Exportar registro bibliográfico

Estudos Comportamentais e Bioquímicos em Camundongos Geneticamente Modificados para a Proteína Príon Celular (2007)

  • Authors:
  • Autor USP: SOARES, BRUNO LOBÃO - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RNP
  • Subjects: ANSIEDADE (ESTUDO); COMPORTAMENTO; NEUROBIOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: A Proteína príon cellular (‘PrP POT. C’) é uma sialoglicoproteína ancorada à superfície celular, cuja forma patológica transmissível (‘PrP POT. SC’, de seqüência de aminoácidos idêntica, mas diferente na estrutura secundária) está ligada a doenças priônicas transmissíveis, como as encefalopatias espongiformes (Creutzfeldt-Jakob, scrapie, "doença da vaca louca"). A ‘PrP POT. C’ é transcrita por um gene específico, o Prnp. A fim de entender aspectos patológicos das doenças priônicas, é necessário formar uma base sólida de conhecimentos sobre o papel fisiológico e fisiopatológico da isoforma celular, que é normalmente expressa no tecido nervoso de espécies vertebradas. Os camundongos geneticamente modificados que não expressam a ‘PrP POT. C’ foram gerados há uma década atrás, e representaram um importante avanço no estudo das funções da proteína priônica. Estes animais foram descritos por apresentar modificações comportamentais no que concerne à susceptibilidade à crises epileptiformes, alterações no ciclo circadiano, formação de memórias, e apresentam um maior índice de estresse oxidativo cerebral e uma menor tendência a comportamentos relacionados à ansiedade após serem submetidos a estímulos estressores. Neste trabalho, em comparações com camundongos controles da cepa selvagem (WT) de mesma origem genética, foram testados animais nocautes para ‘PrP POT. C’ (KO) e animais que superexpressam a proteína (Tg-20) em uma série de tarefas a fim de avaliar umapossível influência da proteína priônica em parâmetros de ansiedade (labirinto em cruz elevado), equilíbrio (no aparato de rota-rod) e locomoção (teste de campo aberto). Em um outro protocolo experimental estas cepas de animais foram utilizados a fim de avaliar uma possível modulação exercida pela ‘PrP POT. C’ em um modelo de confronto entre presa e predador utilizando a serpente predadora de roedores brasileira Oxyrophus guibei. Considerando os testes comportamentais, também foi avaliada a aversão contextual em uma segunda exposição à arena de confronto sem a presença do predador no dia seguinte. Na procura por possíveis mecanismos moleculares que poderiam ser responsáveis pelas diferenças comportamentais entre estes animais, e também levando em consideração a maior sensibilidade de animais nocautes ao estresse oxidativo cerebral, também foi mensurados parâmetros de respiração mitocondrial em animais WT e KO. Os resultados dos testes comportamentais sugerem que tanto animais KO quanto os Tg-20 apresentam menores índices de ansiedade e de aversão inata do que os controles WT, e que os Tg-20 exibiram uma maior capacidade de equilíbrio e locomoção, enquanto os animais nocautes apresentaram um maior tempo para começar a explorar ambientes novos. Considerando a aversão contextual, tanto os camundongos KO quanto os Tg-20 exibiram menores índices e comportamento anti-aversivo em relação aos WT. Os animais Tg-20, no entanto, apresentaram quantitativamentee qualitativamente menor aversão do que os KO, que também foi acompanhada de hiperlocomoção e exploração aumentada do predador. Os Tg-20 aparentemente apresentaram uma maior capacidade de formação de memória aversiva contextual em relação às outras cepas. Contudo, as análises bioquímicas de respiração mitocondrial não apontou para a existência de diferenças entre animais WT e KO. Estes resultados sugerem que ‘PrP POT. C’ possui um papel importante na regulação da ansiedade, da aversão inata e condicionada, do equilíbrio e da locomoção. Estes achados poderiam ser explicados por uma possível modulação efetuada por ‘PrP POT. C’ em sistemas de neurotransmissão, como o sistema serotoninérgico, o glutamatérgico, o GABAérgico, o colinérgico e o nitrérgico, baseando-se no conhecimento científico atual. Complementarmente, estas análises sugerem que estas alterações comportamentais não estão relacionadas a alterações na respiração mitocondrial dos animais geneticamente modificados para a proteína príon celular
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.11.2007

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SOARES, Bruno Lobão; WALZ, Roger. Estudos Comportamentais e Bioquímicos em Camundongos Geneticamente Modificados para a Proteína Príon Celular. 2007.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2007.
    • APA

      Soares, B. L., & Walz, R. (2007). Estudos Comportamentais e Bioquímicos em Camundongos Geneticamente Modificados para a Proteína Príon Celular. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Soares BL, Walz R. Estudos Comportamentais e Bioquímicos em Camundongos Geneticamente Modificados para a Proteína Príon Celular. 2007 ;
    • Vancouver

      Soares BL, Walz R. Estudos Comportamentais e Bioquímicos em Camundongos Geneticamente Modificados para a Proteína Príon Celular. 2007 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021