Exportar registro bibliográfico

Fatores de stress vivenciados pelos familiares no processo de doação de órgãos e tecidos para transplante (2009)

  • Authors:
  • Autor USP: CINQUE, VALDIR MOREIRA - EE
  • Unidade: EE
  • Sigla do Departamento: ENC
  • Subjects: TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS; MORTE CEREBRAL; ESTRESSE PSICOLÓGICO; FAMÍLIA (PSICOLOGIA)
  • Language: Português
  • Abstract: Os objetivos deste trabalho foram: (1) identificar os estressores vivenciados pelos familiares no processo de doação de órgãos e tecidos para transplante; (2) determinar o momento mais desgastante; (3) identificar as facilidades e dificuldades que os familiares tiveram para decidir sobre a doação e (4) verificar a associação das variáveis de interesse com a experiência dos familiares no processo de doação. A amostra constituiu-se de 16 familiares que realizaram a doação de órgãos na Organização de Procura de Órgãos do Hospital das Clínicas em 2007. As entrevistas foram realizadas nos meses de março a junho de 2008. Para a coleta de dados utilizou-se um instrumento estruturado que constou de duas partes: na primeira, buscaram-se as características sociodemográficas dos familiares, os perfis demográficos e epidemiológicos dos doadores falecidos e na segunda, questões versando sobre a experiência e avaliação dos familiares, desde a internação até a liberação do corpo. Para verificar o grau das associações entre as variáveis de interesse, utilizou-se o coeficiente phi () e o coeficiente de contingência (CC). Os seguintes estressores foram identificados: insatisfação com atendimento prestado à família e ao doador, durante a internação (31,25%); receber a notícia da morte encefálica (ME) de forma intranqüila (62,50%); dificuldades para a tomada de decisão quanto à doação (31,25%); medo e desconfiança de forjar o quadro clínico da ME e a sensação de assinar amorte do familiar (18,75%); não conhecer os receptores dos órgãos (12,50%) e a demora para a liberação do corpo (62,50%). Constatou-se que a liberação do corpo foi o momento mais desgastante vivenciado pelos familiares (31,25%). Os principais facilitadores para a tomada de decisão quanto à doação de órgãos incluíram: o altruísmo e a participação de toda a família favorável (62,50%) e o conhecimento do desejo do doador ) em vida (31,25%). As dificuldades encontradas para decidir pela doação foram: familiares contrários à doação (18,75%), indecisão quanto à ME (12,50%) e nenhuma (68,75%). Na análise estatística, verificou-se associação de fraca à moderada entre as variáveis de interesse e a experiência dos familiares no processo de doação
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.01.2009
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CINQUE, Valdir Moreira; BIANCHI, Estela Regina Ferraz. Fatores de stress vivenciados pelos familiares no processo de doação de órgãos e tecidos para transplante. 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-14052009-092914/ >.
    • APA

      Cinque, V. M., & Bianchi, E. R. F. (2009). Fatores de stress vivenciados pelos familiares no processo de doação de órgãos e tecidos para transplante. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-14052009-092914/
    • NLM

      Cinque VM, Bianchi ERF. Fatores de stress vivenciados pelos familiares no processo de doação de órgãos e tecidos para transplante [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-14052009-092914/
    • Vancouver

      Cinque VM, Bianchi ERF. Fatores de stress vivenciados pelos familiares no processo de doação de órgãos e tecidos para transplante [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-14052009-092914/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021