Exportar registro bibliográfico

Preparação e avaliação de sistemas de liberação a partir de micropartículas de caseína bovina modificada por coacervação aquosa (1999)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SANTINHO, ANA JULIA PEREIRA - FCFRP
  • Unidades: FCFRP
  • Subjects: QUÍMICA; MEDICAMENTO (PREPARO;AVALIAÇÃO); TECNOLOGIA FARMACÊUTICA
  • Language: Português
  • Abstract: O uso de biopolímeros em sistemas de liberação sustentada tem sido alvo de vários grupos de pesquisa frente ao grau de biodisponibilidade e biodegradabilidade que apresentam. A caseína, em particular, é um polímero desta natureza, cuja decomposição favorece a formação de compostos bioutilizáveis. O objetivo deste trabalho foi preparar micropartículas de caseína bovina modificada por coacervação aquosa, incorporar um fármaco-modelo (paracetamol) e avaliar o teor do mesmo presente nos sistemas obtidos. Foram feitos estudos sobre a verificação da influência das condições de obtenção envolvendo a natureza dos agentes coacervantes (ácidos láctico, succínico e tartárico, e anidrido succínico), presença de tensoativos (Tween 80 e lecitina), alteração da força iônica (NaCI), concentração dos agentes espessantes (HPMC, HPC e Carbopol 940) e inclusão de plastificante (gelatina) à formulação. As micropartículas de caseína (MP/CAS) preparadas sob tais condições foram avaliadas quanto à morfologia, distribuição e tamanho, e caracterizadas por espectroscopia de infravermelho (IV-TF) e análise térmica empregando calorimetria exploratória diferencial, termogravimetria e capacidade calorífica específica. Em adição, a metodologia usada para dosear o fármaco presente nos sistemas foi a cromatografia líquida de alta eficiência. Em conclusão, podemos dizer que a granulometria das MP/CAS obtidas pode ser influenciada pela alteração da força iônica e pela natureza dosagentes plastificante, espessantes e tensoativos estudados. O processo de microencapsulação relatado no presente trabalho pode favorecer a formação de interações fracas, levando à formação de estruturas poliméricas diferentes da caseína. A etapa de reticulação deste processo de microencapsulação desempenhou papel decisivo no teor de fármaco-modelo incorporado, ao lado do procedimento onde o paracetamol foi dissolvido junto à dispersão de caseína. Além disso, os ) sistemas reticulados se mostraram resistentes ao ataque enzimático. Por fim, podemos dizer, segundo nosso conhecimento bibliográfico que, esta é a primeira vez na literatura onde é descrita a preparação de sistemas de liberação usando caseína bovina modificada por coacervação aquosa seguida de secagem em leito fluidizado. Estudos posteriores devem ser realizados a fim de esclarecer o grau de acilação envolvido no processo de coacervação usado neste trabalho, bem como o grau de reticulação da caseína
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.03.1999

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANTINHO, Ana Júlia Pereira; PEREIRA, Newton Lindolfo. Preparação e avaliação de sistemas de liberação a partir de micropartículas de caseína bovina modificada por coacervação aquosa. 1999.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 1999.
    • APA

      Santinho, A. J. P., & Pereira, N. L. (1999). Preparação e avaliação de sistemas de liberação a partir de micropartículas de caseína bovina modificada por coacervação aquosa. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Santinho AJP, Pereira NL. Preparação e avaliação de sistemas de liberação a partir de micropartículas de caseína bovina modificada por coacervação aquosa. 1999 ;
    • Vancouver

      Santinho AJP, Pereira NL. Preparação e avaliação de sistemas de liberação a partir de micropartículas de caseína bovina modificada por coacervação aquosa. 1999 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020