Exportar registro bibliográfico


Metrics:

A medicalização de conflitos: consumo de ansiolíticos e antidepressivos em grupos populares (2009)

  • Authors:
  • Autor USP: MENDONÇA, REGINALDO TEIXEIRA - FSP
  • Unidade: FSP
  • Sigla do Departamento: HSM
  • DOI: 10.11606/T.6.2009.tde-28092009-164952
  • Subjects: ANTIDEPRESSIVOS; ANSIOLÍTICOS; SERVIÇOS DE SAÚDE; FÁRMACOS (DISTRIBUIÇÃO;ECONOMIA); USO DE MEDICAMENTOS
  • Language: Português
  • Abstract: O consumo de medicamentos psicoativos foi analisado a partir da ótica de seus consumidores, revelando que estariam contribuindo para perpetuar os papéis sociais frente à dinâmica social, como os relacionados ao gênero e à classe social. A pesquisa revela uma associação entre vida cotidiana e consumo de medicamentos psicoativos, destoante de um produzir saúde, esperado da relação entre serviços de saúde e população, e de uma associação entre doença e uso de ) medicamentos. Aprofundar questões sociais sobre o consumo de medicamentos em grupos populares poderá evitar seu uso abusivo com a função de produzir um corpo explorado quimicamente por se estender seus limites de produção, aprofundando e silenciando desigualdades sociais. O consumo de medicamentos psicoativos deve ser analisado com cautela, devendo seu consumo ser problematizado.Esta pesquisa retrata uma experiência etnográfica sobre o consumo de medicamentos antidepressivos e ansiolíticos fornecidos por uma farmácia pública aos moradores de uma área formada por três bairros da cidade de Ribeirão Preto SP. Esta área era formada por casas populares, casas luxuosas e por uma favela, sendo coberta pela Estratégia de Saúde da Família, com a exceção de uma parte das casas populares, a qual era formada pelas casas COHAB (Companhia Habitacional). O bairro com as casas luxuosas foi incluído somente na observação participante e na fotografia. Os motivos do consumo destes medicamentos, investigados com entrevistas abertas, observação participante, diário de campo e fotografia, são justificados através de uma remodelação e reorganização de espaços entre os moradores destes bairros, marcados por desigualdades sociais, de gênero e pela busca de diferenciação, numa hierarquia classificada entre o ideal e o indesejado através do curso de vida dos moradores. A seleção dos entrevistados foi realizada a partir dos dados da dispensação dos medicamentos psicoativos pela farmácia pública fornecedora, a qual também estava incluída na experiência etnográfica, tendo sido a dispensação dos medicamentos incluída na observação participante.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.04.2009
  • Acesso à fonteDOI
    Informações sobre o DOI: 10.11606/T.6.2009.tde-28092009-164952 (Fonte: oaDOI API)
    • Este periódico é de acesso aberto
    • Este artigo é de acesso aberto
    • URL de acesso aberto
    • Cor do Acesso Aberto: gold

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MENDONÇA, Reginaldo Teixeira; ADORNO, Rubens de Camergo Ferreira. A medicalização de conflitos: consumo de ansiolíticos e antidepressivos em grupos populares. 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: < https://teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6136/tde-28092009-164952/pt-br.php > DOI: 10.11606/T.6.2009.tde-28092009-164952.
    • APA

      Mendonça, R. T., & Adorno, R. de C. F. (2009). A medicalização de conflitos: consumo de ansiolíticos e antidepressivos em grupos populares. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de https://teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6136/tde-28092009-164952/pt-br.php
    • NLM

      Mendonça RT, Adorno R de CF. A medicalização de conflitos: consumo de ansiolíticos e antidepressivos em grupos populares [Internet]. 2009 ;Available from: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6136/tde-28092009-164952/pt-br.php
    • Vancouver

      Mendonça RT, Adorno R de CF. A medicalização de conflitos: consumo de ansiolíticos e antidepressivos em grupos populares [Internet]. 2009 ;Available from: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6136/tde-28092009-164952/pt-br.php


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020