Exportar registro bibliográfico

Caracterizações fenotípicas e genotípicas de amostras monofásicas de S. enterica I 4,[5],12:i:- (2007)

  • Authors:
  • Autor USP: SALES, ANA ISABELA LOPES - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBP
  • Subjects: SALMONELLA TYPHIMURIUM; SALMONELLA (GENÉTICA)
  • Language: Português
  • Abstract: Sorovariedades de Salmonella enterica não tifóide são consideradas patógenos emergentes de grande importância na saúde humana. Muitas das infecções humanas são causadas por diferentes sorovariedades de S. enterica, que são classificadas por reações sorológicas através da identificação de polissacarídeos contidos no LPS (O), antígenos flagelares (H) e capsulares (Vi), este último quando presente. A combinação destes antígenos define uma sorovariedade. Algumas sorovariedades, como Typhimurium, têm a capacidade de variar o tipo de flagelina expressa. A flagelina H1 é o produto do gene fliC, e a flagelina H2 é o produto do gene fljB. O tipo de flagelina expressa está sob controle de um sistema de variação de fase. Desde o final do século passado, S. enterica monofásica I 4,[5],12:i:- tem sido isolada no Brasil, em particular no estado de São Paulo. Este novo sorotipo pode ter se originado de uma sorovariedade bifásica como S. enterica Typhimurium (I 4,[5],12:i:1 ,2) ou Lagos (I 4,[5],12:i:1,5) ou de uma sorovariedade não móvel que adquiriu a capacidade de expressar flagelo. Recentemente, este novo sorotipo também foi isolado nos Estados Unidos, na Tailândia e na Espanha. Dada à sua importância epidemiológica, recentemente uma linhagem de S. enterica 4,[5],12:i:- foi selecionada pela TIGR para ter seu genoma seqüenciado. No presente estudo, as origens de S. enterica monofásica I 4,[5],12:i:- isoladas no Brasil foi avaliada por diferentes técnicasmoleculares que indicaram que este sorotipo é derivado de S. enterica Typhimurium. Análises biológicas e moleculares indicaram deleção envolvendo os genes fljB e rIjA. A extensão desta deleção é diferente da descrita para amostras 4,[5],12:i:- isoladas na Espanha, o que implica uma origem diferente entre estas amostras. Dados moleculares e fenotípicos indicaram que S. enterica 4,[5],12:i:- mantém o potencial patogênico, seja pela presença de genes de virulência, seja para ) a patogenicidade dada em modelo animal. Dados epidemiológicos, no entanto, sugerem que S. enterica 4,[5],12:i:- é mais patogênica que a sorovariedade Typhimurium, apesar de apresentar maior sensibilidade a antibióticos quando comparada a Typhimurium. No entanto, profagos de S. enterica 4,[5],12:i:- podem ser responsáveis pelo sucesso evolutivo deste sorotipo no Brasil. Estes achados permitem sugerir que S. enterica 4,[5],12:i:- seja classificada como uma variante de Typhimurium. Como este sorotipo foi primeiramente descrito no estado de São Paulo, sugerimos que seja denominado variante Paulista ou Typhimurium varo Paulista
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.06.2007

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SALES, Ana Isabela Lopes; BROCCHI, Marcelo. Caracterizações fenotípicas e genotípicas de amostras monofásicas de S. enterica I 4,[5],12:i:-. 2007.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2007.
    • APA

      Sales, A. I. L., & Brocchi, M. (2007). Caracterizações fenotípicas e genotípicas de amostras monofásicas de S. enterica I 4,[5],12:i:-. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Sales AIL, Brocchi M. Caracterizações fenotípicas e genotípicas de amostras monofásicas de S. enterica I 4,[5],12:i:-. 2007 ;
    • Vancouver

      Sales AIL, Brocchi M. Caracterizações fenotípicas e genotípicas de amostras monofásicas de S. enterica I 4,[5],12:i:-. 2007 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021