Exportar registro bibliográfico

Lipídios, carboidratos e proteínas de sementes de leguminosas do cerrado (2008)

  • Authors:
  • Autor USP: SASAKI, MAYUMI - IB
  • Unidade: IB
  • Sigla do Departamento: BIB
  • Subjects: LIPÍDEOS; LEGUMINOSAE; PROTEÍNAS; CERRADO
  • Language: Português
  • Abstract: O cerrado é o segundo maior bioma do país, ocupando em torno de 20 a 25% do território brasileiro, sendo detentor de grande diversidade vegetal. Entretanto, agressões a áreas de cerrado vêm ocorrendo em escala crescente, o que torna urgente estudos detalhados sobre espécies representativas do bioma. O objetivo deste trabalho foi o de analisar o conteúdo de nutrientes orgânicos das sementes de leguminosas, uma das famílias de maior riqueza no cerrado. Foram analisados lipídios, carboidratos e proteínas de oito espécies: Acosmium subelegans, Anadenanthera peregrina var. falcata, Andira laurifolia, Copaifera langsdorfii, Crotalaria flavicoma, Dimorphandra mollis, Hymenaea stigonocarpa e Inga uraguensis. Em geral, as amostras apresentaram baixos teores de lipídios (aproximadamente 5%) e a composição de ácidos graxos mostrou predominância do ácido linoléico na maioria das espécies e também uma tendência a alta proporção de ácidos graxos saturados, principalmente ácido palmítico. A espécie com maior teor foi Acosmium subelegans (13%), que apresentou valor comparável ao de semente de lupino e sua composição de ácidos graxos é similar aos de óleos de girassol, gergelim e milho. As espécies apresentaram teores consideráveis de açúcares solúveis totais (5-10%). Os rendimentos de amido foram baixos (inferior a 1%), com exceção de Inga uraguensis (17,86%) e Andira laurifolia (56,27%). Esta última apresentou valores similares aos de espécies comumenteutilizadas na alimentação, como feijões, ervilha e lentilha. Foram obtidos teores de proteínas de 9 a 30% e as espécies com maiores valores foram Crotalaria flavicoma (25%), Acosmium subelegans (28,34%) e Anadenanthera peregrina var. falcata (30,35%). Essas três espécies possuem teores semelhantes e até superiores aos de algumas leguminosas, como feijão comum, lentilha, ervilha e amendoim, embora seja inferior ao da soja. ) Entretanto, em Leguminosae é freqüente a presença de diversos fatores anti-nutricionais e tóxicos, que devem ser avaliados antes de se sugerir uma potencial utilização das sementes dessas espécies na alimentação humana e de animais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 18.04.2008
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SASAKI, Mayumi; SALATINO, Antonio. Lipídios, carboidratos e proteínas de sementes de leguminosas do cerrado. 2008.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-11062008-231448/ >.
    • APA

      Sasaki, M., & Salatino, A. (2008). Lipídios, carboidratos e proteínas de sementes de leguminosas do cerrado. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-11062008-231448/
    • NLM

      Sasaki M, Salatino A. Lipídios, carboidratos e proteínas de sementes de leguminosas do cerrado [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-11062008-231448/
    • Vancouver

      Sasaki M, Salatino A. Lipídios, carboidratos e proteínas de sementes de leguminosas do cerrado [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-11062008-231448/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021