C. e, & Yamamoto, A. Y. (2009). Quantificação do DNA do citomegalovírus (CMV) e associação com achados neonatais e surdez neurossensorial em crianças com infecção congênita. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Oliveira PF de C e, Yamamoto AY. Quantificação do DNA do citomegalovírus (CMV) e associação com achados neonatais e surdez neurossensorial em crianças com infecção congênita. 2009 ;
    • Vancouver

      Oliveira PF de C e, Yamamoto AY. Quantificação do DNA do citomegalovírus (CMV) e associação com achados neonatais e surdez neurossensorial em crianças com infecção congênita. 2009 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021