Exportar registro bibliográfico

Evolução da microestrutura e da textura durante a laminação a frio e a recristalização de alumínio com diferentes níveis de pureza (2009)

  • Authors:
  • Autor USP: OLIVEIRA, JANAINA DA COSTA PEREIRA TORRES DE - EP
  • Unidade: EP
  • Sigla do Departamento: PMT
  • Subjects: ALUMÍNIO; LAMINAÇÃO; DIFRAÇÃO POR RAIOS X
  • Language: Português
  • Abstract: Foi realizado um estudo comparativo da evolução da microestrutura e da textura cristalográfica entre três alumínios de pureza comercial com diferentes níveis de pureza: 1100 (99,00%), 1050 (99,50%) e 1070 (99,70%) e o alumínio super puro (99,995%). O processamento das amostras de alumínio de pureza comercial foi pelo processo Direct Chill (DC) seguido de laminação a quente das placas para a espessura final de 10 mm e o alumínio super puro foi produzido em laboratório e encontrava-se na forma de blocos no estado "bruto de fundição". Foram utilizadas várias técnicas de análise microestrutural: microscopia óptica convencional, microscopia óptica com luz polarizada, microscopia eletrônica de varredura, microscopia eletrônica de transmissão, medidas de condutividade elétrica e dureza Vickers. Já a evolução da textura do material foi analisada pela técnica de difração de raios X, nos alumínios de pureza comercial e pela técnica de difração de elétrons retroespalhados (EBSD), no alumínio super puro. Foi possível observar nos alumínios de pureza comercial produzidos pelo processo DC, que não há variações da composição química ao longo da espessura, no estado "como recebido" e recozido a 400 °C por 1 e 24 horas, por outro lado a microestrutura no estado "como recebido" variou significativamente. Quanto a distribuição e morfologia dos precipitados, o alumínio 1100 e 1070 no estado como recebido possui uma distribuição de precipitados aglomerados e no alumínio 1050 osprecipitados estão finamente dispersos, característica essa perdida após o recozimento a 400 °C por 1 hora. O alumínio 1100 possui estrutura deformada no estado "como recebido", característica essa perdida após o recozimento a 400 °C por 1 hora. Quanto a análise da textura, na superfície encontrou-se a textura de cisalhamento, devido ao esforço mecânico entre o cilindro de laminação e as amostras, tanto no estado como recebido como após os recozimentos. ) A ¼ da espessura e no centro do material após recozimentos ainda observou-se a textura de cisalhamento, mas também as texturas tipo cubo, cubo rodado e latão. No centro do material permaneceram a textura tipo cubo e latão. Já o alumínio super puro possui uma estrutura grosseira (grãos oligocristalinos) e sem a ocorrência de precipitados e não foi possível obter resultados nas análises de textura, devido ao tamanho de grão grande. Após a laminação a frio com aproximadamente 70% de redução em espessura, seguido de tratamentos isócronos, o alumínio super puro apresentou uma menor temperatura para completa recristalização, em torno de 280 °C, seguido do alumínio 1050 (325 °C) e dos alumínios 1100 e 1070 (ambos, 400 °C). Como as composições químicas das soluções sólidas matrizes são praticamente idênticas, a variação na temperatura de recristalização deve ser atribuída aos precipitados presentes no alumínio que quando distribuídos homogeneamente provocam o ancoramento dos subcontornos, retardando o início darecristalização, o que parece ter ocorrido no alumínio 1050, pois no mesmo o início da recristalização se deu depois. O alumínio 1199 possui uma temperatura para completa recristalização, menor, em relação aos outros alumínios, uma vez que não possui precipitados em sua microestrutura. Quanto a textura, na superfície e a ¼ da espessura, os alumínios de pureza comercial laminados sem tratamento térmico, permaneceram com a textura de cisalhamento encontrada na superfície no estado "como recebido" com o surgimento da textura S. Após o tratamento térmico a 250 °C por 1 hora apareceu a textura Goss e a 350 °C por 1 hora a textura tipo cubo, cubo rodado e cubo ND, lembrando que em ambos os casos a textura de cisalhamento e S permaneceram. ) Com o auxílio da utilização da técnica de difração de elétrons retroespalhados (EBSD), encontrou-se no alumínio super puro, a textura tipo cubo, tanto laminado sem tratamento térmico quanto após os tratamentos, e na temperatura de 350 °C surgiu a textura Goss. Após a laminação a frio com aproximadamente 80% de redução em espessura, seguida de tratamentos isotérmicos, os alumínios de pureza comercial apresentaram uma temperatura para completa recristalização em torno de 350 °C e por meio da técnica de microscopia eletrônica de transmissão observou-se arranjos celulares de discordâncias, mas não foram detectadas diferenças significativas entre esses arranjos apresentados pelos três alumínios. Diferenças certamente existem, mas para seremcaracterizadas é necessário um estudo detalhado com microscopia eletrônica de transmissão. A presença de partículas de compostos intermetálicos foi observada em todas as amostras analisadas, essas partículas são resultado da baixa solubilidade do ferro e do silício no alumínio e formam-se durante as diversas etapas do processamento dos materiais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.04.2009
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVEIRA, Janaina da Costa Pereira Torres de; PADILHA, Angelo Fernando. Evolução da microestrutura e da textura durante a laminação a frio e a recristalização de alumínio com diferentes níveis de pureza. 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-29062009-161502/ >.
    • APA

      Oliveira, J. da C. P. T. de, & Padilha, A. F. (2009). Evolução da microestrutura e da textura durante a laminação a frio e a recristalização de alumínio com diferentes níveis de pureza. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-29062009-161502/
    • NLM

      Oliveira J da CPT de, Padilha AF. Evolução da microestrutura e da textura durante a laminação a frio e a recristalização de alumínio com diferentes níveis de pureza [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-29062009-161502/
    • Vancouver

      Oliveira J da CPT de, Padilha AF. Evolução da microestrutura e da textura durante a laminação a frio e a recristalização de alumínio com diferentes níveis de pureza [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-29062009-161502/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021