Exportar registro bibliográfico

O que não tem remédio, remediado está: medicalização da vida e algumas implicações da presença do saber médico na educação (2008)

  • Authors:
  • Autor USP: GUARIDO, RENATA LAURETTI - FE
  • Unidade: FE
  • Sigla do Departamento: EDF
  • Subjects: EDUCAÇÃO; MEDICINA; PSICANÁLISE; SUBJETIVIDADE; MEDICALIZAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: O presente estudo discute a medicalização dos discursos escolares. A pesquisa buscou evidenciar que a medicalização dos discursos escolares ganha novos contornos a partir do desenvolvimento das pesquisas em biologia e neurociências (desde a segunda metade do século XX), bem como discute o uso cada vez maior de medicações, especialmente as psiquiátricas, no mundo contemporâneo. Evidencia que a descrição dos fenômenos humanos em termos de seu funcionamento orgânico contribui para a naturalização das experiências escolares, bem como para sua patologização. O trabalho aponta que as propostas higienistas do inicio do século XX levaram a um controle disciplinar e uma moralização das práticas de educação, tanto escolares como familiares. Na atualidade, no entanto, a difusão das pesquisas da área médica em neurociências - que buscam no funcionamento cerebral os fundamentos da aprendizagem e as explicações dos sofrimentos psíquicos - determina outro panorama para o que se tem chamado de medicalização do discurso escolar. Para tratar das formas assumidas hoje pela medicalização, este estudo investiga a difusão do saber médico ao longo da modernidade, tomando por referência os estudos de Foucault sobre as práticas disciplinares e sobre o Bio-poder. Além da revisão teórica, este estudo analisa a produção de um veículo da mídia dirigida aos professores, a revista Nova Escola (Editora Abril), buscando evidenciar como o saber médico está presente na informaçãoatualmente oferecida a esses profissionais. A análise da produção da revista permitiu reconhecer que tais informações têm aderido a uma descrição biológica dos fenômenos humanos e a uma decifração do processo de aprendizagem em termos do funcionamento cerebral. Além disso, instrumentos de diagnóstico médico passam a ser oferecidos como informação necessária para que o professor possa identificar as problemáticas apresentadas ) pelas crianças na escola. Observa-se, assim, uma demanda social de que o professor seja uma extensão do especialista no interior da escola. Na conclusão do trabalho, discutem-se algumas das possíveis implicações que a presença atual do saber médico no discurso pedagógico tem para a educação. Tal discussão está fundamentada na análise de Hannah Arendt sobre as transformações no campo da política e do espaço público no mundo moderno, bem como em algumas contribuições da psicanálise para pensar a crise na educação na atualidade. Salienta-se a desresponsabilização dos adultos pela dimensão formativa da educação e a outorga de poder aos remédios como recurso para dar conta da tarefa educacional no mundo contemporâneo.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 31.03.2008
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GUARIDO, Renata Lauretti; VOLTOLINI, Rinaldo. O que não tem remédio, remediado está: medicalização da vida e algumas implicações da presença do saber médico na educação. 2008.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-16062008-140514/ >.
    • APA

      Guarido, R. L., & Voltolini, R. (2008). O que não tem remédio, remediado está: medicalização da vida e algumas implicações da presença do saber médico na educação. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-16062008-140514/
    • NLM

      Guarido RL, Voltolini R. O que não tem remédio, remediado está: medicalização da vida e algumas implicações da presença do saber médico na educação [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-16062008-140514/
    • Vancouver

      Guarido RL, Voltolini R. O que não tem remédio, remediado está: medicalização da vida e algumas implicações da presença do saber médico na educação [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-16062008-140514/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021