Exportar registro bibliográfico

Evolução estrutural brasiliana da Província Borborema na região de Campina Grande (PB) (2008)

  • Authors:
  • Autor USP: RODRIGUES, SERGIO WILIANS DE OLIVEIRA - IGC
  • Unidade: IGC
  • Sigla do Departamento: GMG
  • Subjects: GEOCRONOLOGIA; MAPEAMENTO GEOLÓGICO; GEOLOGIA ESTRUTURAL
  • Language: Português
  • Abstract: O mapeamento sistemático da folha Campina Grande (1:100.000) apresenta grande importância no entendimento das relações estruturais e geocronológicas dos terrenos que constituem a Zona Transversal da Província Borborema (porção nordeste da Plataforma Sul Americana). Sendo que a área abrangida pelo mapeamento sistemático realizado apresentou-se como um excelente laboratório para aplicação de técnicas clássicas e modernas na área de geologia estrutural. Neste trabalho, buscou-se o desenvolvimento e adequação das técnicas de análise de orientação preferencial de forma (OPF) na caracterização principalmente de tramas minerais em rocha granítica. Também foram utilizadas técnicas e métodos referentes a análise de suscetibilidade magnética (ASM), tramas de eixo de quartzo e a utilização de mapeamento isotópico de Nd. O mapeamento sistemático, juntamente com a análise estrutural e cinemática caracterizou na área de estudo uma série de zonas de cisalhamento verticais de direção NW destrais e de direção NE sinistrais que formam um sistema conjugado situado no segmento oriental do Lineamento Patos (Província Borborema), a qual é aqui denominado "Sistema de Cisalhamento Campina Grande". As zonas de cisalhamento que compõem o "Sistema de Cisalhamento de Campina Grande" apresentam forte influência na colocação dos plútons graníticos da Zona Transversal. Os estudos de anisotropia de suscetibilidade magnética (ASM) e análise de orientação preferencial de forma em tramasminerais (OPF) ressaltam a influência destas zonas no alojamento dos corpos graníticos regionais, principalmente nos Plútons de Campina Grande e Serra Redonda. O estudo da trama de eixos-c de quartzo nos milonitos do "Sistema de Cisalhamento de Campina Grande" nas faixas quartzozas confinadas na foliação milonítica é consistente com diferentes critérios cinemáticos verificados em meso- e macroescala. As tramas podem ser descritas por guirlandas simples ou ) cruzadas relacionadas a ativações combinada dos sistemas de deslizamento basal e romboédrico sob temperatura baixa a moderada (300 a 600° C). As microestruturas são típicas de deformação dúctil do quartzo associado recristalização dinâmica, enquanto no K-feldspato predomina o microfraturamento. O sistema transcorrente conjugado é resultante de esforços compressivos de direção NNW-SSE, que também são responsáveis pelo cavalgamento do embasamento Paleoproterozóico sobre o plúton granítico Brasiliano da Serra Redonda. A progressão e localização da deformação mantiveram a cinemática regional consistente até os estágios tardios da deformação finita registrada em ultramilonitos. O "Sistema de Cisalhamento de Campina Grande" apresenta seu período principal de evolução situado no intervalo de 590 a 570 Ma que é associado a intenso magmatismo granítico. E representa o produto da interação dos segmentos crustais da Zona Transversal possivelmente associado a eventos transpressivos. Os segmentos crustais que compõem aZona Transversal apresentam assinaturas isotópicas distintas de Sm-Nd (relacionada aqui como Grupo I e II). O primeiro padrão reconhecido (Grupo I) é caracterizado em gnaisses de origem supracrustal e ortognaisses graníticos pertencentes ao Terreno Alto Pajeú (TAP) que exibem assinatura isotópica com idades 'T IND. DM'2,0 a 1,0 Ga e 'épsilon'Nd(0) com valores no geral menores que -20,0 e razões 'Sm POT. 147'/'Nd POT. 144' maiores que 0,12. O outro padrão isotópico (Grupo II) apresenta uma assinatura com idades 'T IND. DM' paleoproterozóicas a arqueanas (2,0 a 3,0 Ga), 'épsilon IND. Nd'(0) com valores entre -20,0 e -35,0, razões 'Sm POT. 147'/'Nd POT. 144' concentrada no intervalo de 0,08 e 0,12 e é associado as rochas do Terreno Alto Moxotó (supracrustais e ortognaisses diversos). Os valores de 'épsilon''ND IND. (950) no TAP apresentam uma variação entre -4,19 a +0,03, o que sugere uma ) considerável contribuição de materiais/fontes juvenis na formação das rochas deste terreno. Já no TAM os valores de 'épsilon''ND IND. (2000)' para o TAM variam de -11,28 a +1.73. Os valores positivos de 'épsilon''Nd IND. (2000)' também sugerem a contribuição de materiais/fontes juvenis na formação das rochas deste terreno. Já os valores negativos sugerem retrabalhamento de fontes crustais arqueanas. As assinaturas isotópicas dos dois eventos acrescionais de crostas são observadas nas intrusões graníticas da Zona Transversal, o que indica as contribuições dos Terrenos AltoMoxotó e Alto Pajeú como fonte crustais para o magmatismo regional. Os granitos também apresentam forte relação com fontes associadas à fusão de crosta continental. As idades U/Pb delimitam três principais períodos de magmatismo (cristalização de rocha) nos períodos de 2100 Ma, 950 Ma e 560 Ma na Zona Transversal na área de estudo. Os dois primeiros períodos são associados aos eventos de acresção e geração de crosta no Paleoproterozóico e no Eoneoproterozóico. E o último associado ao magmatismo brasiliano das intrusões graníticas. Estes eventos também são registrados pelos dados isotópicos Rb-Sr, que se alinham às retas de regressão de referência de 2100 Ma, 950 Ma e 560 Ma. Os dados Rb-Sr refletem a homogeneização isotópica nestes períodos, ou por eventos magmáticos ou por metamorfismo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.05.2008
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RODRIGUES, Sérgio Wilians de Oliveira; BRITO NEVES, Benjamim Bley de. Evolução estrutural brasiliana da Província Borborema na região de Campina Grande (PB). 2008.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-18082008-144145/ >.
    • APA

      Rodrigues, S. W. de O., & Brito Neves, B. B. de. (2008). Evolução estrutural brasiliana da Província Borborema na região de Campina Grande (PB). Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-18082008-144145/
    • NLM

      Rodrigues SW de O, Brito Neves BB de. Evolução estrutural brasiliana da Província Borborema na região de Campina Grande (PB) [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-18082008-144145/
    • Vancouver

      Rodrigues SW de O, Brito Neves BB de. Evolução estrutural brasiliana da Província Borborema na região de Campina Grande (PB) [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-18082008-144145/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021