Exportar registro bibliográfico

Detecção de doença residual mínima através de técnica de PCR em amostras de líquido cefalorraquidiano de crianças e adolescentes com diagnóstico de leucemia linfóide aguda (2009)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BIOJONE, ESTEFÂNIA RODRIGUES - FMRP
  • Unidades: FMRP
  • Sigla do Departamento: RPP
  • Subjects: LEUCEMIA; DOENÇAS LINFÁTICAS; TÉCNICAS DE DIAGNÓSTICO E PROCEDIMENTOS
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: A tendência atual no manejo das neoplasias da inf'ancia é identificação de fatores de risco e adequação do tratamento. Entre fatores de mau prognóstico na LLA, destaca-se a infiltração do SNC, definida pela presença de 5 ou mais leucócitos/mm no líquido cefalorraquidicano (LCR), com presença de blastos. Outra característica cujo significado prognóstico tem sido discutido é a ocorrência de acidente de punção lombar (APL), definida pela presença de mais de 10 hemácias/mm3. A análise morfológica pode ser difícil quando há baixa celularidade e depende da experiência do examinador. Portanto, é de grande importância a realização de pesquisas para definir critérios objetivos de infiltração do SNC e estabelecer seu significado prognóstico. Este estudo teve por objetivo avaliar correlação entre positividade de Doença Residual Mínima (DRM) no LCR e APL com as variáveis clínicas, biológicas e taxas de sobrevida livre de evento (SLE) em crianças com LLA PACIENTES E MÉTODOS: Foram avaliadas amostras de LCR de 76 pacientes entre O e 18 anos, com LLA tratados no HCRP-USP, nos quais havia DNA de boa qualidade disponível para a análise. A pesquisa de infiltração de SNC foi realizada por análise morfológica convencional e de DRM através de PCR utilizando-se "primers" de consenso para rearranjos de imunoglobulina e de receptor de célula T e análise homo/heteroduplex em gel de poliacrilamida. Foram considerados como positivos pacientes que apresentavam o mesmo padrão demigração de banda dos encontrados em amostras de medula óssea (MO) ao diagnóstico para os rearranjos estudados. Foram analisadas amostras de MO e LCR do momento do diagnóstico. Pacientes que apresentaram APL foram analisados separadamente. O teste exato de Fisher foi utilizado para avaliar a correlação entre variáveis clinicas e laboratoriais e a presença de DRM no LCR. Curvas de Kaplan Meier do teste log rank utilizadas para análise de SLE. RESULTADOS: Dos 76 pacientes avaliados, 32 foram tratados pelo GBTLI-93 e 44 pelo GBTLI-99. Quarenta e três pacientes (56,5%) foram classificados de alto risco e 33 (43,4%) de baixo risco. Infiltração no SNC foi encontrada em 4 casos (5,2%). Em 12/44 (27,9%) pacientes tratados pelo GBTLI-99 houve APL. A DRM no LCR do diagnóstico foi positiva 31/64 (48,4%) pacientes que não apresentaram APL. A leucometria do diagnóstico e o grupo de risco apresentaram correlação positiva com presença de DRM no LCR ao diagnóstico (p:0.02 e p:0.04 respectivamente). Não houve diferença significativa na SLE dos pacientes com DRM + ao diagnóstico quando comparados com pacientes com DRM negativa no grupo total de pacientes (60% versus 73,3%, p:0.20). Entre os pacientes tratados pelo GBTLI 93, a DRM no LCR determinou redução nas taxas de SLE (35,3% versus 73,3%, p:0.03), porém não houve diferença na SLE entre os tratados pelo protocolo GBTLI-99 (73,3% para DRM+ versus 92,3% para DRM-, p:0.38) .A SLE dos pacientes nos quaishouve APL foi inferior à SLE dos demais pacientes (58,3% versus 82,8%, p:0.04). CONCLUSÃO: A detecção de DRM do SNC é evento frequente em crianças com LLA e sua presença ao diagnóstico apresentou impacto negativo na evolução dos pacientes tratados pelo protocolo GBTLI-93. A intensificação do tratamento pelo protocolo GBTLI-99, parece ter sido capaz de anular o efeito prognóstico desta variável. A ocorrência de APL esteve associada a maior taxa de evento desfavorável em pacientes tratados pelo protocolo GBTLI-99. Análise de um número maior de casos é necessária para a confirmação destes achados
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.05.2009

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BIOJONE, Estefânia Rodrigues; SCRIDELI, Carlos Alberto. Detecção de doença residual mínima através de técnica de PCR em amostras de líquido cefalorraquidiano de crianças e adolescentes com diagnóstico de leucemia linfóide aguda. 2009.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2009.
    • APA

      Biojone, E. R., & Scrideli, C. A. (2009). Detecção de doença residual mínima através de técnica de PCR em amostras de líquido cefalorraquidiano de crianças e adolescentes com diagnóstico de leucemia linfóide aguda. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Biojone ER, Scrideli CA. Detecção de doença residual mínima através de técnica de PCR em amostras de líquido cefalorraquidiano de crianças e adolescentes com diagnóstico de leucemia linfóide aguda. 2009 ;
    • Vancouver

      Biojone ER, Scrideli CA. Detecção de doença residual mínima através de técnica de PCR em amostras de líquido cefalorraquidiano de crianças e adolescentes com diagnóstico de leucemia linfóide aguda. 2009 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020