Exportar registro bibliográfico

Fornecimento de uréia na dieta de catetos (Pecari tajacu) e uso de isótopo estável 15N como marcador para estimativa da síntese de nitrogênio microbiano (2008)

  • Authors:
  • Autor USP: MENDES, ALCESTER - CENA
  • Unidade: CENA
  • Subjects: ANIMAIS SILVESTRES; FISIOLOGIA ANIMAL; NUTRIÇÃO ANIMAL
  • Language: Português
  • Abstract: A utilização racional da fauna silvestre é um processo benéfico, por resultar em vantagens econômicas e sociais, e ao mesmo tempo auxiliar no processo de conservação das espécies silvestres. Entre as espécies silvestres brasileiras com potencial zootécnico, destaca-se o cateto (Pecari tajacu), um animal que consome diversos tipos de alimentos e que produz carne e couro com elevada demanda nos mercados nacional e internacional, respectivamente. Uma característica desta espécie é a presença de um pré-estômago, onde ocorre fermentação microbiana que confere a esta espécie capacidade para digerir alimentos volumosos. Objetivou- se com o presente trabalho: (i) medir a capacidade digestiva usando doses crescentes de uréia como fonte de nitrogênio não protéico (NNP) na dieta de catetos; (ii) avaliar a eficiência da microbiota do pré-estômago de catetos em proceder à fermentação anaeróbica da dieta, através da técnica de produção de gases para diferentes doses de uréia; (iii) estimar a síntese de nitrogênio microbiano in vitro utilizando o isótopo estável 15N como marcador continua ...) O trabalho foi dividido em três capítulos. No primeiro foi utilizado delineamento com distribuição inteiramente aleatória, no qual as possíveis seqüências dos tratamentos (doses de uréia: 0,0; 1,0; 1,5; 2,0 %) foram atribuidas aleatoriamente em cinco ensaios com quatro animais cada. No segundo e terceiro capítulos, o delineamento empregado foi com distribuição inteiramentealeatória em arranjo fatorial 4 X 2, no qual foram utilizados quatro doses de uréia, duas fontes de inóculo (espécie animal: cateto e ovino) e cinco repetições. Os resultados para digestibilidade da MS, PB e FDN não foram influenciados (P>0,05) pelas doses de uréia, contudo, podem ter proporcionado incremento na síntese microbiana melhorando a digestibilidade da fibra. O BN cresceu linearmente com o incremento das doses de uréia (R2 = 0,97), apresentando retenção de 8,95 g dia-1 de N para maior dose e 5,22 g dia-1 de N para a dieta sem uréia, não havendo efeito significativo (P>0,01) para as perdas de N fecal e urinário. No segundo trabalho, houve produção de gases (197 mL g-1 MS) utilizando inóculo de cateto, contudo, não apresentou correlação com os tratamentos. A digestibilidade da MS (MSD), MC (MCD) e FDN (FDND) e a produção de gases em função da MSD, MCD e FDND apresentaram diferença significativa (P<0,01) para os tratamentos, havendo crescimento linear (P>0,01) para digestibilidade de FDN (R2 = 0,50) e regressão linear inversa para produção de gases em função da FDND (R2 = 0,51) continua... ) A produção de gás metano em função da MS, MC, MSD e MOD utilizando inóculo de cateto, apresentou diferença significativa (P<0,01) para os tratamentos, porém com baixo coeficiente de correlação entre as doses crescentes de uréia. A síntese de nitrogênio microbiano para o inóculo de cateto, não apresentou efeito significativo (P>0,05) para os tratamentos. Aprodução de nitrogênio amoniacal foi significativa (P<0,01) para as diferentes doses de uréia com ajuste de regressão linear aditiva (R2 = 0,50). A produção de gases mostra que a dieta concentrada foi degradada devido à presença de microrganismos no inóculo de cateto. Estes microrganismos foram capazes de hidrolisar a uréia em amônia e esta, por sua vez, convertida em compostos nitrogenados para síntese microbiana, mostrando a eficiência da fisiologia digestiva deste animal no aproveitamento do NNP. Além disso, os resultados in vivo indicam que o pré-estômago dos catetos foi capaz de utilizar uréia como fonte NNP, podendo substituir parte da proteína dietética em sua alimentação
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.10.2008

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MENDES, Alcester; ABDALLA, Adibe Luiz. Fornecimento de uréia na dieta de catetos (Pecari tajacu) e uso de isótopo estável 15N como marcador para estimativa da síntese de nitrogênio microbiano. 2008.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2008.
    • APA

      Mendes, A., & Abdalla, A. L. (2008). Fornecimento de uréia na dieta de catetos (Pecari tajacu) e uso de isótopo estável 15N como marcador para estimativa da síntese de nitrogênio microbiano. Universidade de São Paulo, Piracicaba.
    • NLM

      Mendes A, Abdalla AL. Fornecimento de uréia na dieta de catetos (Pecari tajacu) e uso de isótopo estável 15N como marcador para estimativa da síntese de nitrogênio microbiano. 2008 ;
    • Vancouver

      Mendes A, Abdalla AL. Fornecimento de uréia na dieta de catetos (Pecari tajacu) e uso de isótopo estável 15N como marcador para estimativa da síntese de nitrogênio microbiano. 2008 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021