Exportar registro bibliográfico

Rede complexa e criticalidade auto-organizada: modelos e aplicações (2007)

  • Authors:
  • USP affiliated author: CASTRO, PAULO ALEXANDRE DE - IFSC
  • School: IFSC
  • Sigla do Departamento: FFI
  • Subjects: MECÂNICA ESTATÍSTICA; REDES COMPLEXAS
  • Language: Português
  • Abstract: Modelos e teorias científicas surgem da necessidade do homem entender melhor o funcionamento do mundo em que vive. Constantemente, novos modelos e técnicas são criados com esse objetivo. Uma dessas teorias recentemente desenvolvida é a da Criticalidade Auto-Organizada. No Capítulo 2 desta tese, apresentamos uma breve introdução a Criticalidade Auto-Organizada. Tendo a criticalidade auto-organizada como pano de fundo, no Capítulo 3, estudamos a dinâmica Bak-Sneppen (e diversas variantes) e a comparamos com alguns algoritmos de otimização. Apresentamos no Capítulo 4, uma revisão histórica e conceitual das redes complexas. Revisamos alguns importantes modelos tais como: Erdos-Rényi, Watts-Strogatz, de configuração e Barabási-Albert. No Capítulo 5, estudamos o modelo Barabási-Albert não-linear. Para este modelo, obtivemos uma expressão analítica para a distribuição de conectividades P(k), válida para amplo espectro do espaço de parâmetros. Propusemos também uma forma analítica para o coeficiente de agrupamento, que foi corroborada por nossas simulações numéricas. Verificamos que a rede Barabási-Albert não-linear pode ser assortativa ou desassortativa e que, somente no caso da rede Barabási-Albert linear, ela é não assortativa. No Capítulo 6, utilizando dados coletados do CD-ROM da revista Placar, construímos uma rede bastante peculiar - a rede do futebol brasileiro. Primeiramente analisamos a rede bipartida formada por jogadores e clubes. Verificamosque a probabilidade de que um jogador tenha participado de M partidas decai exponencialmente com M, ao passo que a probabilidade de que um jogador tenha marcado G gols segue uma lei de potência. A partir da rede bipartida, construímos a rede unipartida de jogadores, que batizamos de rede de jogadores do futebol brasileiro. Nessa rede, determinamos várias grandezas: o comprimento médio do menor caminho e os coeficientes de agrupamento e de assortatividade. ) A rede de jogadores de futebol brasileiro nos permitiu analisar a evolução temporal dessas grandezas, uma oportunidade rara em se tratando de redes reais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.02.2007
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CASTRO, Paulo Alexandre de; ONODY, Roberto Nicolau. Rede complexa e criticalidade auto-organizada: modelos e aplicações. 2007.Universidade de São Paulo, São Carlos, 2007. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/76/76131/tde-14012008-165356/ >.
    • APA

      Castro, P. A. de, & Onody, R. N. (2007). Rede complexa e criticalidade auto-organizada: modelos e aplicações. Universidade de São Paulo, São Carlos. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/76/76131/tde-14012008-165356/
    • NLM

      Castro PA de, Onody RN. Rede complexa e criticalidade auto-organizada: modelos e aplicações [Internet]. 2007 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/76/76131/tde-14012008-165356/
    • Vancouver

      Castro PA de, Onody RN. Rede complexa e criticalidade auto-organizada: modelos e aplicações [Internet]. 2007 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/76/76131/tde-14012008-165356/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020