Exportar registro bibliográfico

Prevalência de padrão facial e má oclusão em populações de duas escolas diferentes de ensino fundamental (2007)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SIÉCOLA, GUSTAVO SILVA - FOB
  • Unidades: FOB
  • Sigla do Departamento: BAO
  • Subjects: EPIDEMIOLOGIA; ORTODONTIA; DIAGNÓSTICO; MALOCLUSÃO; ENSINO FUNDAMENTAL
  • Language: Português
  • Abstract: A avaliação facial no contexto ortodôntico frente ao diagnóstico, a elaboração de planos de tratamento e a avaliação de prognóstico torna-se indispensável. O entendimento do padrão de crescimento facial representa ser possível propor as metas terapêuticas aceitáveis para cada indivíduo. O presente trabalho objetivou identificar a prevalência de determinados padrões faciais e das más oclusões e posteriormente correlacioná-los entre si, em duas escolas distintas, uma escola particular e uma escola pública, na cidade de Bauru - SP. Os sujeitos da amostra foram selecionados por conveniência levando-se em consideração o critério de inclusão para o estudo, cujos indivíduos não poderiam ter sido ou estar sendo submetido a tratamento ortodôntico. Para tanto, foi realizada uma entrevista/anamnese com os alunos das 2 escolas de Ensino Fundamental, que cursavam de 1ª a 4ª série. Após selecionados, tais sujeitos foram divididos em dois grupos, de acordo com a escola que cursavam, e fotografados nas vistas extrabucais e intrabucais, sendo três e cinco fotos, respectivamente, e estas fotografias avaliadas por três examinadores. Os sujeitos foram determinados em tipos de padrão de crescimento facial segundo a classificação proposta por Capelozza (2004), através do exame das fotografias extrabucais de frente e de perfil. Também se verificou a presença das más oclusões no plano sagital pela classificação de Angle e as demais alterações no sentido transversal e verticalpor meio das fotografias intrabucais. A avaliação dos examinadores foi submetida à análise estatística descritiva e comparativa (teste qui-quadrado), além de exames intra e inter-examinadores (teste Kappa). Os resultados apontaram maior prevalência de padrão facial I e má oclusão de classe I para ambas as escolas, porém na escola particular apresentou-se seguida da classe II e na escola pública, da classe III de Angle. O padrão de crescimento facial não esteve relacionado diretamente a diferença entre as escolas, mas indiretamente devido à distribuição étnica dentro da amostra de cada uma. Já as más oclusões dentárias tendem a serem maiores na escola pública, com suposta dependência da perda dentária precoce, aceita como quebra da seqüência de irrupção ou perda dentária por outros motivos
  • Imprenta:
    • Place of publication: Bauru
    • Date published: 2007
  • Data da defesa: 21.03.2007
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SIÉCOLA, Gustavo Silva; CAPELOZZA FILHO, Leopoldino. Prevalência de padrão facial e má oclusão em populações de duas escolas diferentes de ensino fundamental. 2007.Universidade de São Paulo, Bauru, 2007. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25141/tde-18062007-100854/ >.
    • APA

      Siécola, G. S., & Capelozza Filho, L. (2007). Prevalência de padrão facial e má oclusão em populações de duas escolas diferentes de ensino fundamental. Universidade de São Paulo, Bauru. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25141/tde-18062007-100854/
    • NLM

      Siécola GS, Capelozza Filho L. Prevalência de padrão facial e má oclusão em populações de duas escolas diferentes de ensino fundamental [Internet]. 2007 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25141/tde-18062007-100854/
    • Vancouver

      Siécola GS, Capelozza Filho L. Prevalência de padrão facial e má oclusão em populações de duas escolas diferentes de ensino fundamental [Internet]. 2007 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25141/tde-18062007-100854/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020