Exportar registro bibliográfico

Determinação de cafeína e identificação de adulterações no café empregando a eletroforese capilar com detecção condutométrica sem contato (2006)

  • Authors:
  • Autor USP: NOGUEIRA, THIAGO - IQ
  • Unidade: IQ
  • Sigla do Departamento: QFL
  • Subjects: ELETROFORESE CAPILAR DE ZONA (APLICAÇÕES); CAFÉ (ANÁLISE QUALITATIVA); CAFÉ (COMPONENTES;DETERMINAÇÃO)
  • Language: Português
  • Abstract: Neste trabalho foram desenvolvidas estratégias para a determinação de cafeína e detecção de adulterações no café, empregando a eletroforese capilar com detecção condutométrica sem contato (CE- 'C POT.4' D). A estratégia desenvolvida para a separação da cafeína se baseia na complexação dinâmica do analito com o ânion do eletrólito de corrida, 3,4-dimetoxicinamato. Utilizou-se como eletrólito de corrida 20 mmol 'L POT.'MENOS'1' de ácido 3,4-dimetoxicinâmico/Tris (pH 8,5). As separações foram conduzidas contra o fluxo eletrosmótico e o tempo de análise foi menor do que 5 minutos. Adicionalmente, o método se mostrou seletivo uma vez que análogos da cafeína (teobromina e teofilina) apresentaram tempo de migração diferenciado. O método proposto foi comparado com uma metodologia padrão (HPLC), apresentando resultados concordantes. O método foi aplicado para a determinação de cafeína em amostras de café convencional, solúvel e descafeinado. O limite de quantificação estimado para o método (0,33 mg/g) se mostrou suficientemente baixo, de forma a atender às exigências da legislação vigente. A identificação de adulterações no café provenientes da adição de outros materiais pode ser procedida utilizando como indicadores os teores totais de glicose e xilose obtidas por hidrólise controlada. Para promover a separação dessas espécies dos demais carboidratos presentes no café, varias estratégias foram avaliadas. As separações foram realizadas utilizando NaOH como eletrólito decorrida, de forma a possibilitar a ionização dessas espécies. O emprego de aditivos como metanol, acetonitrila e íons borato foram avaliados. A melhor condição obtida foi utilizando 80 'mmol POT.L'MENOS'1' de NaOH, 0,5 'mmol 'POT.L'MENOS'1' CTAS e 30 'POR CENTO' (v/v) de metanol. Os resultados mostraram que é possível identificar contaminações menores que aquelas consideradas como limites aceitáveis
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.12.2006
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NOGUEIRA, Thiago; LAGO, Claudimir Lucio do. Determinação de cafeína e identificação de adulterações no café empregando a eletroforese capilar com detecção condutométrica sem contato. 2006.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46133/tde-23032007-182139/ >.
    • APA

      Nogueira, T., & Lago, C. L. do. (2006). Determinação de cafeína e identificação de adulterações no café empregando a eletroforese capilar com detecção condutométrica sem contato. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46133/tde-23032007-182139/
    • NLM

      Nogueira T, Lago CL do. Determinação de cafeína e identificação de adulterações no café empregando a eletroforese capilar com detecção condutométrica sem contato [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46133/tde-23032007-182139/
    • Vancouver

      Nogueira T, Lago CL do. Determinação de cafeína e identificação de adulterações no café empregando a eletroforese capilar com detecção condutométrica sem contato [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46133/tde-23032007-182139/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020