Exportar registro bibliográfico

Análise longitudinal do impacto do sedentarismo na incidência de doenças crônicas, incapacidades e ocorrência de óbitos: estudo sabe-saúde, bem estar e envelhecimento (2008)

  • Authors:
  • Autor USP: PAES, JOELMA DE OLIVEIRA - EE
  • Unidade: EE
  • Sigla do Departamento: ENC
  • Subjects: ENVELHECIMENTO; SEDENTARISMO; DOENÇA CRÔNICA
  • Language: Português
  • Abstract: O envelhecimento populacional é um acontecimento mundial sem precedentes que atinge tanto os países desenvolvidos como os em desenvolvimento. O aumento da proporção de idosos e as mudanças no padrão de morbi-mortalidade foram fatores que contribuiram com a alta prevalência das doenças crônicas não-transmissíveis (DCNTs). Estas são caracterizadas pela presença de incapacidade residual, mudança patológica irreversível, necessidade de reabilitação e supervisão de cuidados. Acredita-se que as DCNTs tenham associação com a presença de hábitos de vida inadequados, como o tabagismo, a dieta inadequada, o consumo excessivo de álcool e sedentarismo. Este estudo teve como objetivos traçar o perfil das pessoas idosas sedentárias residentes no Município de São Paulo, durante 2000 e verificar nesse grupo o impacto do sedentarismo na incidência de doenças crônicas em 2006, na incidência de incapacidades em 2006 e na ocorrência de óbitos no período de 2000 a 2006. Este estudo é parte do Estudo SABE-Saúde, Bem-estar e Envelhecimento e caracteriza-se como uma pesquisa longitudinal, exploratória, descritiva retrospectiva e com abordagem quantitativa. Para verificar a incidência de doenças crônicas e de incapacidades fizeram parte da amostra idosos que referiram não ter nenhuma doença crônica e nenhuma incapacidade no momento da entrevista em 2000 e idosos que referiam presença ou não de doença crônica e incapacidade em 2006. Para análise do impacto do sedentarismo sobrea mortalidade, foram considerados os idosos sedentários ou não em 2000 e que morreram entre as duas coletas de dados. Verifica-se que 73,5% dos idosos com 60 anos ou mais no Município de São Paulo são sedentários, sendo este comportamento mais prevalente com o avançar da idade, no sexo feminino, baixo nível de escolaridade e menor renda. A incidência de doença crônica em 2006 não teve associação significativa com o sedentarismo dentre as variavéis analisadas. Mas, verifica-se que o sedentarismo aumenta o risco de incapacidades em uma RRR de 1,8, a idade (80 anos e mais) aumenta o risco nas ABVDs em RRR de 5,96 e o sexo masculino é fator de proteção por RRR de 0,46. Verificou-se também que o sedentarismo aumenta o risco de óbito em uma RRR de 2,35. Os resultados encontrados neste estudo reforçam a importância de implementar ações específicas a esta população e divulgação do impacto do sedentarismo para uma sobrevida livre de incapacidades e/ou prevenção de mortes precoces.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 30.05.2008

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PAES, Joelma de Oliveira; DUARTE, Yeda Aparecida de Oliveira. Análise longitudinal do impacto do sedentarismo na incidência de doenças crônicas, incapacidades e ocorrência de óbitos: estudo sabe-saúde, bem estar e envelhecimento. 2008.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.
    • APA

      Paes, J. de O., & Duarte, Y. A. de O. (2008). Análise longitudinal do impacto do sedentarismo na incidência de doenças crônicas, incapacidades e ocorrência de óbitos: estudo sabe-saúde, bem estar e envelhecimento. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Paes J de O, Duarte YA de O. Análise longitudinal do impacto do sedentarismo na incidência de doenças crônicas, incapacidades e ocorrência de óbitos: estudo sabe-saúde, bem estar e envelhecimento. 2008 ;
    • Vancouver

      Paes J de O, Duarte YA de O. Análise longitudinal do impacto do sedentarismo na incidência de doenças crônicas, incapacidades e ocorrência de óbitos: estudo sabe-saúde, bem estar e envelhecimento. 2008 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021