Exportar registro bibliográfico

A origem da corrente do Brasil (2008)

  • Authors:
  • Autor USP: SOUTELINO, RAFAEL GUARINO - IO
  • Unidade: IO
  • Sigla do Departamento: IOF
  • Subjects: CORRENTES MARINHAS; CORRENTES MARINHAS; OCEANOGRAFIA FÍSICA
  • Language: Português
  • Abstract: A Corrente do Brasil (CB) se origina na bifurcação da Corrente Sul Equatorial (BiCSE), e flui para o sul ao longo da margem continental brasileira. Inferências sobre a origem e organização da CB são baseadas em padrões de grande escala associados à estrutura da BiCSE. Há carência de detalhes no que tange à rica atividade de mesoescala possivelmente envolvida em seu processo de formação. São fartas as evidências de meandros e vórtices da CB na literatura ao largo das costas sudeste e sul do Brasil. A costa leste, que abriga seu sítio de origem, permanece ainda bastante desconhecida neste ponto de vista. Motivamo-nos por esta lacuna de informações a conduzir este trabalho. Optamos primeiramente por estimar um cenário médio do escoamento geostrófico associado a BiCSE e origem da CB no período de verão, através de um conjunto de dados termohalinos climatológicos. Objetivamos por fim, obter uma descrição sinótica do escoamento geostrófico associado ao sítio de origem da CB. Para tanto, dispomos de um conjunto de dados composto por amostragem quase-sinótica de dados termohalinos (via CTD) e de velocidade (via ADCP de casco) simultaneamente, entre os paralelos de 10'GRAUS'S E 20'GRAUS'S. Tais observações são oriundas da Operação Oceano Leste II (OEII), realizada pela Marinha do Brasil em março de 2005. Conduzimos a investigação a partir de um método científico que entendemos não ter sido ainda empregado para os escoamentos ao largo da costa brasileira. Tal método consiste noMétodo Dinâmico Referenciado, que combina dados termohalinos e de velocidades observadas para estimar velocidades geostróficas absolutas, que são livres da dependência de um nível de movimento nulo imposto pelo Método Dinâmico Clássico. Este método substitui o nível de movimento nulo por um nível de velocidades conhecidas, que correspondem às velocidades medidas diretamente pelo ADCP de acaso. Encontramos para o cenário climatológico de verão, a assinatura da BiCSE em 9'GRAUS'S para superfície, em 12'GRAUS'S para 200 m, em 20'GRAUS'S para 500 m e em 23'GRAUS'S para 800 m. Confirmamos informações da literatura sobre sua migração meridional com o aumento da profundidade. Identificamos também o cenário médio de origem e organização da CB e da Sub-corrente Norte do Brasil (SNB) nos níveis citados, os quais subsidiarão a análise dos campos sinóticos. Os campos sinóticos confirmaram os resultados médios da climatologia. Em superfície, não observamos sinais da BiSCE no interior da área de estudo, e mostramos que na ocasião da OEII, a CB se origina ao norte de 10'GRAUS'S e começa sua organização ainda distante da margem continental. Em 150 m, identificamos a assinatura da BiSCE em 14,5'GRAUS'S, e em 500 m, em 20'GRAUS'S. Sugerimos então que a origem da CB enquanto corrente de contorno oeste, fluindo junto à margem continental leste brasileira, se localiza em 14,5'GRAUS'S. Concluindo, a CB se organiza ao norte de 10'GRAUS'S e flui distante da margemcontinental como uma corrente fraca e rasa, atingindo no máximo os 100 primeiros metros de profundidade. Esta corrente atinge o contorno oeste em 14,5'GRAUS'S e flui em direção ao sul seguindo as isobatimétricas. Ao longo deste caminho, apresenta meandros vigorosos, em particular, anticiclones. Estes anticiclones parecem estar associados a feições topográficas relevantes da área tais quais os Bancos de Royal Charlotte e de Abrolhos. As velocidades da CB aumentam em intensidade e a corrente ganha espessura vertical até 20'GRAUS'S. A SNB parece se originar em 20'GRAUS'S, com núcleo situado em 700 m. Esta corrente segue viagem rumo ao norte de forma que seu núcleo se torna cada vez mais raso, e suas velocidades cada vez maiores, até deixar o domínio em 10'GRAUS'S. Nesta latitude, seu núcleo se localiza a 250 m de profudidade
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.07.2008
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SOUTELINO, Rafael Guarino; SILVEIRA, Ilson Carlos Almeida da. A origem da corrente do Brasil. 2008.Universidade de São Paulo, São Paulo, BSP, 2008. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/21/21132/tde-22092009-153607/ >.
    • APA

      Soutelino, R. G., & Silveira, I. C. A. da. (2008). A origem da corrente do Brasil. Universidade de São Paulo, São Paulo, BSP. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/21/21132/tde-22092009-153607/
    • NLM

      Soutelino RG, Silveira ICA da. A origem da corrente do Brasil [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/21/21132/tde-22092009-153607/
    • Vancouver

      Soutelino RG, Silveira ICA da. A origem da corrente do Brasil [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/21/21132/tde-22092009-153607/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021