Exportar registro bibliográfico

Os provérbios utilizados como forma de argumentação nas crônicas de arte (2008)

  • Authors:
  • Autor USP: CôRTES, MARIA TEREZA GUIMARãES - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLM
  • Subjects: PROVÉRBIOS (USO); LÍNGUA FRANCESA; ARGUMENTAÇÃO; RETÓRICA; CRÔNICA
  • Language: Português
  • Abstract: A análise dos provérbios franceses como argumentos requer um estudo prévio de suas origens, de seu papel histórico-cultural e de suas características. Os elementos principais que o diferem de outros gêneros de frase são o seu conteúdo sentencioso, a sua fixação formal que lhe permite ser reconhecido como frase autônoma, a sua natureza implicativa e sua relação com a natureza humana. Os provérbios nos textos atuam principalmente como uma transposição metafórica, mas possuem um duplo valor semântico que permeia entre o sentido hiponímico e o hiperonímico. Além disso, a subjetividade do gênero, permite uma debreagem do EU enunciativo, apoiando-se num enunciador não identificável e em múltiplas enunciações anteriores, constituindo assim um discurso de autoridade, que provém de uma sabedoria anônima incontestada. Todas estas propriedades linguísticas colaboram com a sua força argumentativa. Para a análise do provérbio como forma de argumentação foram utilizadas as três provas da retórica Aristotélica: o ETHOS, considerando o provérbio como elemento simbólico, que constroe o caráter do enunciador apoiando-se na tradição paremíaca, o PATHOS , à partir da hipótese da análise do provérbio como modalidade epistêmica, trabalhando com as supostas lexicalidades que estariam envolvidas na manipulação discursiva entre enunciador e enunciatário e, o LOGOS constituindo à partir das premissas argumentativas uma prova racional, baseada no silogismo e no entimema. O gênero de textoescolhido foi as crônicas de arte onde um provérbio serve como argumento, devido ao seu caráter atemporal, a sua riqueza estilística e a sua importância como meio de comunicação contemporâneo que através da arte contesta e polemiza comportamentos e padrões sociais de uma forma irônica e sutil
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.10.2008
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CÔRTES, Maria Tereza Guimarães; MOUZAT, Alain Marcel. Os provérbios utilizados como forma de argumentação nas crônicas de arte. 2008.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8146/tde-04022009-114358/ >.
    • APA

      Côrtes, M. T. G., & Mouzat, A. M. (2008). Os provérbios utilizados como forma de argumentação nas crônicas de arte. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8146/tde-04022009-114358/
    • NLM

      Côrtes MTG, Mouzat AM. Os provérbios utilizados como forma de argumentação nas crônicas de arte [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8146/tde-04022009-114358/
    • Vancouver

      Côrtes MTG, Mouzat AM. Os provérbios utilizados como forma de argumentação nas crônicas de arte [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8146/tde-04022009-114358/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021