Exportar registro bibliográfico

Miniexon e virulência em Leishmania (2007)

  • Authors:
  • Autor USP: TOLEDO, JULIANO SIMÕES DE - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBP
  • Subjects: LEISHMANIA; BIOLOGIA CELULAR; BIOLOGIA MOLECULAR
  • Language: Português
  • Abstract: O gene miniexon tem um papel muito importante no metabolismo de mRNA dos Cinetoplastideos. O produto deste gene, o spliced leader RNA (SL RNA), é o substrato comum para a reação de trans-splicing, necessária para o processamento do policistron em mRNAs maduros. Estudos anteriores feitos em camundongos BALB/c mostraram que linhagens de L. (L.) major, originalmente virulentas, super-expressando o SL RNA perdiam sua virulência. O clone superexpressor do SL RNA, quando "curado" do cosmídio que alberga exclusivamente o arranjo do miniexon reverteu ao seu fenótipo de virulência original, confirmando a correlação positiva entre a super-expressão do SL RNA com a perda da virulência. Neste trabalho foi demonstrado in vivo, utilizando dois modelos de hospedeiros distintos, o camundongo e o hamster, que a indução artificial da super-expressão deste gene diminui também o padrão de virulência de linhagens de L. (V.) braziliensis originalmente virulentas. Em seu conjunto, nossos resultados permitem especular que o excesso de miniexon é incompatível com a proliferação ou sobrevivência do parasito no hospedeiro vertebrado. Neste trabalho foi realizada a caracterização molecular do mutante super-expressor de SL RNA com o intuito de conhecer a natureza deste fenômeno biológico. Assim, utilizando a eletroforese bidimensional e o DDRT-PCR foram identificados mRNAs e proteínas diferencialmente expressos na linhagem mutante. Os resultados obtidos foram validados por northern ewestern-blot. Os mutantes têm alteradas proteínas relacionadas à proteólise, citoesqueleto, resposta ao estresse, controle do ciclo celular e proliferação, geração de energia, fosforilação e algumas de função desconhecida, além de mRNAs relacionados a processos como controle de transcrição e tradução, proteólise e degradação de RNA. Com estes resultados, pode-se especular que a super-expressão do SL RNA está ocasionando drásticas alterações metabólicas no mutante, incluindo modificações no padrão de consumo energético e nas atividades do proteassomo e exossomo. O excesso de miniexon causa uma drástica alteração no túbulo multivesicular (MVT) dos promastigotas mutantes, que é apontado como possível sítio de degradação do excesso de proteínas. Embora o excesso de produtos gênicos no promastigota em cultura axênica seja devidamente controlado pela ativação de sua maquinaria proteolítica, via ubiquitinação e proteassomo, e pela degradação de mRNAs, via exossomo, a oferta exagerada do SL RNA é incompatível com a plena diferenciação ou capacidade de multiplicação do parasita intracelularmente
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.07.2007

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TOLEDO, Juliano Simões de; CRUZ, Angela Kaysel. Miniexon e virulência em Leishmania. 2007.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2007.
    • APA

      Toledo, J. S. de, & Cruz, A. K. (2007). Miniexon e virulência em Leishmania. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Toledo JS de, Cruz AK. Miniexon e virulência em Leishmania. 2007 ;
    • Vancouver

      Toledo JS de, Cruz AK. Miniexon e virulência em Leishmania. 2007 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021