Exportar registro bibliográfico

A lectina artinM é ativa na regeneração do nervo periférico (2008)

  • Authors:
  • Autor USP: SANTOS, ANA PAULA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RNP
  • Subjects: NERVOS PERIFÉRICOS (REGENERAÇÃO); LECTINAS
  • Language: Português
  • Abstract: A capacidade regenerativa do sistema nervoso periférico é conhecida, todavia em lesões onde há grande perda de tecido nervoso, há limitações ou impossibilidade em relação à regeneração. A lectina artinM é capaz de acelerar o processo de regeneração do tecido epitelial. O objetivo do presente estudo foi verificar se a lectina artinM é também ativa na regeneração do tecido nervoso, tendo em vista que se trata de tecido originário do mesmo folheto embrionário (ectoderma) que o tecido epitelial. No presente estudo 10 mm do nervo isquiático de ratas Wistar adultas foram retirados e os cotos proximal e distal suturados em um tubo de silicone. Houve melhor resposta a doses menores de artinM (1 a 5 µg). Não foi observada regeneração com doses de 10, 12 e 24 µg e essa foi precária com doses intermediárias (6 e 8 µg). Os animais foram alocados em 4 grupos, tratados com tubos contendo artinM (1 a 5 µg) em gel de agarose, gel de agarose, 'Matrigel POT. ®' ou artinM + 'Matrigel POT. ®'. Análises macroscópica, histológica e morfométrica foram realizadas 10 semanas tempo de observação associado à regeneração de um número significativo de fibras mielínicas no segmento dista - após a cirurgia. A formação do cabo de tecido entre os cotos foi estatisticamente semelhante entre os grupos artinM e matrigel e entre artinM e artinM + matrigel, assemelhando-se a uma estrutura de nervo normal. Nesses grupos, a análise histológica dos segmentos centrais do tubo revelou uma camadaepi-perineural espessa envolvendo a área endoneural, minifascículos, vários capilares endoneurais em maior número na periferia, fibras mielínicas de vários diâmetros e mastócitos. Os segmentos distais ao tubo foram semelhantes aos nervos normais, porém com bainha de mielina mais fina. Nos segmentos distais, os resultados morfométricos revelaram diferenças significativas (p<0,05) nos diâmetros de axônios e fibras mielínicas, área da bainha de mielina e número de capilares entre os grupos artinM e matrigel, com o grupo artinM mostrando valores mais altos. O número de fibras mielínicas e capilares no segmento distal foi significativamente maior no grupo artinM do que no grupo artinM + matrigel. Não houve regeneração axonal significativa no grupo agarose, tendo havido apenas filamentos ligando os cotos. Os resultados indicam que a lectina artinM é capaz de induzir o crescimento dos componentes do nervo periférico, potencialmente podendo ser usada para a indução de regeneração de nervos no homem
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.12.2008

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANTOS, Ana Paula; BARREIRA, Amilton Antunes. A lectina artinM é ativa na regeneração do nervo periférico. 2008.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2008.
    • APA

      Santos, A. P., & Barreira, A. A. (2008). A lectina artinM é ativa na regeneração do nervo periférico. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Santos AP, Barreira AA. A lectina artinM é ativa na regeneração do nervo periférico. 2008 ;
    • Vancouver

      Santos AP, Barreira AA. A lectina artinM é ativa na regeneração do nervo periférico. 2008 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021