Exportar registro bibliográfico

Neurocognição e identificação de emoções faciais em pacientes esquizofrênicos refratários, não-refratários e familiares de primeiro-grau (2008)

  • Authors:
  • Autor USP: SOUSA, JOÃO PAULO MACHADO DE - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RNP
  • Subjects: ESQUIZOFRENIA; COGNIÇÃO; EMOÇÕES; FAMÍLIA
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução e justificativa: A esquizofrenia é um transtorno psiquiátrico caracterizado, dentre outros sintomas, por progressiva deterioração neurocognitiva e desajustamento social. A pesquisa na área sugere que os problemas de adaptação na esquizofrenia podem estar relacionados a prejuízos no processamento de informações emocionais no ambiente. Supostamente, versões atenuadas destes prejuízos estariam presentes também em familiares em primeiro grau de portadores desta condição. As características da esquizofrenia são mais intensas em uma parcela de pacientes designados como refratários ao tratamento medicamentoso com os assim chamados antipsicóticos típicos, correspondente a entre 20% e 30% de todas as pessoas afetadas. Resultados de estudos recentes têm demonstrado efeitos significativos do medicamento clozapina -indicado para o tratamento da esquizofrenia refratária -sobre a neurocognição, mas não há estudos sobre os efeitos desta droga na identificação de emoções faciais. Objetivos: Comparar o desempenho de pacientes refratários e responsivos ao tratamento medicamentoso em testes neurocognitivos e em uma tarefa de identificação de emoções faciais, envolvendo ainda grupos de familiares destes pacientes e voluntários saudáveis. Método: O estudo contou com a participação de um total de 120 pessoas, divididas em "' oito grupos de 15 integrantes: (1) esquizofrênicos refratários em uso de clozapina, (2) esquizofrênicos não-refratários em uso de outrosantipsicóticos, (3) familiares de pacientes refratários, (4) familiares de pacientes não-refratários e voluntários saudáveis pareados um a um com cada um dos grupos anteriores. O procedimento experimental para todos os participantes consistiu de avaliação clínica, testes cognitivos e tarefa de ídentificação de emoções faciais. Resultados: Ambos os grupos de pacientes tiveram desempenho prejudicado no reconhecimento de expressões emocionais e nos testes cognitivos. Pacientes refratários em tratamento com clozapina consumiram mais tempo para a execução da tarefa, sem apresentarem, no entanto, número de erros significativamente maior que o do grupo controle. Pacientes não-refratários, embora não apresentando dilatação no tempo de reação, foram menos precisos no reconhecimento das emoções e tiveram pior desempenho nos testes cognitivos. A performance no teste de identificação de emoções se correlacionou com o desempenho nos testes cognitivos e com os escores da P ANSS e da BPRS. Os grupos de familiares não apresentaram diferenças significativas em relação aos voluntários saudáveis na tarefa de reconhecimento de emoções, embora os familiares de pacientes refratários apresentassem desempenho prejudicado no teste de memória operativa. Conclusão: Tanto os esquizofrênicos refratários como os não-refratários possuem déficits para o reconhecimento de expressões faciais de emoção. A clozapina parece ser capaz de melhorar o desempenho cognitivode pacientes refratários, o que aparentemente refletiu em maior precisão na identificação de emoções. Os resultados não são suficientes para sustentar que fantiliares de pacientes com esquizofrenia apresentam déficits nesta função
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 09.09.2008

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SOUSA, JoãoPaulo Machado de; HALLAK, Jaime Eduardo Cecílio. Neurocognição e identificação de emoções faciais em pacientes esquizofrênicos refratários, não-refratários e familiares de primeiro-grau. 2008.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2008.
    • APA

      Sousa, J. P. M. de, & Hallak, J. E. C. (2008). Neurocognição e identificação de emoções faciais em pacientes esquizofrênicos refratários, não-refratários e familiares de primeiro-grau. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Sousa JPM de, Hallak JEC. Neurocognição e identificação de emoções faciais em pacientes esquizofrênicos refratários, não-refratários e familiares de primeiro-grau. 2008 ;
    • Vancouver

      Sousa JPM de, Hallak JEC. Neurocognição e identificação de emoções faciais em pacientes esquizofrênicos refratários, não-refratários e familiares de primeiro-grau. 2008 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021