Exportar registro bibliográfico

Negros na Mata Atlântica, territórios quilombolas e a conservação da natureza (2008)

  • Authors:
  • Autor USP: SILVA, SIMONE REZENDE DA - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLG
  • Subjects: QUILOMBOS (HISTÓRIA); MEIO AMBIENTE (PRESERVAÇÃO)
  • Language: Português
  • Abstract: A Mata Atlântica é uma das florestas tropicais mais importantes do mundo, rica em biodiversidade e em sociodiversidade. Contudo, é também uma das mais ameaçadas, tendo sido consumida no processo de conquista e desenvolvimento do Brasil, atualmente restam apenas 7,3% de sua área original, distribuídos em alguns contínuos e fragmentos ao longo da costa atlântica. Durante esse processo de consumo das florestas atlânticas, muitas foram as populações tradicionais, entre as quais quilombolas, que buscaram as fronteiras florestais e desenvolveram aí modos de vida mais integrados aos sistemas naturais e estabeleceram segmentos da sociedade culturalmente diferenciados. Esta pesquisa procurou ressaltar a importância destes remanescentes florestais atlânticos, bem como os processos que levaram à sua quase total destruição, além ainda de analisar o papel das populações tradicionais, especificamente das populações quilombolas para a manutenção desses remanescentes, pois se verifica que boa parte dos contínuos florestais ou dos pequenos fragmentos que ainda compõem a Mata Atlântica são sobrepostos aos territórios de muitas populações rurais negras, quilombolas. Afirma-se nesta pesquisa que esta sobreposição não se trata de mero acaso, mas sim o resultado de um processo histórico que marginalizou populações negras e fez muitas dessas buscarem abrigo e se fixarem em zonas afastadas dos incipientes centros urbanos ou das grandes monoculturas que substituíram as florestasnativas. E que são estas populações, em grande parte, responsáveis pela existência e manutenção da Mata Atlântica restante no país. A pesquisa procedeu ao estudo de três comunidades quilombolas em distintas regiões de nosso litoral (Mandira em São Paulo, São Jorge no Espírito Santo e Povoação de São Lourenço em Pernambuco), que embora diferenciadas em seus contextos ecológicos, históricos e culturais, tinham em comum ) os conflitos territoriais, ou seja, a luta para manutenção ou reconquista de seus territórios no domínio da Mata Atlântica, o que nos permitiu uma amostragem diversificada das paisagens atlânticas e também de medidas conciliatórias entre a permanência das populações em seus territórios e a conservação da natureza.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.08.2008
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Simone Rezende da; FURLAN, Sueli Angelo. Negros na Mata Atlântica, territórios quilombolas e a conservação da natureza. 2008.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8135/tde-27112008-170206/ >.
    • APA

      Silva, S. R. da, & Furlan, S. A. (2008). Negros na Mata Atlântica, territórios quilombolas e a conservação da natureza. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8135/tde-27112008-170206/
    • NLM

      Silva SR da, Furlan SA. Negros na Mata Atlântica, territórios quilombolas e a conservação da natureza [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8135/tde-27112008-170206/
    • Vancouver

      Silva SR da, Furlan SA. Negros na Mata Atlântica, territórios quilombolas e a conservação da natureza [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8135/tde-27112008-170206/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021