Exportar registro bibliográfico

Participação da via heme oxigens semonóxido de carbono-GMPc, no locus coeruleus, na resposta termorrefulatória à endotoxina e ao estresse (2007)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: RAVANELLI, MARIA IDA BONINI - FMRP
  • Unidades: FMRP
  • Sigla do Departamento: RFI
  • Subjects: TEMPERATURA CORPORAL; HIPOTERMIA; LIPOPOLISSACARÍDEOS; ESTRESSE; HIPOTERMIA
  • Language: Português
  • Abstract: O monóxido de carbono (CO) é um mensageiro gasoso na sinalização central capaz de difundir-se das células onde é produzido e regular a temperatura corporal por meio da ativação da GCs, uma hemeproteína citosólica que catalisa a produção de GMPc. A heme oxigenase (HO, enzima que catalisa o metabolismo de heme em CO, biliverdina e ferro em quantidades equiolares) é a enzima responsável pela produção endógena de CO e é induzida por uma variedade de estímulos como estresse oxidativo e nitrosativo, lipopolissacarídeo/endotoxina (LPS) e glicocorticóides. No entanto, o sítio de ação no qual o CO exerce seus efeitos termorregulatórios no sistema nervoso central ainda não foi identificado. O locus coeruleus (LC) é um grupo bem delineado de células adjacente ao assoalho do quarto ventrículo na região pontina do tronco encefálico e é o principal núcleo noradrenérgico do SNC. O LC contém grande quantidade de GCs e HO. Recentemente, foi demonstrado que os neurônios noradrenérgicos do LC são muito importantes para o desenvolvimento da febre induzida por LPS, bem como para as respostas fisiológicas ao estresse. Em vista disso, o possível envolvimento da via HO-CO-GMPc no LC no controle termorregulatório após o estímulo com LPS e estresse de contenção foi investigada. A indução da via da heme oxigenase utilizando heme-lisinato (7,6 nmol, intra-LC) atenuou a resposta febril ao LPS e aumentou a resposta hipotérmica ao estresse, e esses efeitos foram prevenidos pela administração de ODQ(inibidor da enzima GCs, administrado intracerebroventricularmente, 1.3 nmol). Além disso, ZnDPBG (inibidor da HO; 5 nmol, intra-LC) aumentou a resposta febril ao LPS e atenuou a hipotermia induzida pela contenção. Em conjunto, os dados indicam que o CO endógeno no LC, produzido pela HO e atuando via GMPc apresenta efeito antipirértco durante a febre induzida por LPS e um efeito criogênico na hipotermia induzi da pelo estresse de contenção em ratos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.10.2007

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RAVANELLI, Maria Ida Bonini; BRANCO, Luiz Guilherme de Siqueira. Participação da via heme oxigens semonóxido de carbono-GMPc, no locus coeruleus, na resposta termorrefulatória à endotoxina e ao estresse. 2007.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2007.
    • APA

      Ravanelli, M. I. B., & Branco, L. G. de S. (2007). Participação da via heme oxigens semonóxido de carbono-GMPc, no locus coeruleus, na resposta termorrefulatória à endotoxina e ao estresse. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Ravanelli MIB, Branco LG de S. Participação da via heme oxigens semonóxido de carbono-GMPc, no locus coeruleus, na resposta termorrefulatória à endotoxina e ao estresse. 2007 ;
    • Vancouver

      Ravanelli MIB, Branco LG de S. Participação da via heme oxigens semonóxido de carbono-GMPc, no locus coeruleus, na resposta termorrefulatória à endotoxina e ao estresse. 2007 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020