Exportar registro bibliográfico

Estudo da produção de monacolina k por Monascus Ruber Van Tiegham e secagem do extrato por spray dryer (2007)

  • Authors:
  • Autor USP: TEIXEIRA, GUILHERME AUGUSTO - FCFRP
  • Unidade: FCFRP
  • Sigla do Departamento: S/D
  • Subjects: FÁRMACOS DE ORIGEM VEGETAL; FARMACOTÉCNICA
  • Language: Português
  • Abstract: Monascus é um fungo ascomiceto tradicionalmente utilizado na China. Os povos orientais .utilizam o produto de sua fermentação em arroz não aglutinado, ao qual dão o nome de "Ang-kak", e no inglês, "Red yeast rice". Sabe-se que este extrato contém substâncias hipocolesterolêmicas, como a Monacolina K, inibidor competitivo da enzima HMG-CoA. Este trabalho se insere neste contexto uma vez que consiste na otimização da fermentação e secagem '" . do extrato de Monascus ruber. Embora já existam estudos sobre a atividade biológica deste extrato, os quais comprovam seus benefícios, não há muitos estudos que visam otimizar a sua fermentação em meio submerso e a secagem do extrato. Para tanto, foram avaliados diversos parâmetros na fermentação através de dois planejamentos fatoriais. No primeiro planejamento, as variáveis estudadas foram o meio de cultura (meio arrozina-glicose e meio sólido de arroz) e agitação (0 rpm e 10 rpm). A agitação promoveu um leve aumento na produção de monacolina K, já o meio líquido foi mais eficiente na produção desta substância do que o meio sólido de arroz. Baseado neste experimento escolheu-se o meio fermentativo para os demais estudos. No segundo experimento as variáveis estudadas foram a adição no meio arrozina-glicose de zinco, amônio e glutamato. Neste experimento pôde-se verificar que o a produção de monacolina K e de pigmentos foi maior no meio com concentrações intermediárias de zinco e de glutamato e com concentrações maioresde amônio. No estudo da secagem, realizou-se um planejamento Box - Benkhin, a fim de se avaliar a influência da proporção do adjuvante: fármaco, do tempo de incorporação do excipiente e da temperatura sobre características do extrato seco como: densidade aparente, densidade de compactação, fator de Hausner, umidade residual, atividade de água, atividade antioxidante e teor de monacolina K. Em relação à proporção do adjuvante: droga pode-se afirmar que a ) menor produz pós com menor atividade de água e teor de umidade, porém todos os pós obtidos tiveram seu teor de umidade e atividade de água dentro do ideal e a análise estatística mostrou que a proporção do adjuvante: droga não influenciou de forma significativa a atividade de água e o teor de umidade; a proporção 7,5:1 produz melhor rendimento e pós com melhores propriedades de fluxo, por possuírem menores valores de índice de compressibilidade e fator de hausner, já com a proporção 10: 1 fornece pós com maior teor de monacolina e maior atividade antioxidante. Em relação à temperatura pode-se afirmar que utilizando-se 50°C obteve- se pós com melhores propriedades de fluxo, ou seja, menor índice de compressibilidade e menor e fator de hausner. Utilizando temperatura de 80°C obteve-se menor atividade antioxidante, maior rendimento e maior teor de monacolina K. Contudo, a análise estatística mostrou que a temperatura não influenciou de forma significativa o teor de monacolina K. Com uma temperaturamaior, 110°C obteve-se menor teor de umidade e maior teor de pigmentos vermelhos. Em relação ao tempo de mistura do adjuvante pode-se afirmar que com 1 minuto obteve-se maior teor de pigmentos e pós com melhores propriedades de fluxo, com 5 minutos obteve-se menor teor de pigmentos, maior rendimento, maior teor de monacolina K e menor atividade de água, já com 10 minutos obteve-se menor teor de umidade e maior porcentagem de inibição. A análise estatística demonstrou que o tempo de mistura não influencia de forma significativa a atividade antioxidante
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.05.2007
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TEIXEIRA, Guilherme Augusto; FREITAS, Luis Alexandre Pedro de. Estudo da produção de monacolina k por Monascus Ruber Van Tiegham e secagem do extrato por spray dryer. 2007.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2007. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/60/60137/tde-05122008-151240/ >.
    • APA

      Teixeira, G. A., & Freitas, L. A. P. de. (2007). Estudo da produção de monacolina k por Monascus Ruber Van Tiegham e secagem do extrato por spray dryer. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/60/60137/tde-05122008-151240/
    • NLM

      Teixeira GA, Freitas LAP de. Estudo da produção de monacolina k por Monascus Ruber Van Tiegham e secagem do extrato por spray dryer [Internet]. 2007 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/60/60137/tde-05122008-151240/
    • Vancouver

      Teixeira GA, Freitas LAP de. Estudo da produção de monacolina k por Monascus Ruber Van Tiegham e secagem do extrato por spray dryer [Internet]. 2007 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/60/60137/tde-05122008-151240/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021