Exportar registro bibliográfico

Caracterização de amostras de Cryptococcus isoladas de pacientes com AIDS: sensibilidade a antifúngicos, tipagem molecular e determinação molecular do tipo sexual e sorotipo (2007)

  • Authors:
  • Autor USP: FIGUEIREDO, THAIS PANDINI - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Subjects: CRYPTOCOCCUS NEOFORMANS; HIV; ANTIFÚNGICOS; SENSIBILIDADE E ESPECIFICIDADE; BIOLOGIA MOLECULAR
  • Language: Português
  • Abstract: Cryptococcus neoformans é um fungo levedurifome, encapsulado, saprófita na natureza. Exibe brotamentos simples ou múltiplos, assincrônicos, apresentando cinco sorotipos (A, B, C, D e AD.), sendo subdividido em duas variedades: grubii (sorotipo A), recentemente descrita, e neoformans (sorotipos D e AD), enquanto os sorotipos B e C foram agrupados nas espécies C. gattii. As infecções criptocócicas ocorrem mundialmente, em áreas endêmicas definidas, porém a distribuição ambiental dos sorotipos mostra algumas diferenças, uma vez que C. gattii é mais prevalente nas regiões tropicais e subtropicais. É o agente mais comum de micoses sistêmicas em pacientes com AIDS e com outras condições de imunossupressão, como transplantados de órgãos. A meningoencefalite e, menos freqüentemente, pneumonia são as manifestações clínicas mais comuns da doença e os sorotipos A e D, tipo sexual 'alfa', são os mais isolados do homem. Considerando a elevada freqüência da doença em pacientes com AIDS, que procuram o HC-FMRP-USP, o presente trabalho estudou as características fenotípicas e genotípicas de isolados clínicos de Cryptococcus através da: a) caracterização bioquímica do agente, b) definição dos seus perfis de sensibilidade frente aos agentes antifúngicos Anfotericina B, Cetoconazol, Itraconazol, Fluconazol e 5-Fluorcitosina, c), sorotipagem e definição do tipo sexual através de biologia. molecular e d) e tipagem,em molecular. Das amostras selecionadas, observamos que a maioria (78,1 %)foi identificada como Cryptococcus neoformans e 21,9%, taxa considerada elevada em relação à literatura, correspondeu à espécie C. gattii, apesar do pouco predomínio de reservatórios naturais dessa espécie em nossa região. No teste de sensibilidade in vitro, realizado pela diluição em microplacas, padronizado pelo CLSI/NCCLS, 100% das amostras de C. neoformans e de c. gattii foram sensíveis a Anfotericina B, Cetoconazol e Fluconazol. Mesmo não sendo de uso terapêutico no Brasil, algumas amostras de C. neoformans mostraram perfil intermediário/dose-dependente para 5-Fluorcitosina, e observamos altas freqüências de valores de CIM correspondendo a perfil intermediário/dose-dependente e I resistência para Itraconazol. A totalidade das amostras de C. neoformans foi classificada por PCR como pertencente ao sorotipo A (variedade grubbi). Verificamos, uma concordância de 100% do teste bioquímico (CGB) com a caracterização molecular. Também todas as amostras de C. neoformans foram caracterizadas como sendo do tipo sexual MT'alfa'. Observamos uma única amostra diplóide MATa/'alfa', pertencente à espécie C. gattii. A ocorrência desse comportamento é rara, especificamente para os sorotipos B e C, uma vez que os relatos de diplóides são mais freqüentemente descritos para os sorotipos A e D (A'alfa'Da). A tipagem molecular, empregando a seqüência microsatélite M13 foi capaz de tipar todas as amostras e revelou que para C. neoformans o tipo molecular VNI foi opredominante, ocorrendo em 81 % das amostras, enquanto para C.gattii, o tipo molecular mais freqüemente foi o VGll em 71 % das amostras.Para a quase totalidade dos pacientes que apresentaram novos quadros da doença, mesmo após períodos de 1 ano sem sintomas, os resultados da tipagem molecular sugerem reativação endógena da doença, pela persistência da cepa inicial.Com a seqüência'(GACA) IND.4' duas amostras de C.gattiii não foram possíveis de serem tipadas.Concluímos que as amostras estudadas, isoladas de pacientes provenientes da região de Ribeirão Preto, não apresentaram aumento significativo de resistência aos antifúngicos utilizados na clínica, o teste bioquímico CGB é confiável para sorotipar as amostras, uma vez que houve boa correlação entre ele e a caracterização molecular por PCR, e a homogeneidade de tipos sexuais e moleculares encontrados indica baixa possibilidade de cruzamento entre as cepas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.04.2007

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FIGUEIREDO, Thaís Pandini; MAFFEI, Claudia Maria Leite. Caracterização de amostras de Cryptococcus isoladas de pacientes com AIDS: sensibilidade a antifúngicos, tipagem molecular e determinação molecular do tipo sexual e sorotipo. 2007.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2007.
    • APA

      Figueiredo, T. P., & Maffei, C. M. L. (2007). Caracterização de amostras de Cryptococcus isoladas de pacientes com AIDS: sensibilidade a antifúngicos, tipagem molecular e determinação molecular do tipo sexual e sorotipo. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Figueiredo TP, Maffei CML. Caracterização de amostras de Cryptococcus isoladas de pacientes com AIDS: sensibilidade a antifúngicos, tipagem molecular e determinação molecular do tipo sexual e sorotipo. 2007 ;
    • Vancouver

      Figueiredo TP, Maffei CML. Caracterização de amostras de Cryptococcus isoladas de pacientes com AIDS: sensibilidade a antifúngicos, tipagem molecular e determinação molecular do tipo sexual e sorotipo. 2007 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020